categorias: Vida de Mãe

Fechando 2014 – Empreendedorismo Feminino

2014 foi muito especial. Para quem acompanhou meus textos ao longo desse ano, sabe o quanto para mim foi um ano de quebras. De paradigmas, de conceitos e preconceitos, de ideais. Sair do mundo corporativo e aceitar o empreendedorismo foi sem dúvidas uma decisão de digestão difícil, mas que hoje se mostra acertada.

Não é fácil empreender, mas há suas compensações e elas têm um enorme valor, como poder ter o horário flexibilizado, que pode ser administrado para que sobre um tempo maior para os filhos (que terá que ser compensado depois que eles dormirem, mas tudo bem).

Nessa minha caminhada, tive a grata companhia do 4 M@es. E conforme o tempo foi passando minha coluna ganhou mais leitoras e as leitoras começaram a se aproximar e contar suas estórias.

As que pararam de trabalhar para se dedicar à maternidade e agora, com os filhos um pouco maiores, querem voltar a ganhar seu próprio dinheiro e decidem empreender. As que nunca pararam, estão no mundo corporativo, mas sentem que precisam dar a si mesmas mais independência e o empreendedorismo mostra essa possibilidade. As que já tinham negócio e depois da maternidade fizeram uma adaptação para que os filhos coubessem no meio da loucura de se ter uma empresa ou que a empresa coubesse no meio da maravilha de ter filhos. As que ainda estão se organizando e planejando o futuro para, assim que possível, começarem a se movimentar para empreender.

Então esse texto, já em clima de final de ano, tem que cumprir dois papéis. O primeiro de agradecer. Ao grupo que me deu espaço para falar de um assunto que amo e, de uma certa forma, trabalhar minhas próprias dúvidas e avaliar oportunidades. Às mães que me permitiram conhecer seus planos e seus medos, dividindo comigo angústias, me ensinando com suas experiências e escutando ou lendo minhas sugestões.

O segundo, é de propor uma reflexão. Chegamos ao final de 2014 e logo virá a hora de pensar no plano para 2015. Então aqui entra a minha provocação. Você é feliz na sua vida profissional? Ela te completa? Ela te desafia como gostaria de ser desafiada? Ela lhe traz os benefícios que espera? Você se sente realizada?

Responder sim ou não para qualquer uma dessas questões não significa estar certa ou errada. Nem feliz ou infeliz na vida pessoal. Mas representa olhar para si mesma e avaliar se seus sonhos podem ser maiores, se pode valer a pena se arriscar por uma aventura profissional que lhe compense mais. Ou então avaliar como pode mudar o rumo da sua carreira ou mesmo trocar de profissão. Sair da corporação para o empreendedorismo ou mesmo o contrário, por que não? Até pode descobrir que essa coisa “profissional” não é a sua praia, que você gostaria mesmo de ficar em casa e criar de perto os seus pequenos.

O importante é você se cutucar, se questionar, se incomodar para entender o que pode ser melhorado. Porque passar 8 horas por dia, 5 dias por semana sonhando com o momento de ser mais feliz tem que te levar alguma hora à ação. Se há uma oportunidade aqui, será que tem que agir agora?

Faça seus planos, escreva num papel, desenhe um cronograma, dê o primeiro passo. Tenho certeza que o ano novo reserva muitas realizações para nós. E, se precisar de qualquer ajuda, ainda estaremos por aqui. Que venha 2015.

colaboradores-fernanda Fernanda Nascimento
 - Mãe do Bernardo e do Vicente
 - Mais de 21 anos de experiência em marketing 
 estratégico. 
 - É especialista em marketing digital e branding, 
 com passagem por grandes multinacionais como 
 o grupo americano Danaher e a alemã Volkswagen.
 - Diretora de Desenvolvimento de Negócios 
 da Rede Mulher Empreendedora. 
- sócia da Stratlab, consultoria para PMEs na área 
de Desenvolvimento de Negócios e Planejamento Estratégico, 
incentiva a inovação para resultados mais rápidos e 
a digitalização do marketing para a certeza da conversão em vendas.
www.stratlab.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook