categorias: Vida de Mãe

Meu filho roí as unhas, e agora?

Seu filho roí as unhas?

 

Não é raro os pais trazerem a queixa de que seus filhos estão roendo as unhas e, por mais que já tenham explicado, dado broncas e inúmeras outras medidas, eles continuam a roer.
Este é um hábito que pode acontecer em todas as idades, mas normalmente começa na infância e início da adolescência. Estima-se que 30% da população mundial roa as unhas de forma compulsiva.
Esse comportamento indesejado pode vir por vários razões e, entre elas, a ansiedade. Nesse caso, roer as unhas seria uma maneira de alívio da tensão e pode aumentar em momentos mais delicados como época de provas, competições, troca de escola ou outras situações em que a criança se sente mais insegura. Não é incomum se criar um hábito de alívio de ansiedade. Algumas crianças (e mesmo adultos) podem comer de forma compulsiva, morder os lábios, balançar as pernas, entre outros.
Se seu filho apresentar um grau elevado de ansiedade, a melhor coisa a se fazer é procurar ajuda profissional. Isso porque o roer as unhas seria apenas um sintoma de um problema maior e, mesmo melhorando esse comportamento indesejado, outro pode aparecer no lugar.
Roer as unhas é um hábito difícil de tirar nas crianças por 3 razões: as unhas e boca  estão sempre acessíveis, a sensação de alívio (no caso da ansiedade) é imediata e, por uma questão de desenvolvimento, as crianças ainda tem dificuldade com o autocontrole.

 

O que podemos fazer para tentar aliviar o sintoma é:

 

1- Colocar algo com gosto ruim na unha das crianças. Algumas vezes não resolve, mas ajuda elas a, pelo menos, prestarem atenção no ato que, com o tempo, vira automático.

 

2- Deixar as unhas sempre cortadas e aparadas. Quanto mais “cantinhos”, mais tem aonde os pequenos morderem.

 

3- Explicar para a criança, com uma linguagem apropriada, sobre as sujeirinhas debaixo das unhas e a possibilidade de ficar mais doente. Isso ajuda ela a entender o porquê você irá “pegar no pé” dela.

 

4- Ajudar seu filho a identificar quais os momentos que aumentam as chances desse comportamento aparecer e, assim, também melhorar o autocontrole. A criança pode roer mais quando está na frente da tv, numa véspera de prova, no carro, enfim, mostrar pra ela que podem haver antecedentes que aumentam a probabilidade desse comportamento aparecer. Uma vez que ela os reconheça, fica mais fácil prevenir e controlar.

 

5- Quando a criança se sentir ansiosa, tente explicar o que vai acontecer e  achar “saídas” para aquela situação com ela. Ex. A criança está ansiosa porque vai numa festinha que não conhece ninguém. Você pode pensar com ela em algumas alternativas de como se apresentar, ajudá-la a pensar no que falar para as crianças e do que brincar. Se ela se sentir mais preparada, a tensão tende a baixar e  a necessidade de descarregar a ansiedade por meio de alguma compulsão também.

 

Atenção mamães: Sempre procure um profissional se o fato de roer unhas estives trazendo danos à criança como se machucar, ficar envergonhada por conta das unhas ou atrapalhar as relações entre pais e filhos na busca de solucionar o problema.

 

 

 

Capa: Shutterstock

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook