categorias: Vida de Mãe

Não viva para seus filhos

Foi se o tempo onde acreditávamos que a melhor escolha de uma mulher era viver integralmente para seus filhos.

Não digo as que deixam de trabalhar para aproveitar a primeira infância, mas aquelas que mesmo trabalhando até como forma de culpa, vivem somente para as crianças. Cumprem sua carga horaria e após isso não tem vida própria.

Tá ai uma das coisa mais difíceis da maternidade: Ser você mesma.

Assim que ganhamos o bebe perdemos nossa identidade. O inicio dessa relação é super confusa e cheia de conflitos. Afinal agora somos Mães.

E dai?  E daí que mãe é aquela que sabe de tudo, que sempre esta pronta pra tudo, que tem a melhor ideia, a melhor resposta para as perguntas difíceis.

Fica a pergunta: Será que nossos filhos precisam tanto assim de nós?

Precisam, mas podem ter certeza que muito menos do que imaginamos.

Após 5 anos da chegada do meu primeiro filho, consigo enxergar com mais clareza que esse excesso não é necessário, alias ele pode ser até prejudicial.

Vejo mulheres que abrem mão de muitas oportunidades pelos filhos e criam crianças inseguras. Quando a criança se transforma na razão de viver dos seus pais, isso se torna um peso e muita responsabilidade depositada neles.

Por isso hoje deixarei aqui alguns pontos para refletirmos. (frases que eu falaria para as minhas melhores amigas ao se tornarem mães)

  • Seja a mãe que você gostaria de ter tido.
  • Tenha uma vida pessoal.
  • Ame-se.
  • Descubra algo que te faça feliz.
  • Invista no seu casamento ou na sua relação.
  • Não compare.
  • Imponha limites.
  • Não se estresse com as birras.
  • Confie no seu jeito
  • Não lhes de tudo.

Dê a seus filhos a oportunidade de ter suas próprias experiências. Só assim eles poderão crescer e se desenvolver.

Não viva para seus filhos, viva COM eles!

 

vivaparaseusfilhos

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

8 comentários

  1. Kátia

    Não sou mãe ainda, mas percebi isso na criação que minha mãe teve comigo e meu irmão. Quando fui crescendo e percebendo, sempre falava que ela precisava viver mais para ela e meu pai. Mas meu pai é assim também: primeiro os filhos, depois eles!
    Concordo plenamente com você e espero que no dia que eu tiver os meus pimpolhos eu consiga desenvolver essa relação…

  2. César Henrique da silva

    Quero receber atualizações…

  3. Renata respondeu César Henrique da silva

    Oi césar se inscreva aqui na lateral do blog!!! É so colocar seu email.
    bjos
    RE

  4. Renata respondeu Kátia

    Obrigada pelo comentário!!!

  5. Talita Rodrigues Nunes

    Perfeito o texto! Precisamos ser boas pessoas para sermos boas mães. Escrevi um texto que fala um pouco disso também: Sou a melhora mãe que posso ser
    http://somelhora.com.br/index.php/2015/09/15/sou-a-melhor-mae-que-eu-posso-ser/

  6. Tamires Heredia

    Amei o texto! Escolhi recentemente ser mãe em período integral, mas escolho todos os dias, em primeiro lugar, ter uma família. Para ter uma família nós precisamos ser equilibradas e quando nos dedicamos apenas aos filhos acabamos deixando muitas outras partes importantes que podem chegar ao fim de um relacionamento..
    Esta semana escrevi no meu blog sobre como manter a vida a dois depois dos filhos, porque é precisa preservar este lado e muitos outros para, como você disse bem, viver com os filhos e não para os filhos..

    Se você quiser dar uma olhada no que falei sobre o assunto, segue 😀
    http://www.tamiresheredia.com/dica-de-como-manter-momentos-a-dois-depois-dos-filhos/

  7. adalgiza botelho

    Interessante seu post adorei .sempre achei que ser mãe era ser escrava dos filhos por pura obrigação .que bom que não precisa ser assim. Parabéns!

  8. Lu

    Não tenho mãe nem tia nem irmã nem sogra que possa olhar meu filho. E como as babás cobram muito caro, o jeito foi me conformar. Meu filho vai na escola e depois fica comigo enquanto trabalho. Todos esses anos esteve sempre comigo quase que 24 horas por dia. Pra quem pode contar com a avó da criança (coisa bem comum) aí é fácil né?