categorias: Vida de Mãe

PoeNoRotulo

Meninas hoje vamos falar de um tema super importante e explicar um pouco um movimento que vem ganhando força a cada dia!!!

Muitas de vocês acompanham a luta das m@es aplvs, m@aes cujos filhos têm alergia múltipla, m@es com mão na massa para garantir uma alimentação segura, variada e apetitosa a seus filhos e filhas.

Em virtude de um desafio constante em suas vidas, no fim de fevereiro, foi criada uma campanha que se chama #poenorotulo e tem por objetivo garantir a rotulagem de alérgenos.

Mas para que isso?  – Alguém pode se questionar –

Hoje, no Brasil, apesar de haver uma lei sobre rotulagem do glúten, importante informação para os celíacos, não há nada que obrigue a informação sobre alérgenos nas embalagens dos produtos. Outros países preveem a obrigatoriedade do destaque de alérgenos nos rótulos, como forma de se reduzir número de acidentes por erro na leitura dos rótulos (Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Japão, além da União Europeia).

Fato é que, sem uma obrigatoriedade, a indústria também não dá a importância devida ao assunto e os rótulos não são sempre confiáveis, o que acaba resultando em medo de consumir e em reações, em alguns casos.

O dia-a-dia dos alérgicos é bastante complicado e com inúmeras restrições. Uma ida ao mercado pode levar horas, pois é necessário verificar as embalagens uma a uma, decifrando as minúsculas letras, interpretando termos complexos e identificando possíveis alérgenos. E, como nem sempre as informações são claras e confiáveis, ainda é necessário buscar informações junto aos fabricantes através dos serviços de atendimento ao consumidor.

Mas o que se pretende rotular? Na linha do que fazem os demais países, seguindo especialmente as estatísticas norte-americanas, temos que 90% das reações alérgicas são causadas por um ou mais dos seguintes alérgenos são: leite, soja, ovo, cereais que contém glúten, peixe, crustáceos, amendoim e oleaginosas. Mas há outros…

A insistência na importância da rotulagem desses itens principais existe porque, não bastasse a dificuldade da leitura de letras pequenas e das nomenclaturas nem sempre tão acessíveis (indicação da presença de caseinatos, sem destacar que se trata de leite), nas indústrias há uma prática comum de compartilhamento de maquinário para produção de vários produtos. Isso significa que existe a possibilidade de contaminação dos alimentos com ingredientes que não constam dos rótulos, os chamados “traços”. A alimentação de um alérgico é extremamente controlada e não pode haver ingestão ou até mesmo contato com o ingrediente alergênico devendo ser livres inclusive de traços.

As consequências da falta de informação podem variar de simples coceiras e espirros até anafilaxia, insuficiência respiratória/cardíaca, entre outras reações graves, podendo levar à morte em alguns casos. Além disso, como já dito, textos em letras minúsculas e termos técnicos levam à dúvida, ao erro e a um leque reduzido de opções para essas pessoas.

O #PoeNoRotulo conta com nosso apoio na divulgação dessa causa que pode beneficiar milhares de pessoas, não só alérgicas, mas também os celíacos, que também têm lutado por melhor rotulagem dos traços de glúten, intolerantes à lactose, veganos e todos os que se preocupam com a saúde e com o que estão ingerindo.

Veja quem também apoia esta causa:

formaes

formaes

Quer apoiar também???

–      Curta e compartilhe a página no Facebook:  www.facebook.com/poenorotulo

–      Siga no Twitter: @poenorotulo

–      Envie sua foto com o cartaz da campanha para o email: pnrfotos@gmail.com

Quer falar com elas???

Assessoria de imprensa do #poenorotulo:

Mariana Claudino
claudino@gmail.com
(21) 98133-3192

formaes