Posts publicados

categorias: Receitas

Batata doce na alimentação infantil?

Claro que sim!!!

De alto valor energético a batata doce possui grandes quantidades de carboidratos, e podemos considera-la um superalimento para as crianças, ela faz parte do grupo dos tubérculos (vegetais que armazenam reserva nos seus órgãos subterrâneos), assim como a batata, a mandioquinha salsa, o cará, o inhame, a mandioca e seus substitutos.

Alem de dar o pique que as crianças precisam para se exercitar, brincar e estudar a batata doce ainda possui excelente valor nutricional que afeta positivamente a saúde dos pequenos.

VITAMINA A: Fundamental na visão, sistema imunológico, pele e divisão celular.
VITAMINA C: Excelente antioxidante que aumenta as defesas do corpo e a potencializa a absorção de ferro
VITAMINAS DO COMPLEXO B – NIACINA: Essencial nas reações de liberação energética.
FERRO: Faz o transporte do oxigênio no sangue, aumenta a imunidade, afasta a anemia, palidez, insônia e caries.
FOSFORO: Ativa as vitaminas do Complexo B, trabalha em dupla com o cálcio construindo o esqueleto e melhora nossa resistência orgânica.
POTASSIO: Importantíssimo para o bom funcionamento do corpo auxilia na hidratação e contração muscular.
A batata doce é rica em fibras, e por isso tem seu efeito funcional: Pois aumenta a absorção de nutrientes; Aumenta a velocidade do transito intestinal; Promove saciedade; Facilita o movimento do bolo alimentar; Auxilia na redução do colesterol sérico;

 TIPOS DE BATATA DOCE

1. Branca: conhecida como Angola ou Terra-nova, sua polpa não é muito doce e é mais seca que as outras.
2. Amarela apresenta um grau de doçura superior à branca.
3. Roxa de polpa e casca arroxeadas é a mais apreciada e muito utilizada em pratos doces.
4. Avermelhada conhecida como coração-magoado no nordeste, sua polpa é amarela com veios roxos ou avermelhados.

 BENEFÍCIOS DA BATATA-DOCE

1. Ótimo alimento para ser consumido antes do exercício por conter baixo índice glicêmico e assim ser lentamente absorvida, proporcionando energia constante durante atividades físicas, principalmente anaeróbias.
2. Grande aliada da saúde, pois é rica em importantes nutrientes;
3. Auxilia nos processos de emagrecimento e a controlar o açúcar no sangue.

 COMO ESCOLHER

1. Escolha as que se apresentem integras.
2. Evite as expostas a baixas temperaturas, pois apresentam seu sabor alterado.
3. Evite as raízes: Com início de brotação; Com podridão – dano patológico e ou fisiológico que leva à decomposição; Desintegração ou fermentação em qualquer grau; Murcha – desidratação visível; Esverdeamento; Queimadura – dano na polpa causado pela incidência direta do sol; Lesão – dano mecânico não cicatrizado com exposição da polpa; Deformação grave – defeito de formato que impeça o bom aproveitamento; pois reduzem seu valor nutricional e durabilidade.

 COMO CONSERVAR

1. Conservar em local seco, fresco até 15°C e bem ventilado por 10 dias; Neste caso,
2. Não é aconselhável colocar as raízes em saco de plástico, pois a brotação será acelerada e a durabilidade reduzida.
3. A batata-doce só deve ser mantida em geladeira por curtos períodos de tempo, na parte baixa e em sacos de plástico para evitar o ressecamento.

 COMO CONSUMIR

1. As batatas doces consomem-se cozinhadas: podem ser cozidas, assadas na brasa ou forno, na forma torta, purês, Paes, biscoitos, panquecas, doces, compotas, chips, etc.
2. Pode ser consumida no café da manha no lugar do pão, e com casca desde que bem higienizada;
3. É recomendável quando cozer a batata doce ser com casca através do cozimento por vapor para que não haja perda de nutrimentos hidrossolúveis, como vitamina C, B6 e ácido fólico.
4. Evite a batata doce frita, pois aumentara valor calórico e reduzira valor nutricional.
5. As folhas podem ser consumidas refogados ou em sopas.

 RECEITA - CHIPS DE BATATA DOCE GOURMET

chip efeito
Ingredientes:

• 2 Batatas Roxas cortadas Francesas
• 1 Batata Branca cortada a Francesa
• 4 Cravos da índia
• 1 Colher de (café) erva doce
• 2 Colheres (Sobremesa) óleo de coco orgânico
• 1 Colher (café) de canela
• 2 Colheres (Sopa) de açúcar mascavo
• Suco de uma laranja
• Pitada de sal

Modo de preparo:

Adicione as batatas em uma assadeira e regue com os temperos acima e 1 col. de sopa de açúcar mascavo, mexa e cubra com papel alumínio e leve ao forno 20 minutos. Retire o papel alumínio verifique se estão macias regue com óleo de coco, o sumo da laranja, e o restante do açúcar e volte ao forno por mais 15 a 20 minutos.

colaboradores- karyna-pugliese  Karyna Pugliese,
  Nutricionista Clínica e Esportiva - CRN 11651,
  Mãe do Ghad de 2 anos.
  www.clinicaolimpiadas.com.br
categorias: home

Bateu aquela vontade de doce…

Dicas preciosas da nutricionista Dra. Juju Pedersoli Piscitelli para quando bate AQUELA vontade de devorar um docinho…

 

ChocolatraVocê é daquelas que não consegue ficar sem comer doce ou precisa ingerir logo depois do almoço ou pela tarde? Quando começo a analisar a dieta destas pessoas sempre encontro deficiências de minerais e vitaminas, ingestão inadequada de alguns alimentos, longos períodos sem comer, fora problemas emocionais e ansiedade descontrolada. Identificou-se com algum?

 

Mas porque isso acontece comigo?

 

Se há uma vontade de doces no final do dia pode ser uma deficiência de serotonina que está aliada a deficiência de vitamina B6, B9, B12, zinco, magnésio, triptofano e outros.

 

Outro fator bastante comum também é ficar longos períodos sem se alimentar e haver um aumento do hormônio do estresse, o cortisol, que é responsável por aumentar a energia no nosso corpo e para isso ele emite sinais no cérebro para que haja uma ingestão de energia, no caso de alimentos ricos em calorias como doces, massas, guloseimas, pães e outros.Doces

 

Enfim, para tentarmos reduzir essa compulsão por doces e outros alimentos como JUNK FOOD, seguem algumas orientações:

 

1. Uma dica interessante para diminuir a vontade de comer doce é no café da manhã ingerir geléias (diet), sucos naturais e frutas docinhas. Isto ajuda no decorrer do dia a procurarmos menos doces.

 

2. Outra dica é consumir suco de açaí sem xarope de guaraná com banana (rica em triptofano) no período da tarde.

 

3. Alimentos ricos em triptofano são morango, banana, figo, nozes, feijão, lentilha, entre outros. Há uma fruta chamada PITAYA, há pouco tempo ficou conhecida no Brasil, onde seu extrato é um suplemento muito utilizado para diminuir a compulsão por doces. Essa fruta é exótica e linda, mas sua polpa é parecida com a do kiwi em consistência e sabor, porém na cor branca, parecendo um sorvete de flocos!!

 

4. Outra forma é a suplementação via oral de compostos que, quando combinados, ajudam e muito a diminuir a compulsão por carboidratos e doces, que podem ser indicados por um médico ou nutricionista na forma de cápsulas, spray sublingual e balas de colágeno (que já tratam a flacidez de pele também).

 

Não há milagre para emagrecer senão buscarmos uma reeducação alimentar e a prática saudável de exercícios físicos, mas FELIZMENTE meninas, existem hoje no mercado algumas ferramentas que nos ajudam a conseguir passar por este processo de forma mais tranqüila, sem passarmos fome e auxiliando justamente naquilo que atrapalha o sucesso da dieta.

 

Um beijo a todas,

 

Dra. Juju Pedersoli Piscitelli
Nutricionista

categorias: home

A importância da alimentação da mamãe no período da amamentação

Mom´s, mais uma colunista para nosso Blog, Nutricionista Dra Juliana Pedersoli, estreiando também como nova parceira 4 mom´s.

 

Todas nós já sabemos da importância da amamentação para o bebê. Mas e para a mulher? Além de ser um período prazeroso para a mãe e o bebê, o que mais podemos esperar nessa fase?

Os benefícios para a mulher que amamenta incluem retorno ao peso pré-gestacional mais rapidamente e o menor sangramento uterino pós-parto e, consequentemente, menor chance de anemia.

As necessidades nutricionais durante a lactação são maiores do que na gestação, e durante o período de amamentação, a mamãe tem suas necessidades energéticas aumentadas em cerca de 500 Kcal/dia para os primeiros 6 meses de lactação e de 400 kcal/dia nos meses subseqüentes.

Durante a lactação, indica-se que o consumo deve ser no mínimo de 1800 Kcal/dia, e nem sempre a mulher consome a quantidade necessária de calorias para produzir o leite materno, assim como o consumo adequado de água/dia. Se estiver amamentando, o organismo irá retirar a reserva acumulada durante a gestação e da alimentação atual da mulher para fabricar o leite materno.

São vários os fatores associados com a variação da perda de peso no pós-parto, como os hábitos alimentares, ganho de peso gestacional, estado nutricional pré-gestacional, atividade física, tempo de lactação, idade materna. Se a mulher pára de amamentar precocemente (menos de 3 meses), conserva as calorias que seriam usadas para fabricar leite materno e conserva o peso ganho na gestação, demorando mais tempo para voltar ao peso pré-gestacional.

Muitas mulheres, ao darem à luz, sentem-se pressionadas a eliminarem os quilos ganhos durante a gestação imediatamente após o parto.

Mas precisamos entender que nessa fase devemos buscar melhorar a qualidade da alimentação e não cair em dietas radicais com elevada restrição calórica. Buscar retornar a atividade física, fazer massagens e tratamentos estéticos, além é claro controlar a alimentação, são os primeiros passos!

Com acompanhamento nutricional adequado, a mamãe poderá seguir um plano alimentar saudável e benéfico para este momento da sua vida, que proporcionará eliminação gradativa do peso adquirido na gestação sem prejudicar a quantidade e qualidade nutricional do leite produzido, além de ajudá-la a retornar ao seu corpo de antes e recuperar a auto-estima novamente.

 

Dra. Juliana Pedersoli
Nextel (11)7760-6376
e-mail: julipedersoli@hotmail.com