categorias: Vida de Mãe

Mães brasileiras são as que mais se sentem culpadas se não amamentarem seus bebês.

Pesquisa com mais de 13 mil mães em nove países destaca as crenças universais e diferenças culturais da experiência de amamentação

 

 

A Lansinoh Laboratórios, líder mundial em acessórios para a amamentação, conduziu uma pesquisa com 13.169 mães e gestantes em nove países: Brasil, China, França, Alemanha, Hungria, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos. A Pesquisa Global Lansinoh Sobre Amamentação 2014 fornece um olhar particular sobre as atitudes em torno do aleitamento materno, assim como o comportamento de amamentação entre as mães atuais.

 

 

Principais Constatações:

  • Benefício de Saúde para o Bebê” é a principal razão que faze com que a maioria das mães dos nove países optem pelo aleitamento materno, variando de 91% no Brasil a 76% na França.

 

  • A maioria das mães em todos os países – incluindo 97% das brasleiras – acredita que a amamentação é a melhor forma de alimentar um bebê (independente dos motivos que levam cada uma).

 

  • Acordar a noite para amamentar está entre as três principais dificuldades relatadas pelas entrevistadas dos nove países. Este é um problema para 44% das brasileiras entrevistadas. A dor associada com a amamentação (47%) e aprender a amamentar no início (33%) também são grandes desafios para as mães brasileiras.

 

  • A “culpa materna” é universal. Quando perguntadas se elas sentiriam-se culpadas caso não amamentassem, a maioria das mães de 8 entre os 9 países disseram que SIM. 93% das mães brasileiras concordam com isso. A Alemanha é o único país onde a maioria das mães não se sentiria culpada (61%).

 

  • A China e a França possuem o maior percentual de mães que dizem que amamentar em público é constrangedor. Por outro lado, a amamentação em público é algo mais natural nos Estados Unidos, no Reino Unido e no Brasil. Por aqui, 55% das mães acham que a amamentação em público é algo perfeitamente natural, 22% acham que é inevitável, 21% acham constrangedor, e somente 2% acham errado.

 

  • Quando perguntadas por quanto tempo elas acham que um bebê deva ser amamentado, o maior percentual de mães de 7 entre os 9 países analisados (Brasil, China, Alemanha, Hungria, México, Reino Unido e Estados Unidos) respondeu que o período ideal de amamentação de um bebê é de 6 a 12 meses. As mães na França apontaram um período um pouco menor (3 a 6 meses), e as da Turquia um período maior (1 a 2 anos).

 

  • A maioria das mães em todos os países extrai ou planeja extrair seu próprio leite. No Brasil, essa afirmação foi dada por 71% das mães entrevistadas. O país com a menor taxa de lactantes que extraem ou planejam extrair leite é a França (65%), e o com a taxa mais alta é a China (85%).

 

 

PesquisaLansinohInfografico-Brasil-01PesquisaLansinohInfograficoGlobal-01

 

 

 

***Clique na foto pra ampliar

 

Para mais informações, acesse: www.lansinohbrasil.com.br/noticia/pesquisa-global-lansinoh-sobre-amamentacao-2014

 

Este post é um publieditorial

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook