categorias: Vida de Mãe

Cartilha da Babá – Dicas para contratar

Este assunto é sempre polêmico e cada uma de nós tem a sua própria opinião.

O fato é que, quem depende da babá para deixar os pequenos, precisa estar sempre alerta.

Afinal, elas passam boa parte do tempo cuidando do nosso bem mais preciso.

Quem me mandou essas dicas foi uma amiga e psicóloga, Adriana Micelli Baptista,  que trabalhou durante anos com seleção de babás, uma “cartilha” para nos ajudar nessa escolha, que está se tornando cada dia mais difícil.

Vamos lá.

 

Para selecionar uma babá é sempre bom marcar uma entrevista e já pedir para ela trazer os seguintes documentos:

 

– RG;

– CPF;

– Comprovante de residência (que nem todas têm);

– Carteira de trabalho;

– Cartas e telefones de referência que ela tenha;

– Certificados de curso que tenha feito.

 

O ideal é tirar uma copia dos documentos que a babá trouxer.

 

Com os dados do RG você pega pela internet se existem antecedentes criminais.

Mas fique alerta, às vezes o sistema de dados do Tribunal de Justiça pode falhar. Quando isso acontece, a pessoa tem que ir a um poupa tempo e pedir pessoalmente o atestado de antecedentes criminais.

Nem todas as mãe pedem, mas infelizmente hoje em dia esse documento é muito importante.

Antes mesmo da entrevista, importante já saber qual a disponibilidade dela, por exemplo se pode dormir, caso seja o seu interesse (tem mães que precisam para dormir e aí as que não dormem nem adianta entrevistar).

 

É importante ver as experiências em carteira e pedir os telefones para checar. O ideal são os telefones fixos. Muitas passam referências falsas, que são fáceis de perceber.

Não esqueça de ligar e checar como foi o trabalho da babá nos outros empregos, se ela se dava bem com outros funcionários, o motivo da saída, etc.

Para a baba é importante que ela conte as experiências que teve, por exemplo, porque ou como escolheu ser babá e o que ela mais gosta na profissão.

 

Se você tiver um bebê, deve pedir para ela descrever como era a rotina do bebê que ela cuidava. No caso dela não ter cuidado profissionalmente, mas dizer que teve filhos, ou algo do gênero, peça para ela descrever como é a rotina de um bebê de x meses.

 

Se ela não mencionar, faça perguntas sobre como era higiene ao cuidar dos bebês, como cuidava das mamadeiras, como esterilizava, etc. Pergunte também se ela fazia diário do bebê para as mães que trabalham fora e, ainda, que dados ela anotava do dia a dia do bebê.

 

Se ela disser que tem experiência com mais velhos, pergunte como era a rotina também, se ela brincava com eles, quais brincadeiras ela gostava de fazer. Isso é importante porque daí você já percebe se a pessoa gosta mesmo do que faz.

 

Se ela disser que fazia a comida das crianças, perguntar mais detalhes, tais como, o modo de preparo e ingredientes que usava.

 

Com relação à escola, pergunte se ela que cuidava do material, se ela via a agenda de classe para mãe, se combinava atividades extra-escola com amiguinhos, se era ela quem levava a cursos extras, etc.

 

Dependendo da função que a mãe queira que a babá exerça, é importante deixar claro e perguntar se será possível. Exemplo: algumas mães querem babás arrumadeiras, ou seja, que arrumem a casa toda e não só as dependências do bebê. É bom acertar essas funções antes.

 

Importante perguntar como cuida de roupas e passar todas as regras da casa em relação a isso.

Pergunte sobre a família dela, marido, filhos, idades, quem vai cuidar dos filhos dela enquanto ela trabalha, se o marido não se importa que ela trabalhe, o que o marido faz.

Se ela tiver feito cursos, pergunte como foi o curso, se achou que aprendeu algo novo, contar algo que gostou. Pergunte se ela segue alguma religião, se pode usar calça no caso do uniforme. A questão do uso de uniforme deve ser informada antes.

 

É fundamental fazer um acerto em relação aos horários de entrada, saída, feriados, valor de condução, vestimentas, salário e período de experiência.

 

Por fim, parece besteira, mas já tive alguns problemas, é importante perguntar se a pessoa gosta ou não de animais como cães ou gatos, ou outros que habitem a casa. Muitas famílias têm animais de estimação e se a pessoa não tolera ou tem alergia, não haverá condições.

 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

7 comentários

  1. Renata

    Muito boa Kiki.

  2. Rafaela Rodrigues

    Conheci o blog praticamente hj.
    Amei as dicas de como fazer uma entrevista com a babá.
    Rafaela

  3. Clareane Brisac

    Otimoooo!!!

  4. Luiza

    Outra coisa importante é a questão do cigarro. Uma vez tivemos uma moça que trabalhou aqui em casa por UM DIA: Na entrevista, perguntamos se ela fumava e ela disse que não. Ok. Depois, entrei na cozinha e ela estava fumando na janela da área de serviço. Na mesma hora ela disse que precisava sair pra comprar um remédio e não voltou nunca mais, deixou roupas e tudo, eu hein !!!!!

  5. Thatiana

    Certa vez li uma entrevista da Denise Fraga, falando sobre o tema ” como entrevistar uma babá”. E após entrevistar muitas, ela criou um método próprio, fazendo perguntas do tipo: “como foi sua infância, me conte algum fato marcante”, ou então “porque vc resolveu trabalhar como babá?”. Parecem perguntas bobas, mas as respostas podem revelar muito sobre a entrevistada. Eu trabalhei muitos anos como babá, hoje voltei a trabalhar como baby-sitter e tenho amor pelo que faço, com certeza existem muitas outras mulheres que amam essa profissão e trabalham com muito amor e competência, não tenham pressa, entrevistem várias candidatas, em algum momento encontrarão a pessoa que se encaixa perfeitamente na função!

  6. Renata respondeu Thatiana

    Q Ótima observação Thatiana, é isso mesmo!!! Uma hora acertamos!!! Um beijao RE

  7. Renata

    Se der peça para ela fazer alguma atividade com a criança, como: trocar a fralda, dar uma mamadeira, contar uma historia. Dai já dá pra ter ideia se ela tem jeito ou não. Importante também observar a reação da criança, que são sensiveis, e a energia da babá pode não “bater”. Tive um problema assim, a babá era boa, mas minha filha estranhou e ficava irritada, tive que trocar no segundo dia. Ou seja, a criança também precisa aprovar!!