Posts publicados

categorias: Mãe da Semana

Pitti Leão – Mãe da semana

Como quase todas as mães da semana, quando vi a mensagem da Renata, fiquei emocionada, feliz e tensa e ao mesmo tempo. Aceitei na hora. E aí já comecei a pensar… “Ai meu Deus, o q vou escrever?”

Depois de mil textos que escrevi na minha cabeça, chegou a hora de colocar no papel.

Bom, meu nome é Fernanda mas a maioria das pessoas me conhece por Pitti. É meu apelido desde pequena. Fernanda só era usado qdo minha mãe estava brava… Tenho 1,50m e sempre fui “pititinha”… Pitti veio daí. Tenho 37 anos, sou casada e tenho 2 filhos, Rafael 7 anos e Joaquim 4 anos.

Me formei em arquitetura e urbanismo mas nunca exerci. Trabalhei muitos anos em agência de design e hoje trabalho com personalização, festas e gifts corporativos na empresa que abri com uma amiga. Sou católica e conheci o Edu na igreja, na verdade conheço ele desde que eu nasci… Começamos a namorar com 16 anos e eu era muito nova e muito ciumenta… Terminamos 4 vezes e na última vez ficamos 2 anos separados. Nunca perdi o contato com a família dele e isso era pior… mas com ele, encontrei algumas poucas vezes nesse tempo. Fiquei mal, deprimida, namorei outros, me recuperei e mudei muito. Me tornei mais segura e menos possessiva. E então nos reencontramos e resolvemos tentar de novo.

Deus já tinha pensado na nossa vida juntos, mas eu precisava dar umas cabeçadas pra ser uma pessoa melhor… Hoje eu enxergo assim. Namoramos mais uns 3 anos e finalmente casamos, no dia 07/07/07. A família toda estava em festa, pois torciam muito por nós! Com 9 meses de casada engravidei do Rafa. Foi uma surpresa, nada programado. No início ficamos bem preocupados, o apartamento ainda nem estava pronto… Tinha planos de viajar, curtir… mas logo a alegria tomou conta de nós. O Rafa nasceu e quando estava com 2 anos já queríamos ter outro. Engravidei de novo, e veio outro moleque, o Joca.

Logo que o Rafa nasceu, comecei a ficar em crise com meu trabalho, pois exigia muito de mim, saía tarde, trabalhava finais de semana…. Eu deixava ele as 8h e pegava as 20h já de banho tomado e muitas vezes dormindo. Nesse tempo, me juntei com uma amiga que tinha trabalhado comigo numa agência e resolvemos montar a nossa empresa. Ela me ajudou a prepaparar tudo e na festa de 1 ano do Rafa, nasceu a Papel de Pano. Montamos um blog, escolhemos o nome e começamos. Mas eu não podia me dar ao luxo de largar tudo e entrar nessa, então fiquei por um bom tempo trabalhando mais ainda… jornada tripla. Durante o dia na agencia e nas madrugadas e finais de semana dividindo entre a Papel de Pano e a família. Foi um “investimento” bem sacrificante, mas valeu a pena. Começamos em 2009 e quando o Joca nasceu em 2011, tomei coragem e pedi demissão. Aí poderia me dedicar mais à minha empresa e estar mais presente em casa, na educação dos meninos. Não que seja fácil trabalhar em casa, mas eu precisava tentar, pois a empresa estava indo super bem e era a minha chance de poder conciliar as 2 coisas: maternidade e trabalho.

Quando o Joca tinha 10 meses, eu eu o Edu resolvemos fazer uma loucura! Vendemos o nosso apartamento, compramos uma casa velha caindo aos pedaços e resolvemos construir a nossa casa. Hoje quando penso, não sei como tive coragem. Guardamos todas as nossas coisas na garagem do irmão do Edu e fomos morar com minha sogra, num apê pequeno de 2 quartos. A obra atrasou e depois de 1 ano mudamos p/ o apartamento da minha avó que estava vazio. Mais um ano turbulento se passou…. muito trabalho, muitos problemas, atrasos, o $$ acabou, o empreiteiro largou a obra… etc. A obra iniciou em novembro de 2012 e só em fevereiro de 2015 conseguimos mudar! A vida agora finalmente começaria a entrar nos eixos de novo. Os meninos mais velhos e mais independentes… e sem grande parte das preocupações da casa nova. Mas, parece que ainda não era hora de descansar. No início de março desse ano, o Edu sofreu um acidente de moto, foi grave, mas ele ficou bem… com a perna bem inchada e o punho quebrado. Gesso até o ombro por 60 dias e risco de ter q fazer uma cirurgia. E uma semana depois, no dia 10 de março, o Rafa foi internado com suspeita de leucemia. Meu mundo caiu… me culpei muito pelo período da obra em que demos pouca atenção pros meninos. Achei q a culpa era minha, que eu tinha sido relapsa, tinha deixado passar… Como eu não percebi antes? Como??? Foram 5 dias intermináveis de internação e no fim a doença foi confirmada. Ele estava mesmo com leucemia. Estava muito no início e isso era ótimo. Ele nem teve sintomas. E a chance de cura é alta… 80%. Mas que mãe não pensa nos 20% que não cura?? Me lembro da sensação de querer acordar… Parecia um pesadelo, que não era verdade. Não era possível… meu filho, com câncer… eu olhava pra ele e só conseguia imaginar como seria minha vida sem ele. O Joca, tadinho… tive q deixar na casa dos tios todos esses dias, ele sem entender muito bem o que estava acontecendo, com saudades, preocupado… O Rafa… um santo, super alto astral, só me lembro dele perguntando: “Mamãe, mas pq eu tô internado se eu me sinto bem?” E eu sem saber o que responder…. E o Edu… com a perna inchada, muitas dores e o braço engessado. Em repouso comigo no hospital. Foi relamente um pesadelo. Deus me carregou no colo, também me lembro da sensação de paz que sentia mesmo no meio desse turbilhão… eu rezava muito, acordava todas as madrugadas para rezar. Eu sempre fui muito revoltada, com tudo e todos… sempre reclamei demais das coisas, da vida. Mas Deus me concedeu de aceitar a doença do Rafa. Simplesmente aceitar. Nunca perguntei porquê… nunca me revoltei, de verdade… aceitei, e isso virou a minha vida… o tratamento e a cura do Rafa. Consegui ser forte para conversar com ele, explicar, passar tranquilidade, e acompanhar em cada quimio, cada exame, cada injeção … dia e noite. Tenho um carinho muito especial pelo 4moms, pois tive muito apoio e ajuda. Indicações de médicos, palavras de conforto, mensagens de quem já passou por isso… As mensagens me ajudavam demais. Li TODAS, e foram muitas nos vários posts q fiz… Vi uma corrente de orção pelo Rafa e até na Africa, tinha uma mom rezando por ele. E uma mom em especial que é nosso anjo da guarda, a Juliana Pepe Marinho, enfermeira do GRAACC q me deu todo o suporte pra Rafa conseguir se tratar no GRAACC. Marcou a consulta pra mim e foi me receber no meu 1º dia de GRAACC. Quanto carinho, quanto amor, de uma pessoa que eu nunca tinha visto na vida. Ela foi também, no 1º dia de quimio do Rafa, explicar pra ele do cabelo que ia cair, pegou a veia, colocou a medicação, com tanto amor, que tô aqui feito uma boba escrevendo e chorando.

Hoje o Rafa está bem, está terminando o último ciclo de quimios, e se Deus quiser, entrará na manutenção agora em dezembro. O tratamento está indo bem, ele responde bem aos medicamentos e tem poucos efeitos colaterais. Deus nos dá forças a cada dia, pois entrar no GRAACC não é nada fácil. E o pior é que a gente conhece as outras mães, conversa, se apega e vê tantas crianças partindo… tantas histórias tristes… Tem os casos de cura também, que nos alegram demais, mas saber da morte dessas crianças é difícil demais. E o caso do Rafa é ótimo perto do que vejo por lá. É uma experiência única, mas não desejo pra ninguém. Sou muito melhor hoje, mais humana, mais solidária, mais preocupada com o próximo. E agora estou assim… mãe fulltime, cuidando do Rafa: acompanhante, enfermeira, amiga, confidente, saco de pancada…. cuidando do Joca que está super carente e chorão, e que sofre muito de ver o irmão passando por tudo isso, e sofre tambem um suposto “abandono” por termos que dar tanta atenção pro Rafa.

Eu e o Edu estamos bem, mas com aquele peso nos costas e preocupação constante que não nos deixa relaxar. E sem trabalhar, pois abandonei meu trabalho em março e minha sócia/irmã/amiga ficou cuidando de tudo sozinha. Agora estou começando a retomar um pouco e minha expectativa pro ano que vem é de uma vida nova.

Eu era: profissional, organizada, sem jeito com crianças, achava que minha vida era corrida

Depois da maternidade, eu sou: feliz, completa, louca, bagunçada, sem tempo pra nada

Como descobriu a primeira gravidez: atrasou e fiz teste de farmácia

E a segunda: fiz muitos testes de farmácia, pq queria engravidar e não conseguia… um belo dia, voltando de férias, passamos um susto na estrada de madrugada e chegamos em casa muito agitados… não conseguíamos dormir… tenho certeza que esse foi o dia da concepção do Joca!

Pretende ter outros: sim, queria muito uma menina

Trabalha: Sim,na maioria das vezes em casa. Outras vezes no atelier, em compras ou em montagens de eventos.

Babá ou escola? Escola e a empregada ajuda durante a semana. Mãe, sogra, tios aos finais de semana… pq as vezes trabalho nos finais de semana, esse é o lado mais difícil de trabalhar com festas

Por que optou por isso: prefiro q eles estejam com a família, não digo que nunca terei, mas não gosto muito de babá.

Melhor distração: viajar, ver filmes, seriados, novelas, corrida

Ícone: minha mãe e meu pai! Brigamos tanto qdo eu morava com eles, mas hoje q sou mãe entendo como é difícil. E vejo o qto ela se desdobra pra me ajudar. Esteve ao meu lado o tempo todo qdo eu mais precisei. E meu pai, com suas poucas palavras mas q sempre me ensina tanto e está sempre presente. Amo demais!

Ser feliz é: ter saúde, ter os filhos com saúde

Horas de sono por noite: 5 / 6

Um programa inesquecível: as férias do ano passado, no Vale Suíço… foram poucos dias mas inesquecíveis… e todas as minhas luas de mel com meu marido… que tentamos fazer 1 x por ano

Uma dica para as futuras mães: aproveitem pra dormir agora… pq depois… never more e façam exames de sangue períodicos nos seus filhos, se informem pq o câncer infantil muitas vezes é silencioso mas ele existe e acontece muito mais do que imaginamos. Odeio ter q falar isso pras pessoas, eu mesma nunca quis nem ler sobre cancer infantil, e não sabia q um dos sintomas da leucemia era as manchas roxas no corpo. E foi o único sintoma q o Rafa teve.

Pitti x Pitti: não sei muito falar de mim, mas sempre me achei fraca, incapaz de lidar com o sofrimento e hj me sinto mais confiante, pois tenho certeza q na hora certa Deus nos dá a força q precisamos


pitti1 pitti2 pitti3 pitti4 pitti5 pitti6 pitti7

pitti8

categorias: Mãe da Semana

Mãe da semana – Natali Baraqueth Kikuchi

Ebaaa! Jura que eu fui a honrada da semana? Entre tantas mães, tantas historias divertidas e motivadoras, eu vou humildemente contar a minha?

Que legal! Então vamos lá…

Me chamo Natali, tenho 29 anos, casada. Me casei com 23 anos e não pensava em ser mãe tão cedo, já estávamos ha 14 anos juntos entre idas e vindas, casar, dividir o teto e o porta escovas de dentes já seriam suficientes pelos próximos 3 ou 4 anos… Até que, “ah, não vai dar nada! Chegando da viagem eu tomo a pilula e tudo certo!” Haha, pegadinha, menstruaçao atrasou e pluft! Ficamos tão felizes, fui fazer o beta, e estava muito baixo, corremos pra US e nada! Nadinha mesmo, chorei, questionei o Papai do Céu, pedi, mais uma chance, tudo o que eu queria era ter visto meu bebê naquele monitor!

Bom, mais rápido do que imaginei, 2 pauzinhos…. Beta altíssimo! Uhuuul, vamos pro US la estava ele, o embrião, o saco gestacional, porém, sem batimentos cardiacos, porque meu Deus??? Choramos muito, mais uma vez! Tudo o que eu queria era ouvir o coração do meu bebê!

Em 3 meses, mais 2 pauzinhos… (juro que tenho TV e não sou um coelho! Kkkk) agora sim, agora vou ouvir o coraçao do meu bebê! Ouvi, na primeira US, na segunda, soube que era menina! Mas já não ouvimos mais os batimentos, perdi mais uma vez! Sim, perdi mais um bebê, e dessa vez já estávamos de 4 meses, tinhamos iniciado o enxoval, ela tinha até nome!

Mas sabem? Os planos de Deus são assim, confusos, a gente não consegue decifrar os códigos, mas afirmo, são perfeitos… Eu desisti, ia iniciar os tratamentos e para fazer um dos exames (que tem que colocar uma câmera dentro do utero) era necessário um betaHCG de 3 dias, então fui fazer, nem liguei pro resultado! Mas quando ele chegou, nunca vi tantos números num exame de sangue, nem me animei, contei mas duvidei, fui na medica pra fazer o US e lá estava ele, formadinho, lindo, enorme, já de 3 meses!

O Vitor, meu primeiro grande amor, parei de teabalhar e me dediquei a ele! Logo depois dele, eu engravidei da Heloísa, minha doce princesa, que não para um minuto! Como pode? Deixar a gente tão zureta com 1 ano de idade né? E vc arruma a gaveta, vira de costas e ela tirou tudo de dentro e ainda ri da sua cara? Faz parte e eu curto muito tudo isso!

Espero que tenham curtido saber um pouco da minha estória!

Beijos moms

 

Eu era: festeira, bagunceira, dorminhoca

Eu sou: festeira infantil, chata pra caramba com bagunça, zumbi

Como descobriu a 1ª gravidez: descobri num exame pre natal

Como descobriu a 2°: Descobri porque meu marido queria sair pra uma formatura mas queria ter certeza que eu poderia beber! Deu defeito e eu que voltei dirigindo rs

Quer ter outros: Sim, assim que eu ganhar na mega!

Trabalha: Tenho uma empresa, mas esta parada até a Helô ir pra escola! Quero estar perto deles! Graças a Deus e ao meu marido lindo que me deu essa chance

Melhor distração: Nossa! Que tenso! Acho que estou precisando ver isso ai, pq não sei o que responder! Preciso de um tempo pra mim né? Rsrs

Ícone: minha sogra e minha madrinha

Ser feliz é: tomar banho de 15 minutos com seu creme favorito, ir a praia sem ter que fazer um castelo e ficar com o cofrinho cheio de areia a mostra! Hahaha brincadeira, isso sim é ser feliz!

Horas de sono: 3 horas, levanto, mama, levar o mais velho pra fazer xixi depois mais 4.

Um programa inesquecível: Meu aniversario comemorado no parque da Monica com meus filhos, afilhado e amiguinha do filho

Uma dica para as futuras  mães: Não parem de trabalhar, só diminuam a carga horaria, sejam amigas, e não descontem suas irritações do dia a dia nos seus filhos!

Natali X Natali: Divertida, detesta mimimi, adora ser mãe, mas so soube disso depois do primeiro “mamã ” que ouviu!

natali natali3 natali2

categorias: Mãe da Semana

Juliana Spehar

Meu inbox apitou, olhei a notificaçao: Renata Costa! Caracaaaaaaaa, o que será que ela quer falar comigo? Normalmente, eu que a chamo para perguntar isso ou aquilo, dar ideias, sugerir…será que fiz alguma postagem errada? Bom, como boa virginiana que sou, super controlada, cuidadosa, pessoa que detesta errar e magoar os demais, curiosaaaaa, fui logo olhar, e para minha surpresa, era o convite para ser mãe da semana! Ploft, morri, que honra!!! Claro que aceitei logo de cara, e depois pensei: Será que sou capaz de escrever um texto para o 4maes?Bom vams la né….

Meu nome e Juliana Spehar, tenho 38 anos, sou formada em administração e comercio exterior, e desde que me formei, há 18 anos tenho uma corretora de seguros.

Comecei a namorar muito cedo, era apaixonada por um menino que morava perto de casa, mas ele era daqueles meninos que todo mundo conhecia, popular, que beijava todas as meninas, e eu? Nada popular, super tímida, fui gostar do cara errado, saco!!! Porem, ficamos amigos, começamos a sair juntos, ele vinha em casa para conversarmos, e um belo dia acabamos ficando. E eu, logo pensei: já era, um beijo e nada mais….porem Papai do Céu foi muito bom comigo, namoramos 8 anos e nos casamos, qdo eu tinha 24 e ele 25!

Depois de 3 anos de casamento, estávamos em casa e o papo baby surgiu, lembro que mencionei que tinha ovário policístico e que isso dificulta engravidar. Resolvemos então, tentar, sem pressões e sem contar pra ninguém. Outubro nada, novembro veio e minha menstruaçao atrasou e logo no primeiro dia fiz o teste de farmácia, não acreditava estar gravida, minha menstruação nunca foi regulada. Quando os dois pauzinhos apareceram, eu não sabia o que fazer, se ria ou se chorava, se saia da privada, se ficava la, se guardava o teste, e qdo falei para o Marcelo só ouvi um: Obrigada minha Santa!!!! Ele tem uma santinha do lado da cama para quem ele reza todos os dias! Do mesmo jeito que não gosto de surpresas, não sei fazer surpresa, sai logo contando para todo mundo que estava gravida!!!

Mas tenho um lado meio “negativo” que tento diariamente combater, e logo que engravidei, me veio na kbca, caramba foi muito rápido, muito fácil, isso não é normal! Afeeeee… pois bem, com 6 semanas tive um sangramento, estava na praia, eram férias de janeiro…subi o caminho todo chorando, e em desespero! Chegando aqui a luta foi achar um santo laboratório para eu fazer o exame urgentemente, consegui e fui fazer no mesmo dia! E la estava a escola de samba tocando, um coração forte, lindo e o baby com 2 cms… Repouso parcial, e eu quase não fazia nada com medo de perder meu bb. Mae de primeira viagem, louca para descobrir o sexo, queria comprar tudo que eu via, uma ansiedade sem fim. Queria muitooooo uma menina, mas quando me perguntavam eu dizia,  ah, tanto faz! Mas meu maior sonho era ter uma princesa para enfeitar, e pra ser minha companheira de toda vida, que pudesse ir ao salão, passear no shopping, e com 16 semanas descobri que teria a Julia, chorava, sorria, gritava de alegria….e obvio que fui logo comprar o primeiro macacão da minha JULIA!!!! Logo depois percebi que a Julia estava mexendo, mas achava que era cedo pra isso, na consulta do pre natal, comentei com a medica e para minha surpresa a Julia “mexeu”, sqn….estava tendo contrações!!!! Agora o repouso era absoluto! E eu segui a risca, pois o que mais me importava era manter minha princesa em segurança e saudável! Pra quem é medrosa, como eu, e as vezes chega a ser pessimista, imaginem como foram os meses que se seguiram. A cada ultrassom era uma agonia, um medo, do que estaria por vir. Durante uma noite, senti a Julia pular na barriga, como se fosse um soluço, mas isso me incomodou muito, e de manhã solicitei pra minha GO um ultra, e vamos la fazer: 29 semanas de gestação e placenta grau 3. Envelhecida antes da hora, o bebe pode correr vários riscos, inclusive havia conhecido uma mãe, com um filho especial por conta de um problema como esse. Meu mundo caiu, chorei muito, entrei em pânico, e o que me restava fazer a não ser conversar com a Julia para que ela me mostrasse quando ficar na barriga não era mais o ideal para ela e pedir ao Papai do Céu que protegesse minha princesa, foi então o que passei a fazer. Com 32 semanas, entrei em trabalho de parto, fui para o hospital e começaram a bateria de exames e como estava tudo bem com a Julia, tentaram conter o parto prematuro, uma semana internada, tive alta num domingo! Segunda a GO liga e eu mencionei o fato da Julia estar mexendo pouco, voltei ao consultório, a barriga tinha diminuído, voltei ao hospital e tivemos que fazer o parto com 33 semanas de gestação. Fiz uma cesárea, as 21:41 do dia 11/07/2005 a Ju nasceu com 2060Kg e 41 cm , não chorou, miou….eu a vi muito rapidamente e quando ela voltou já estava na incubadora. Apesar das vacinas nasceu com síndrome do pulmão prematuro, teve que ser entubada na noite que nasceu para tomar uma medicação e foi para a UTI. No dia seguinte, quando fui visita-la, ela já estava sem o tubo, graças a Deus! Foram 8 dias de UTI, dias intensos, e tensos, eu ficava dia e, só não a noite, pq não permitiam, ao lado dela. Fiquei o tempo todo no hospital, paguei como hotel, pq me recusava a ir pra casa sem a Julia. Quando ela recebeu alta, ela tinha 1825kg, cheguei em casa e a orientação era não receber visitas, as únicas pessoas que a visitaram com autorização do pediatra foram meus pais e os pais do Marcelo e iam de mascara, pois precisávamos a qualquer custo evitar problemas com ela.

Primeira noite em casa: Julia no carrinho, do lado do marido ( sou míope, e morria de medo de acontecer algo e eu não enxergar…) baba eletrônica no meio de nos dois, cismei de levantar, e dar a volta na cama pra olhar ela; Deus age através dos nossos instintos, ela estava engasgando, roxa, eu não sei como fiz a tal manobra, num bb de 1825kg, mas consegui! Refluxo fisiológico, por conta da prematuridade, e a partir desse dia a cama foi compartilhada e o sono da Julia vigiado: revezávamos para dormir, eu, Marcelo, minha mãe e minha sogra!

Julia cresceu, saudável, forte, inteligente, cheia de personalidade, é a minha vida! Ela foi um presente divino em minha vida, a pessoa que me da forças e coragem de levantar a cada dia e pra quem tento ser sempre melhor! Meu maior presente é a minha filha!

Eu era: extremamente controladora, pratica, direta, rápida!

Depois da maternidade, eu sou: menos controladora, nada pratica e totalmente sensível!

Como descobriu a gravidez: com um teste de farmácia.

Pretende ter outros: tentamos há 5 anos o segundinho, que infelizmente não veio…Só Papai do Céu sabe se teremos outro ou não!

Trabalha: Se sim, Baba ou escola? Sim trabalho, mas tenho disponibilidade para estar com a JU, levar e buscar na escola, almoçarmos juntas, ir o dentista, psico, medico, enfim…. Tenho uma pessoa que me ajuda desde que a Julia nasceu, já não e mais baba, mas foi! Super confio nela, e na ocasião  preferi deixar a Ju em casa com ela do que na escola. A Julia foi para a escola somente com 3 anos.

Por que optou por isso: Quando voltei a trabalhar o dia todo, a JU tinha 1 ano e preferi que ela ficasse em casa com alguém de confiança do que na escola. Mesmo pq pela minha disponibilidade poderia ficar em casa com ela nos dias que eu me programasse para isso.

Melhor distração: gosto de assistir series com a Julia, passear no shopping, e viajar sempre que podemos.

Ícone: Tenho alguns: Meus pais, que sempre me ajudaram muito e embora pudessem ajudar mais, me ensinaram que o bom mesmo e conquistar, e ter responsabilidade de correr atrás do que queremos, de sermos sempre corretos e honesto, de não fazer ao próximo o que não gostaríamos que fizessem a nos. Meu avô, que faleceu há pouco tempo, exemplo de pessoa com paz interior, alto astral, calma, que viveu plenamente e com muita saúde, e dirigindo ate os 88 anos de idade. Minha avó: pessoa mega disposta,e ativa do alto dos seus 80 anos de idade faz tudo sozinha. Meu marido: pai incrível, homem exemplar, dedicado, um companheiro, marido, namorado e amante pra vida toda.

Ser feliz é: estarmos todos com muita saúde, juntos!

Horas de sono por noite: sou dorminhoca, no mínimo 8!

Um programa inesquecível: Primeira viagem a Disney….a Ju tinha feito 5 anos! A primeira dela e nossa tb! Foi indescritível todas as emoções que vivemos lá!

Uma dica para as futuras mães: Curtam cada momento, cada etapa, são únicas e passam numa velocidade absurda!

Juliana X Juliana: Sou extremamente critica comigo, e com aqueles que amo, amo fazer amigos, me dedico a tudo e a todos que gosto, me entrego de corpo e alma, às minhas atividades e aos que considero amigos, amo viajar, e também sou chata, impaciente e extremamente ansiosa!

julaianaspehar julianaspehar julianaspehar1 julianaspehat




categorias: Mãe da Semana

Patricia Martins Correa – Mãe da semana

Ter sido chamada pela Renata para ser a mãe da semana foi um grande privilégio e, falar da minha experiência de “ser mãe”, não poderia e não teria como não falar da importância desse grupo maravilhoso que é o 4moms (4m@aes). Mas como assim? Espera aí… já vou explicar!

Primeiramente vou me apresentar: meu nome é Patrícia e tenho 27 anos, sou formada em publicidade e sou mãe do Davi. Sou apaixonada pelo meu Davizinho! Adoro ler, brincar, passear, assistir filmes… enfim, curtir o meu pequeno (que já não é tão pequeno, ele faz 4 anos agora em outubro! Como cresceu rápido!).

Conheci meu marido aos 16 anos e para explicar resumidamente minha história com ele, sabe aquela paixão que temos de adolescente por um cara mais velho quase que platônico (no nosso caso 11 anos, ou seja, eu tinha 16 anos e ele 27 anos)? Então, comigo deu certo e eu me casei com ele! Namoramos por 6 anos e o nosso combinado é que quando eu terminasse a faculdade, iríamos nos casar. E assim foi conforme nos planejamos! Aos 21 anos me casei. Na época eu estava trabalhando num banco e não estava muito satisfeita com o meu trabalho, por isso resolvi sair do meu emprego. Como eu sempre sonhei em ter meu lindo filho e ficar com ele os 3 primeiros anos de vida, resolvi que aquela era a hora para isso! Afinal de contas: eu era jovem, meu marido ganhava o suficiente para termos uma vida confortável, poderia me dedicar integralmente ao Davi pelos 3 primeiros anos e depois emendaria numa pós-graduação para voltar ao mercado de trabalho. Mas a vida nem sempre aceita nossos planejamentos.

Bom, para mim a maternidade foi um grande ensinamento que nem tudo temos controle e nem tudo vai como planejamos. Para começar eu, na minha ignorância de primeira gravidez, achava que ia engravidar logo que começasse a tentar. Daí se passaram um, dois, três meses…e nada! Demoramos mais que imaginávamos, mas graças a Deus em fevereiro de 2011 consegui engravidar do nosso adorado Davi.

Ouvi seu coração pela primeira vez aos 20 dias de gestação! Mágico! E, como sou bem resistente a dor e sou alérgica a quase todos os anti-inflamatórios existentes e anestesias (estou naqueles 2% que lemos nos formulários médicos, sabe?), para mim cesárea era fora de cogitação. Fiz exercícios de Yôga durante quase toda minha gestação para que pudesse ter um parto normal tranquilo. Até que com 34 semanas o meu médico me avisou: “O Davi está sentado e com isso não podemos fazer parto normal, pois o bebê entra em sofrimento fetal e tem risco de sufocamento na saída”. E agora? Passou na minha cabeça mil coisas! Cheguei a ligar para médicos que prometiam fazer uma manobra, proibida aqui no Brasil… cheguei a fazer diversas posições para que o Davi virasse (gente, até de ponta cabeça fiquei kkk) e nada! Com 36 semanas, além dele estar sentado, comecei a perder líquido e precisava marcar a cesárea o quando antes, pois ele já estava em sofrimento fetal! Foi o fim para mim! Fiquei arrasada e assustada! Será que daria tudo certo? Será que minhas alergias não iriam atrapalhar? Será que o Davi ficaria bem?

Foi tudo muito rápido e, graças a Deus, o Davi chegou bem e saudável. O meu parto foi normal, sim. Foi normal, pois o normal é a mãe e a criança saírem bem e saudáveis! O método de ser cesárea ou vaginal não importa. Importa que ele estava bem e sem risco.

Um pouco antes do Davi nascer, cheguei a pesquisar que era comum crianças sentadas terem displasia de quadril (quando o fêmur não se encaixa na bacia) e fiquei alerta sobre isso. Mas no segundo dia de vida dele, veio o médico ortopedista pediátrico do São Luiz conversar comigo: “mamãe, preciso conversar com você. ”  Eu já imaginava o que ele iria falar, mas juro que foi literalmente um soco no estômago quando ouvi essa frase dele. Resumidamente ele me explicou o que era displasia de quadril e todos os riscos, existem diversos graus de complicação e que a do Davi estava um abaixo do necessário de uma cirurgia de médio porte. Além disso, explicou que meu pequeno precisaria usar um aparelho ortopédico chamado “pavlik” (uma das fotos que mandei para a Renata é de uma ilustração do Pavlik) e que eu deveria ir toda semana no escritório dele para arrumar. Mães, imaginem todas vocês, que, como mães de primeira viagem, tem todos milhares de dúvidas, incertezas e medos… bom, eu tinha mais essa: “se eu não ajustar a cada troca de fralda corretamente, o meu filho pode não andar ou precisar de uma cirurgia”. Era assustador ver o Davi com aquele aparelho que se parecia um método de tortura, como esses aparelhos são horríveis (mas necessário)!

patricia4

Infelizmente, muitos familiares e amigos (sim, as pessoas são cheias de opinião inclusive nisso) me falavam: “mas realmente precisa? (eu tinha vontade de falar: “não, gosto de torturar meu filho”) e “ah! Mas eu conheci um fulano que usou duas fraldas e corrigiu! ” (e eu tinha vontade de falar: “sim, porque todos os míopes tem o mesmo grau de miopia…” o grau dele precisava). Mas no final, valeu cada esforço. A displasia dele foi corrigida! Graças a Deus, ao médico ortopedista e a mim, que insisti no tratamento dele. Gosto de falar que tive 3 grandes dias na vida: 1º quando me casei, 2º quando o Davi nasceu e o 3º quando o Davi andou pela primeira vez. Mesmo ele ter recebido alta do pavlik meses antes de começar a andar, sempre ecoava na minha cabeça a fala do médico: “mãe, você precisa cuidar direitinho! O risco é inclusive dele nunca andar”.

Como falei que nem sempre a vida aceita nossos planejamentos, assim que o Davi nasceu meu marido discutiu com o sócio da empresa e resolver desfazer a sociedade. E eu, que tinha planejado ficar com o pequeno até 3 anos exclusivamente sendo mãe, precisaria abrir mão desse meu desejo. Sim, foi difícil. Muitas vezes eu queria de estar com ele, mas ele estava com a minha mãe. O menos pior é que sempre fiz home office, então sempre o tive por perto e consegui presenciar todo desenvolvimento dele.

No começo do texto comentei que o grupo foi muito importante para mim, eis a explicação. Aos 22 anos nenhuma amiga minha tinha casado e muito menos tinham filhos. O mundo: fralda, pediatra, papinha, amamentação, escola… não era algo que elas (e muito menos eu) entendiam. Além disso, o Davi foi o primeiro neto dos dois lados, ou seja, estava literalmente sozinha. O grupo foi essencial para mim! Quantas vezes eu não tinha a menor idéia de como resolver algo e mandava mensagens no grupo! Quantas indicações tive no grupo de fornecedores e médicos! E, quando tive que voltar a trabalhar, quantas clientes tive que vieram do grupo! A interação do grupo é maravilhosa e devemos manter isso, pois muitas mães são “perdidinhas” como eu!

É isso! Obrigada pela leitura e, como sei que muitas mães vão ler isso, quero lembrar a todas que esse é o mês do outubro rosa e vamos nos conscientizar da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Vamos nos prevenir por nós e pelos nossos filhos!

Eu era: Muito relaxada comigo mesmo! Sempre fui uma pessoa “certinha” e planejadora, mas com relação a minha saúde, nunca fui de fazer check-up ou me cuidar esteticamente.

Depois da maternidade, eu sou: mais completa e feliz! Lógico que sinto saudade de muitas coisas que antes tinha tempo de fazer, mas o Davi é uma criança fantástica! Acorda sempre sorrindo e dando bom dia a todos que vê. Ele ama tudo colorido e sempre pede para eu colocar roupas coloridas! Quando coloco vestido, ele fala: mamãe você é uma princesa! Depois que ele nasceu, passei a me preocupar com minha saúde (afinal de contas tinha um serzinho dependendo de mim) e fazer exercícios.

Como descobriu a gravidez: já estávamos tentando por 6 meses, daí todos os meses eu fazia o famoso teste de farmácia. Quando descobri, meu marido estava sentado na minha frente e descobrimos juntos. O engraçado que eu sempre senti que seria um menininho!

Pretende ter outros: realmente não sei! Às vezes quero, às vezes não… só quero engravidar quando realmente quiser 100% como foi com o Davi.

Trabalha: Sim e estou estudando, mas tenho o privilégio de trabalhar home-office, então minha vida acaba sendo mais flexível.

Se sim, Baba ou escola? Escola! (e quando o Davi era pequeno, minha mãe).

Por que optou por isso: Eu sei que muitas mães têm babá, mas eu realmente não confiaria meu filho ser cuidado por uma pessoa estranha! Já ouvi histórias e já presenciei (trabalhando em casa, consigo dar as minhas “escapadinhas” e passear com o Davi) coisas horríveis.

Melhor distração: natação, séries na Netflix e brincar com o meu filho. Todos os dias de manhã eu sou exclusiva dele para brincar!

Ícone: Meus pais! Eles sempre lutaram muito para oferecer tudo para mim e para minha irmã! E hoje em dia eles tem uma paciência incrível com o Davi!

Ser feliz é: ter muita saúde para poder curtir cada segundo com o meu pequeno! Sou muito família, para mim felicidade é diretamente atrelada a minha família!

Horas de sono por noite: ai, ai, ai… não durmo há 4 anos kkk O Davi ainda acorda TODAS noites! Mas, faz parte e passa rápido.

Um programa inesquecível: tive a oportunidade de ir algumas vezes com o Davi na Disney e é simplesmente mágico! Vale cada centavo! É simplesmente incrível ver a magia do lugar e ele olhar para os personagens e ficar encantado! Muitas mães falam que não vale a pena ir quando são pequenos e eu penso o contrário! Tem que ir enquanto a criança acreditar que o Mickey é realmente o Mickey!

Uma dica para as futuras mães: paciência e curta cada segundo! Passa muito rápido!

Patricia X Patricia: tomei decisões que mudaram muito o rumo da minha vida do que imaginava quando era adolescente, mas não me arrependo nunca! Amo muito minha família e cada segundo que passamos juntos!

patricia patricia1 patricia2

categorias: Mãe da Semana

Aleteia M Maschietto – Mãe da semana

Que delicia ser convidada para ser a mom da semana! Quanta honra! Então vou começar me apresentando: Me chamo Aleteia, tenho 39 anos, natural de São Paulo , casada com Marcelo e temos 3 filhas lindas, a Luana de 14 anos, a Alice de 3 e a Clara de 6 meses. Passei toda minha vida em São Paulo, onde fiz desde trabalhos como modelo, a faculdade de veterinária , proprietária de agência de turismo, até funcionária de empresa de computação, faculdade de biologia, propaganda e marketing , professora de inglês e espanhol, e corretora de seguros. Minha diversão era andar a cavalo. Eu fazia hipismo, tambor, baliza e rédeas. Aos finais de semana amava ir a rodeios e shows de música sertaneja, coisa que até hoje amo e faço! Com tudo isso,aprendi muitas coisas diferentes, e tive conhecimento de várias áreas, coisa que sempre me atraiu muito. Adoro a diversidade e variedade das coisas. No entanto duas coisas eu não curto variar, minha verdade e meu marido! Ele eu não mudo, não empresto , não divido e não enjoo. Foi meu único namorado sério, que conheci num rodeio, e por quem eu me apaixonei loucamente, e ainda morro de amores . Namoramos 2 anos, e então eu engravidei. Resolvemos nos casar, e como não podia deixar de ser, diferente em tudo, primeiro fizemos a lua de mel e depois o casamento! Uma cerimônia íntima somente para familiares e padrinhos, em casa. Logo a Luana nasceu, e meu desafio começou! Sem jeito nenhum e pratica zero criei minha filha, com muito sucesso! Buscando sempre ajuda, orientação e com o apoio do Marcelo, tiramos de letra! 2 anos depois de nos casarmos, fomos morar no interior de Mato Grosso, longe pra dedéu. Meu marido foi a trabalho, e tínhamos apenas a Luana. Outra aventura! 11 anos após o nascimento da Luana, veio a Alice, uma menina de ouro e muito sapeca, que trouxe muito mais cor e amor às nossas vidas! Menininha inteligente e sabida! Quando ela fez 2 anos, a cegonha resolveu nos visitar de novo, que susto! Eu estava usando adesivo anticoncepcional! Mas deus assim quis, e a clara veio completar nossa família, que agoratransborda de amor, felicidade e bonecas! Papai fica perdido no meio da mulherada! Olha que sorte, ser amado por tantas mulheres ao mesmo tempo ! Atualmente trabalho em casa, cuidando das nossas 3 princesas, e administrando a casa. Tarefa árdua e cansativa, mas muito gratificante. Sempre fui muito divertida, Amo fazer churrasco com os amigos , sair para jantar , e viajar é minha paixão . Moro em Capivari, interior de Sp, numa casa deliciosa, onde curtimos muito nossa família e temos uma vida pacata. Minha única pretensao é poder fazer minhas filhas serem felizes e pessoas lindas, de alma e coração. que tenham força e sabedoria para trilhar um caminho brilhante e do bem, podendo um dia servirem de exemplos de seres humanos! Parece muito, porém com muita dedicação , amor, e exemplos , tenho certeza que eu e meu marido conseguiremos realizar esse sonho ! Sempre com deus no coração e nas nossas vidas! Hoje agradeço a ele por tudo, e a todas as pessoas que eu amo e me ajudam a viver com alegria. Bem como a esse grupo tão especial que tanto me ensina, me acolhe, me orienta e me faz rir até a barriga doer! Quantas madrugadas chorando de tanto dar risada com os posts! Que delicia! Quero sempre mais! Obrigada por fazerem parte da minha história!

Eu era : baladeira, tranquila, vivia linda e tinha tempo para fazer tudo o q eu queria, achava que sabia o q era amar

Depois da maternidade, eu sou: muito ocupada, mais barriguda, as vezes descabelada, sem tempo para nadinha, muuuuito mais feliz e agora sim sei o que é o amor

Como descobriu a gravidez: na primeira, atrasou minha menstruação 5 dias, fui ao laboratório fazer o exame, e liguei no dia q estava pronto implorando para a atendente me passar p resultado por telefone, era proibido, mas vendo meu desespero, ela passou. Fui contar para meu namorado, chorando. Da segunda vez fiz teste de farmácia, e fui dar a noticia para meu marido que estava no bar tomando um chop com os amigos! Da terceira vez, fizemos nossa princesa numa viagem. Eu estava usando adesivo de anticoncepcional, mas ele falhou!! Quando minha menstruação atrasou, fiz teste de farmácia e depois de laboratório. Meu marido soube antes de mim, e me deu a noticia.

Pretende ter outros: não, já fechei a fabrica, 3 esta ótimo

Trabalha: não

Melhor distração: fazer churrasco, viajar, ir a rodeios e shows, e sair com os amigos

Icone: Garth brooks, meu ídolo e de uma humildade e bondade no coração sem tamanho

Ser feliz é: viver ao lado da minha família, rindo e vendo minhas filhas crescerem com muita saúde, reunir os amigos, viajar para conhecer mil lugares diferentes, ter uma marido maravilhoso só pra mim, comer e não engordar…….

Horas de sono por noite: depende, pode ser 2 horas, ou pode ser 9, mas a media são 7 horas

Um programa inesquecivel: show do Garth books em 1998, e depois em 2015. Conhecer a Disney, e assistir o fantasma da opera na Broadway, acabei com minhas lagrimas!

Uma dica para as futuras mamães: saibam que sempre fazermos o melhor que podemos, independente de como. Então mae já nasce feita! Ah e comprem uma maquina de fazer papinha! Hahahaha

Aleteia x Aleteia: indecisa por natureza, determinada e muito detalhista. Organizada, enrolada, sonhadora. Porem com um enorme coração, adoro ajudar as pessoas que estão ao meu redor, me sinto realizada. Também sou muito confiável, guardo segredo a 7 chaves.


aleteiaaleteia1aleteia2aleteia3aleteia4aleteia5

categorias: Mãe da Semana

Entrevista Especial – Patricia Salvador

Nasci em Campinas e me mudei para São Paulo depois de terminar a faculdade de Relações Públicas, na Puc Campinas. Desde meus 13 anos, trabalhava como modelo. Fiz muitos comerciais, catálogos e revistas. Em 1998, com 20, 21 anos , comecei a trabalhar no SBT, como assistente de palco do Silvio Santos. Participei de inúmeros programas ao lado do apresentador. Paralelo à isso, me formei também em Artes Cênicas pelo Celia Helena. Atuei nas novelas “Marisol” e “Esmeralda” e fiz uma participação na novela “Vende-se um véu de noiva”. Entre os programas que participei estão: Telesena, Tentação do Baú da felicidade, Qual é a Música, Roda a Roda e muitos outros. Em 2006, fui a vencedora do programa “Bailando por um sonho”, a versão brasileira do famoso “Dancing with the stars”. Em 2007, apresentei o programa “Charme”, durante 1 mês, mas férias da Adriane Galisteu. Essa foi uma oportunidade que o próprio Silvio me deu, para me treinar como apresentadora. Depois disso, passei a apresentar o programa “Roda a Roda” junto com ele e não somente como assistente de palco. Apresentei durante 2 anos o programa “Ganhe mais dinheiro com Jequiti”, que era uma espécie de revista eletrônica, que falava sobre moda, beleza, saúde e culinária. Conheci meu marido no grupo Silvio Santos em 2008. Começamos a namorar dois anos depois e logo nos casamos. Tivemos dois filhos. O João Paulo, que nasceu em 17 de Janeiro de 2012 e a Bárbara, que nasceu em primeiro de Agosto de 2014. Depois do nascimento do João Paulo, passei a fazer somente os merchans da Jequiti nos programas do Silvio, além dos encontros Jequiti pelo Brasil e vídeos para consultores. Já depois do nascimento da Bárbara, meu ritmo diminuiu bastante. Ainda sou funcionária da casa, mas estou aguardando novas oportunidades. Aproveito ao máximo o meu tempo com meus filhos e marido, que são minhas prioridades!

 Você sempre sonhou em ser mãe? Como foi a descoberta da gravidez?
Desde pequena eu me imaginava sendo mãe. Sempre achei que essa seria minha maior realização. E realmente foi. Logo que eu e meu marido começamos a namorar, tocávamos muito no assunto. Marcamos o casamento e, antes mesmo da data chegar, meu marido pediu para eu parar de tomar o anticoncepcional, pois ele achava que eu demoraria a engravidar. Eu também achei, pois sempre tive ovário policístico. Mas ao contrário do que imaginávamos, 2 meses depois, estava grávida. Percebi que minha menstruação estava atrasada. Mas isso para mim, não era novidade. Nunca fui regulada. Mas além do atraso, percebi que eu estava indo ao banheiro para fazer xixi além do normal. Achei estranho e procurei na internet se esse poderia ser um sintoma. Em alguns sites, dizia que sim. Resolvi fazer o teste de farmácia. Mas sinceramente, ao mesmo tempo que eu queria muito que desse positivo, eu achava que isso não seria possível, pois foi muito rápido. Fiz o teste já esperando que fosse aparecer somente um linha. Para minha surpresa, apareceram duas linhas! Não acreditava no que estava vendo, estava super nervosa e feliz! Esperei meu marido chegar em casa para contar. Quando contei, ele começou a rir sem parar! Ficamos parecendo dois bobos com a notícia! rs Essa foi a descoberta da primeira gravidez, do João Paulo.

Quando meu filho estava com 1 ano e 4 meses, parei de tomar o remédio para tentar engravidar novamente. Como na primeira vez, dois meses depois estava grávida! Mas a gravidez não evoluiu e, com 2 meses, tive um aborto retido. Precisei fazer curetagem. Sei que isso é muito comum e hoje vejo com tranquilidade. Mas quando aconteceu, fiquei muito arrasada! Segui as orientações do meu médico e apenas 1 mês depois, ele me liberou para tentar de novo. E como das outras vezes, 2 meses depois, estava grávida da Bárbara! Desta vez, contei para meu marido por mensagem. Eu estava com um pouco de medo de dar errado de novo. Não queira me empolgar antes dos 3 meses. Somente depois, contamos para as pessoas.

Como é conciliar a carreira com a maternidade?

O meu trabalho sempre foi muito corrido, mas ao mesmo tempo, tinha o privilégio de poder levar o João Paulo sempre comigo. E assim foi até ele completar 1 ano e meio e ir para a escolinha. E depois que a Bárbara nasceu, ainda não voltei de vez à ativa. Estou aguardando novos projetos e com isso, posso aproveitar mais o meu tempo com eles.

O que mudou na sua vida com a chegada do bebe?

Mudou muita coisa! Costumo falar que a mudança sempre é pra melhor depois que nos tornamos mães. Por mais que não tenhamos noites bem dormidas, tempo para nós mesmas, a vida fica mais feliz, com mais sentido. Hoje não tenho uma vida social intensa, com jantares e festas. Pra falar a verdade, depois que a Bárbara nasceu, eu e meu marido saímos para jantar apenas duas vezes sozinhos. Mas isso não me incomoda. Acho importante um tempo para o casal, mas ao mesmo tempo, acho a Babi novinha demais. Ela ainda mama no peito e fico com medo de me ausentar por muito tempo. Ela está com quase 10 meses e o JP está com 3 anos. O tempo passa rápido demais, por isso, quero aproveitar ao máximo meu tempo com eles. Eu amo ser mãe!

O fato de ser uma pessoa pública “atrapalha” sua vida pessoal e do seu filho de alguma forma?

No meu caso não atrapalha em nada. Eu adoro postar fotos dos meus filhos, da minha família, na internet. E sabe o que é muito legal? Pessoas que eu nem conheço, que me seguem e deixam mensagens super carinhosas, com muito amor. Não conseguiria “esconder” os meus filhos, a minha vida. Quando estou feliz, gosto de espalhar essa felicidade!

Pretende ter outros filhos?

Sempre tive o sonho de ter 2 filhos, um menino e uma menina. E por sorte, o meu sonho se realizou! Vamos parar por aqui.

Tem alguma dica para as mães?
Bom, gostaria de dizer que na maternidade não existe muito certo ou errado. Existe o seu jeito. As informações estão aí, na internet, em blogs, livros, etc… E é muito bom alimentarmos dessas informações para podermos tomar a melhor decisão, seguindo o nosso coração.
Pode dar dicas de cuidados e beleza para as mamães?
Eu adoro me cuidar! Sempre cuidei da pele do meu rosto. Nunca durmo maquiada, sempre uso hidratante para pele oleosa e nunca saio de casa sem filtro solar. Quanto ao corpo, depois da gravidez, ele muda bastante. Acredito que seja assim para a maioria das pessoas. Para voltar à forma física, não existe muito segredo. Tem que fechar a boca. Não tem jeito. Sei que é difícil. No meu caso, é muito difícil ficar longe dos chocolates. Por isso, como um pouquinho todos os dias. Mas quanto à comida, controlo bem. Consigo facilmente fazer minhas refeições de forma saudável, sem fritura ou gordura. Mas já o chocolate, acho difícil ficar sem. Para mim, isso deu certo. Como muita salada, alimentos saudáveis no almoço e jantar. E com isso, consegui voltar ao meu peso rapidamente. E para complementar, adoro fazer tratamentos estéticos. Acabei de terminar um pacote de 6 sessões de Vela Shape e Maximus em uma clínica. Percebi muita diferença na aparência da pele do bumbum e barriga. Mas sei que só isso, não funciona. Tem que ser sempre aliada à alimentação saudável.
patricia-salvador patricia-salvador-4 patricia-salvador-3 patricia-salvador-5 patricia-salvador-2
categorias: Mãe da Semana

Entrevista especial – Carol Minhoto

Sou a Carol Minhoto, apresentadora do programa Você Bonita da TV gazeta! Sou mamãe do João Paulo de 2 anos e um mes! Amo minha profissão e sou grudada com minha familia! Ser mãe e o meu melhor papel!

Você sempre sonhou em ser mãe? Como foi a descoberta da gravidez?

O sonho de ser mãe sempre existiu! Respeito todas as escolhas, inclusive das mulheres que optam por não ter filho, mas realmente ser mãe completa a vida de uma mulher! Sou muito feliz e realizada com esta decisão e benção na minha vida!

Fiz o teste em casa, sozinha! E não acreditava! Como queria fazer surpresa para o maridon e para familia, não podia ligar pra ninguém! Então liguei pra minha medica! Que ficou muito feliz! E comemorei com meu Frederico (filho peludo)!!! Foi demais!

Como é conciliar a carreira com a maternidade?

É uma tarefa dificil, mas extremamente prazerosa! Tem coisa melhor do que passar bons exemplos  para os filhos? E ter uma profissão, trabalhar e amar o oficio, considero um grande exemplo! Hoje o João entende que saio para a TV para trabalhar e ganhar “tu tu” (como ele diz), para passearmos!

Tive uma sorte muito grande. Sou grata eternamente a TV Gazeta, que permitiu que o João me acompanhasse durante todo seu primeiro ano de vida, no meu camarim! Ele ficava la enquanto eu estava ao vivo no estudio! Consegui amamentar, depois curtir a fase das papinhas, e depois das comidinhas! No camarim deixei berço, cadeirão… Tudo para que ele tivesse um super conforto! Apos essa fase meus pais me ajudaram muito ficando partes do dia com ele e hoje ele tem uma rotina na escolinha que é demais! Então acho que a decisão de conciliar a maternidade com a carreira vale a pena!!!

O que mudou na sua vida com a chegada do bebe?

A vida ao lado do meu principe, é incrível! Tudo muda com a chegada do bebe, principalmente, descobrir o quanto podemos amar alguém! Tudo hoje é pensado de acordo com ele, com sua rotina e suas atividades! O casamento então, fica muito melhor!!!

O fato de ser uma pessoa pública “atrapalha” sua vida pessoal e do seu filho de alguma forma?

Não acho que ter a imagem publica nos atrapalha… Mas mantenho a segurança dele em primeiro lugar. Não digo onde ele estuda, não posto fotos de uniforme e na escola eles tem o maior cuidado com isso. Mas acho que deve ser uma preocupação de todas as mães! No geral, ele recebe também muito carinho de fãs minhas e isso e bem bacana.

Pretende ter outros filhos?

Sim!!! É muito amor! Vou amar multiplicar esse amor! Mas ainda não! Quero curtir muito o João, para depois poder ser tão presente na vida de outro filho, quanto sou na dele!

Tem alguma dica para as mães?

Dificil dar dica para outra mãe… Eu sou daquelas que não julgo nenhuma mãe jamais, que todas tomam decisões, por que aquilo é a maneira encontrada por elas, para tudo dar certo! Então eu digo que sigam o coração! Mãe não erra quando segue o coração!

Pode dar dicas de cuidados e beleza para as mamães?

Tenho alguns cuidados já ha alguns anos, mesmo antes de ter o João. Mas claro que depois de ter bebe, o corpo muda… Tudo muda! Então acho que o esforço para ficar bem, tem que ser ainda maior, do que antes!

Não abro mão de exercício e de uma alimentação saudavel. Mãe feliz, filho feliz e marido feliz!!! “Happy wife happy life” rsrsrsrs ou seja, estar com a auto estima alta, pode favorecer tudo em casa!

Sou a favor do esforço e da dedicação. Não e fácil, mas a recompensa vale a pena no espelho e nos exames!

Pra pele acho que manipulações bem feitas para o rosto e barriga, também garantem bons cuidados. Mas no geral, cuidar da alimentação é mais da metade do caminho!!! Além de sermos exemplos para os filhos… Vale a pena!

 

carol-minhoto-1 carol-minhoto-2 carol-minhoto-3

 

categorias: Mãe da Semana

Emanuelle Dias – Entrevista Mãe da semana

Nossa! Estava deitada no sofá, já era tarde e estava fazendo Lorena dormir. Tinha acabado de postar no grupo quando recebi um inbox da Renata… Quer ser mãe da semana? Confesso que sempre vi as historias das mães da semana e pensava, será que um dia eu serei a mãe da semana? E se for, o que eu vou falar? E aconteceu……fiquei feliz, agradeci e já comecei a pensar no que eu escreveria….o que eu poderia falar de mim, da minha história….

Meus pais são cariocas, casaram-se e vieram morar em São Paulo. Eram donos de um Colégio em Moema…estudei minha vida inteira lá e morei no bairro muito tempo, aprontava um monte, deixava meu pai doidinho na escola, kkkkkkk. E não me lembro bem quando comecei a trabalhar lá. Mas, eu já saia da aula e ficava na secretaria atendendo os pais, alunos..enfim…trabalhei no Colégio até 2002, quando resolvemos fechar. E aí cada um foi para um lado. Passamos por um período turbulento, meus pais chegaram a se separar, sofremos, seguramos a barra da minha mãe por que, pra ela estava sendo muito difícil. Até que um ano, não sei bem qual também….o amor prevaleceu e meu pai voltou para casa.  E mesmo com todos os defeitos e depois de tudo que passamos, recebemos ele de braços abertos, sem mágoas. Minha mãe sempre quis isso. E se ela que foi a maior prejudicada conseguiu perdoá-lo por que não conseguiríamos?

Eu sou a caçula de três irmãs….meu pai sempre sonhou em ter um menino e em cada gravidez era uma super expectativa…mas como ele diz, nunca brotou, só rachou rsrsrsrrs!

Tenho mais duas irmãs e temos pouca diferença de idade, a mais velha Marcelle, 42 anos, a Danielle, 38 anos e eu, 36 anos. A Ma namorou a vida inteira, desde os 13 anos. Engravidou com 24 anos, de gêmeos. Em 1997 nasceu Olivia e Ian, meus amores. Sou Dinda do Ian e ele é o xodó já que é o único menino. Eles foram amor a primeira vista….um sentimento que jamais imaginei que existisse. Ela se separou em seguida, mas logo depois conheceu o Ale, meu cunhado e juntos tem a Luiza, quase 4 anos. Dani foi à única que casou na igreja, véu, festa super tradicional. Uma festa linda, amo casamentos, mas nunca foi o meu sonho. Da união dela com o Junior, nasceu a Isabela, quase 5 anos. E enquanto elas namoravam, casavam, eu curtia a vida…

Eu sempre fui super social, rodeada de amigos, independente, saia para tudo quanto era canto, viaja com os amigos, dormia cada semana na casa de uma amiga….aproveitava tudo. Loucuras mil…sempre fui de topar tudo. Minha mãe ficava loucaaaaaaa comigo.

Em 2008 fui morar sozinha. Meus pais se mudaram para uma casa que fica dentro de São Paulo, mas um pouco mais distante. Marcelle foi morar com o Ale, Dani casada e eu me virei. Achei um aptº delicioso para alugar, num bairro que nunca antes tinha ido, a Praça da Arvore.

Lá fiz vários amigos. Tinha um “pé sujo” na frente do meu prédio e foi lá que conheci meu marido em 2009. Ele me convidou para jogar “palitinho” e ficamos bebendo cerveja….Já na madrugada, depois de tantas cervejas e insistência por parte dele, acabamos ficando.

Pra mim, tinha sido só um beijo, mas trocamos telefone, mensagens, papos de madrugada e fomos nos conhecendo….até que um dia sai de um chá de bebê de uma amiga , já meio altinha e resolvi ligar pra ele. Ele passou em casa e depois desse dia não nos desgrudamos mais. Depois de 1 mês de namoro ele já estava morando em casa. Temos uma diferença de idade de 4 anos, eu mais velha! No meu subconsciente já existia a vontade de ser mãe e ele se achava ainda muito novo.

Eu não tomava pílula, não usávamos camisinha….como eu dizia, tomava apenas cuidado, rsrsrsrrs! Quando eu achava necessário, tomava uma pílula do dia seguinte.

Até que em 2011, fiquei dois meses sem menstruar. Achava que estava com algum problema hormonal. Na época estava tomando remédio para emagrecer, tinha passado com o médico e ele me receitou subtramina. Tomei por 1 mês (no mesmo mês que estava atrasada) e quando voltei no retorno não tinha emagrecido NADA. Avisei que estava com a menstruação atrasada e que tinha tido uns enjôos. Ele disse que era normal, pois havia muito tempo que não tomava esses tipos de remédio. Mas, me perguntou se eu queria fazer um teste de gravidez. Não fiz..imagina…não estava grávida (na minha cabeça). Ele me receitou novamente a subtramina, mas achei melhor não tomar, vai que….

No segundo mês atrasada, marquei consulta no ginecologista e dois dias antes da consulta eu e o Rafa decidimos comprar um teste de farmácia, pois a essa altura meus amigos do trabalho, meu chefe, já tinham a certeza que estaria grávida.

Dito e feito….fiz o exame, dois tracinhos apareceram em segundos. Um misto de sensações, medo, alegria, eu chorando de um lado e meu marido do outro lado, no quarto escuro pensando….rsrsrsrs

Na consulta com o médico fizemos o ultrassom. E lá estava meu baby de já com 12 semanas, dando cambalhotas na minha barriga, coração batendo a mil e olhávamos desacreditados. Sim, estávamos grávidos!

Contei para minha mãe pelo telefone. Pedi para meu pai pegar na extensão e contei que eles seriam avós novamente. A primeira coisa que minha mãe falou foi “graças a Deus, achei que   fosse morrer e não conhecer seus filhos”, kkkkkkkkkkk!

Hoje temos a nossa Lorena. A alegria da nossa vida, um amor que aumenta a cada instante, meu marido é enlouquecido por ela e hoje já não consigo imaginar como vivi tanto tempo ser ter um filho. Costumo dizer para as minhas amigas que estão pensando em engravidar que se eu soubesse que era tão bom, já teria tido há muito tempo.

Tive a Lorena de cesárea, por opção minha no dia 12/01/12, com 38 semanas e meia…foi um parto super tranqüilo, sem dor no pós parto. Amamentei exclusivo até o final do 6º mês. Após minha licença maternidade, Lorena ia comigo trabalhar (sim, tenho o melhor chefe do mundo) e assim conseguia amamentar. Ela foi comigo até o 7º mês, após isso deixei Lorena com a minha sogra (que eu amo), as tias do meu marido e a mulher do meu cunhado. Elas se revezavam no cuidado com a Lorena.

Lolo é neta única por parte do meu marido….imaginaram né? Super paparicada e amada.

Do meu lado, não menos paparicada e amanda, Lolo é a neta caçula. Tenho mais 4 sobrinhos lindos, Olivia, Ian, Isabela e Luiza. Ian o único homem rodeado de mulheres, torce para nunca perder o reinado.

Agora estou na luta tentando convencer meu marido a ter o segundinho……ta difícil!!!!!

Eu era: Feliz, sem grandes responsabilidades, baladeira, bagunceira e sem juízo.

Depois da maternidade, eu sou: Tento ser menos bagunceira, sou bem mais caseira, cheia de responsabilidades e muuuuuuuito feliz. Ah, e bem mais ajuizada!

Como descobriu a gravidez: Em casa, a noite, com um teste de farmácia depois de 2 meses com a menstruação atrasada.

Pretende ter outros: Sim. Queria ter pelo menos 3 (que sonho). Mas, pelo marido ficamos só com a Lorena. Estou na fase de convencê-lo a ter pelo menos mais um!

Trabalha: Sim. Trabalho com agenciamento artístico e RP. As vezes trabalho a noite, de final de semana, é bem corrido! Mas, meu marido super ajuda nesses horários. Ele é super parceiro.

Em caso positivo, onde fica as crianças: Lolo até os 2 anos ficou com a minha sogra, tias e a mulher do meu cunhado. Elas se revezavam. Desde o ano passado, Lorena fica na escola das 8h as 16h.

Por que optou por isso: Acho o convívio com outras crianças super importante. Lorena mudou depois que entrou na escola. Ficou bem mais comunicativa.

Melhor distração: Reunião de amigas com um bom vinho. E, mostrar coisas novas para a Lorena e ver a carinha de felicidade.

Ícone: Meus pais! Não sei como eles conseguem ter pique para fazer tanta coisa com 70 (meu pai) e 65 (minha mae) anos. Eu com 36 não tenho metade do pique que eles tem. Muito orgulho deles!

Ser feliz é: Ter saúde e estar junto com as pessoas que amo.

O maior sonho: Ver a Lorena crescer com saúde e poder proporcionar sempre o melhor para ela.

Horas de sono por noite: Lorena é super dorminhoca, desde RN. Final de semana ela chega a dormir 12 horas seguidas e a mamãe aqui aproveita!

Uma dica para as futuras mamães: saber ouvir, saber explicar, paciência, muuuuuito amor e siga seu coração e sua intuição sempre. Saber filtrar todos os palpites, eles aparecem de todos os lados.

Uma receita infalível para os pequenos: Dedicação, amor, respeito, atenção, compreensão e saiba que tudo acontece no tempo certo que tem que acontecer.

Um programa inesquecível: Todos os programas em família são incríveis. Sempre acontece uma coisa nova e vira uma lembrança pra sempre.

A viagem perfeita com os filhos: Ainda não fizemos uma grande viagem. Já fomos para o Beach Park, sempre viajamos para a praia e Lorena ama. Ela sempre pede para ir para o Hotel, kkkkkkkk. Estamos programando uma viagem para a Disney ano que vem…Se o dólar ajudar!

Emanuelle X Emanuelle: ai que difícil!!!!! Sou a típica libriana indecisa, pra eu escolher qualquer coisa é tããããão difícil. Sou Amiga, parceira pra tudo, calma, mas quando to nervosa….sai de baixo! Tenho memória curta e perdoou fácil! Faço de tudo para levar uma vida leve e feliz. Sem neuras e DR´s.

emanuelle-dias emanuelle-dias-1 emanuelle-dias-4 emanuelle-dias-5 emanuelle-dias-3

categorias: Mãe da Semana

Marina Mazzucco Santana – Entrevista Mãe da Semana

Bom, vamos lá! Rs

Me chamo Marina, tenho 34 anos e sou publicitária! Tá aí um bom começo, publicitária! Ou melhor a faculdade de publicidade! Escolhi isso pois já trabalhava na empresa do meu pai, uma emissora de rádio, depois de trancar a faculdade de engenharia elétrica e morar sozinha por dois anos, lá fui eu pra FPM, uma faculdade sem muito reconhecimento, o que pra mim que estudei muito a vida toda e tinha uma federal como meta de vida era impensável, mas enfim fui parar lá, e depois de fazer grandes amigos que levo pra vida toda, no último ano conheci o Mauricio, um dos meus professores, lindo, Inteligente, e com uma voz maravilhosa, sim a voz é uma coisa que me chama atenção nas pessoas! 10 anos mais velho que eu, já havia sido casado e com um filho de 13 anos, se eu for falar tudo que aconteceu aqui vai virar um livro, enfim, nos apaixonamos, e quando me formei, assumimos!

Namoramos por 3 anos e meio, e casamos, esse ano faz 10 anos que estamos juntos e apaixonados! O Mau nao queria casar e nem ter mais filhos, deu pra ver quem manda aqui ne? Rsrsrs depois de dois anos de casados, juntos decidimos que era a hora, logo veio um teste positivo, mas algo me dizia pra não me empolgar, dito e feito, a gravidez não evoluiu, fiquei triste óbvio, mas não foi nada traumatizante, sabia que era comum, várias amigas tinham passado por isso, não precisei de curetagem e meu médico disse pra esperar um ciclo e já poderia tentar de novo, e dois meses depois, as duas linhas mais lindas do mundo apareceram, no dia 05/01/2010! fiz sexagem com 9 semanas porque eu não me aguentava de curiosidade e então descobrimos o Theo!

Tive uma gravidez tranquila, tudo dentro do normal, ele nasceu perfeito, enorme e lindo, claro! Rs sempre foi um bebê facil, dorme muito, come bem, tudo aquilo que a gente quer que seja! Foi muito precoce, nasceram os primeiros dentes com 3 meses, com 8 meses começou a andar e com pouco mais de um ano já contava histórias, ele encheu toda nossa família de alegria!

Quando ele estava com dois anos e meio decidimos começar a tentar o segundo, fui ao médico para os exames de rotina, saí de lá com a notícia de ter um cisto de 6 cm no ovário, guia pra fazer muitos exames com a desconfiança de uma provável endometriose! 40 dias depois, com exames inconclusivos, fui submetida a uma biópsia e “acordei” com câncer de ovário!

Logo que a cirurgia acabou, eu ainda estava sedada, e meu médico já avisou o Mau que era um tumor com aspecto maligno , porém ainda precisavam do resultado pra confirmar e então Mau guardou com ele por 10 dias essa notícia, e no dia 04/06/2014 eu ouvi o que eu nunca na minha vida pensei em ouvir: você está com câncer!

Fiquei sem chão, não poderia mais ter filhos e ainda teria que enfrentar tudo o que vem junto com essa doença, não foi fácil, mas costumo dizer que eu tinha mais medo de ter câncer do que eu tive de enfrentá-lo!

Chorei muito, a primeira coisa que veio à minha cabeça foi que eu ia morrer e deixaria o Theo sem mãe! Mas aos poucos tudo foi se ajeitando, agradeci muito por ser comigo e não com ele e decidi que eu faria o impossível pra passar por isso da melhor maneira possível, e então veio a primeira quimio, raspei a cabeça, e coloquei uma prótese pensando no Theo, não queria assusta-lo, mas o verão chegou e resolvi parar de usá-la, ele estranhou claro, mas logo se acostumou e adora me ver usando lenço, fala que sou a Izy do Jake e os piratas!

A primeira etapa acabou em outubro, foram seis sessões pra ver se o tumor reduzia e tornava possível a cirurgia, em novembro os exames comprovaram que tudo tinha corrido como o previsto e a cirurgia foi marcada, dia 06/12/2014 entrei no centro cirúrgico as 8 da manhã e saí as 8 da noite, como o tumor era atrás do ovário estava muito próximo do intestino e bexiga e tinha também um menor na parede abdominal, bem no umbigo, então pra tirar tudo com a margem de segurança foi preciso tirar uma parte da bexiga, uma parte do intestino e uma parte do músculo e gordura do abdômen.

A cirurgia foi um sucesso, fiquei 2 dias na UTI e mais seis internada, voltei pra casa com sonda, dreno, um corte vertical de 30cm no abdômen e uma saudade do Theo que não cabia em mim! Dia 23 de dezembro fui tirar os pontos e buscar o resultado da biópsia, e então ganhei o melhor presente de natal da minha vida, ouvi do meu médico: Marina nós vencemos! Com a cirurgia conseguimos tirar todo o tumor e todas as margens de segurança que foram para análise deram negativas pra malignidade!

Ainda teria a última etapa do tratamento, que são seis sessões de químio, uma a cada 21 dias, que ele chamou de quimio de prevenção, mas eu não tenho mais a doença!!!! Quando voltei pra casa, depois da internação, explicamos para o Theo que eu estava “dodói” e por algum tempo não poderia carregá-lo, não podia carregar peso, e ele no alto dos seus 3 anos de idade nos surpreendeu, passou a chamar pelo pai quando acordava, subir e descer sozinho da cadeirinha do carro, sabia que não teria meu colo e em três meses nunca pediu por isso! Até que na última semana, após refazer os exames e constatar que estava tudo bem, meu médico me liberou para os treinos leves na academia e o que eu mais esperava, podia carregar meu filho!

Cheguei em casa, e falei Theo sobe na cama, ele subiu e eu o peguei no colo! Ele me olhou assustado e ao mesmo tempo com um sorriso de orelha a orelha, me abraçou e com os olhos cheios de lágrimas falou: mamãe você sarou!!! Foi emocionante!!! E desse dia em diante ele nunca mais chorou pra entrar na escola, na natação, coisa que ele não fazia antes de eu operar, mas passou a fazer e só agora entendemos o quanto o simples fato de eu carregá-lo no colo estava fazendo falta na vida dele! Isso aconteceu faz 15 dias, e notamos muitas mudanças no comportamento dele!

Agora faltam duas sessões de químio pra tudo isso acabar e eu entrar no que chamam de remissão, fazendo apenas exames a cada 4 meses pra se Deus quiser nunca mais passar por isso! A vida não me permitiu ter mais filhos, mas me deu um que vale por milhões, o amor que sinto por ele me faz enfrentar qualquer coisa nesse mundo!

Eu era: Feliz!

Depois da maternidade, eu sou: Completamente feliz! Nunca mais tive um dia na vida que não tivesse algo de muito bom!

Como descobriu a gravidez: com um dia de atraso da menstruação fiz um teste de farmácia!

Pretende ter outros: por causa da doença não posso mais gerar, quanto a adoção é um assunto que deixamos pra pensar depois que o tratamento acabar de vez!

Trabalha: sim! Em caso positivo, onde ficam as crianças: como a empresa é minha tenho flexibilidade de horário, então fiquei com theo período integral até ele fazer 6 meses, depois voltei a trabalhar meio período e ele passava as tarde com a minha mãe, com um ano e oito meses ele começou a ir pra escola a tarde e é assim até hoje, passamos todas as manhãs juntos e vou trabalhar depois que deixo ele na escola.

Por que optou por isso: optei pela escola porque quando precisei, ele já estava com quase dois anos, e achei que era hora de ter contato com outras crianças, mas ele ainda fica muito com minha mãe, nas férias dele, ou quando eu viajo… Theo ama a casa da avó e dorme muitas vezes lá, passa fim de semana, vai pra praia com ela, são super grudados!

Melhor distração: durante a semana minha distração é academia, pra mim academia é terapia! E temos um grupo grande de amigos, que são minha irmã e minhas amigas de infância com os maridos, a maioria tem filhos, passamos quase todo fim de semana juntos, as crianças se dão super bem, é uma delicia! Família e amigos todos juntos, pra mim não tem coisa melhor!

Ícone: Meus avós! Todos já se foram, mas cada um deles teve grande importância na minha vida, fomos todos muito próximos, minha infância com eles foi incrível, acho importantíssimo a convivência de netos com avós! Os meus todos eram admiráveis! Aprendi muito com eles!

Ser feliz é: Ter tempo! O maior sonho: A cura do câncer, não falo a minha, mas cura da doença em geral, que todos que venham a ter essa doença tenham uma opção de tratamento eficaz e menos sofrível do que é hoje.

Horas de sono por noite: 9 horas

Uma dica para as futuras mães: Calma que passa! E acredite, você vai sentir saudades até mesmo de acordar mil vezes na madrugada…

Uma receita infalível para os pequenos: colocar a cebola no quarto quando estão com tosse Rs! Peguei essa dica no grupo, não sei a explicação, mas aqui em casa não falha!

Um programa inesquecível: Amo viajar, e tem uma viagem que fiz para o Chile que foi incrível, mas na verdade o que se tornou inesquecível foi a volta, foi a primeira vez que viajei sem o Theo, ele tinha 9 meses, fiquei 7 dias fora, quase morri de saudades e quando entrei na casa da minha mãe, ela estava trocando a fralda dele, ele me olhou sorriu e eu ouvi o primeiro “mãmã” da minha vida, 22/06/2012 inesquecível e indiscritível o que eu senti!

A viagem perfeita com os pequenos: Disney! Fomos em novembro de 2014, Theo estava com 3 anos e 2 meses! Foi a viagem do sonho! Fomos a família toda, meu enteado que mora em Dublin nos encontrou lá, já fazia dois anos que não o víamos, o reencontro real dos irmãos que só se viam por Skype foi lindo! Apesar de 20 anos de diferença de idade eles ficaram super grudados, ficamos todos juntos por 15 dias, foi incrível, Theo curtiu demais!

Marina X Marina: falar da gente não é muito fácil ne? Rs mas o que eu tenho pra falar de mim hoje é o que eu também descobri de mim há pouco tempo, descobri que sou forte e que tenho uma vontade de viver gigantesca, que tudo que eu quero no mundo é ter saúde pra ver meu filho crescer, e pra isso eu encaro o que for preciso! Eu sou mãe! Acho que mãe é assim mesmo né?

Marina-Mazzucco-Santana- 1 Marina-Mazzucco-Santana Marina-Mazzucco-Santana-2 Marina-Mazzucco-Santana-3 Marina-Mazzucco-Santana-4 Marina-Mazzucco-Santana-5

categorias: Mãe da Semana

Larissa Yumi Nakano – Entrevista Mãe da semana

De repente aparece no Messenger uma msg da Renata: Topa ser Mãe da semana? Senti um mix de frio na barriga com emoção. Parece que ela adivinhou. Há pouco tempo pensei em escrever um relato pra mim mesma. Agora é pra valer.

Sempre me emociono quando leio essa matéria, a história não precisa ser triste. Sabia que não conseguiria ser muito sucinta.

Sou uma japa falsificada. Minha mãe é descendente de espanhola e meu pai filho de japoneses.

Sou o sanduíche da família. Meu irmão é 3 anos mais velho e minha irmã 2 anos mais nova. Sempre fui “certinha”, ajuizada e responsável. Meus pais falam que eu fui uma criança tranquila e quietinha (bem diferente da matraca da Nina). Mas eu emburrava quando as coisas não saiam do meu jeito. Herdei o Zelo e Preocupação da minha mãe, e a Vaidade e Corujice do meu pai.

Faz 10 anos que fui presenteada com a chegada do meu sobrinho por parte de irmã. O Dudu. Realizei o sonho de ser chamada de Dinda e com ele tive a certeza que uma criança na família é tudo de bom. Curti todas as fases dele de criança. Sou muito grata e privilegiada em ter uma família maravilhosa.

Tive uma infância longa e feliz. Apesar de começar a namorar cedo(13 anos) ainda brincava de lojinha com as minhas primas mais novas. ( sempre gostei da área comercial e de moda).

Vou tentar resumir minha história de Amor.

Penso que na vida tudo tem seu lado bom. Meu irmão no 3º colegial foi convidado a se retirar do colégio que estudávamos. Foi para o Objetivo da Vergueiro, já que tínhamos acabado de mudar para a Aclimação. Fez novos amigos. Minha casa vivia cheia de marmanjos que cabulavam aula para matar a larica e jogar master system. Minha Mãe sempre trabalhou fora, mas tinha a flexibilidade de ser “mãetorista”. Nos levava para a natação, ballet, inglês e escola. Eu tinha apenas 13 anos nem pensava em compromisso, mas recebia alguns xavecos dos amigos do meu irmão. Até que namorei 3 meses com o Marcelo. Não foi amor, e sim atração de adolescente.

O pai da Nina, Marcelo também, frequentava minha casa com a namorada.

Até que um dia acabou o relacionamento dele. Ele começou a frequentar mais ainda minha casa.

Estava bem na minha quando uma amiga deles começou a me atiçar. Marcou um cinema. O filme era: “ Meu Primeiro Amor”. O título veio a calhar. Fomos comer um lanche na Chapa e depois voltamos para o meu prédio, onde rolou o primeiro beijo. Desde essa noite tudo começou…foi no final do meus 14 anos. 9 fev. 1992.

Meus dois primeiros namorados chamavam Marcelo, eram amigos em comum, frequentavam minha casa juntos, eram surfistas e com 17 anos tinham o mesmo modelo e cor de carro. (Chevette prata) Muita coincidência.

Não fui Maria Gasolina, apenas tive sorte de namorar de carro. Rs. Meu irmão não achava graça nenhuma. Com o tempo descobri o que era amor de adolescente. Profundo. Ele sempre foi independente e tinha moto.

Como pegava onda, não deixava de ir para Camburi todos os finais de semana para ficar comigo. Meu pai não deixava eu viajar com ele. Eu apesar de já ter me acostumado me sentia “sozinha” nos bailinhos e baladas. Até que algumas vezes terminamos por isso. Acreditava no destino.

Ele sempre falava que éramos muito novos e que poderíamos ter nos conhecido mais velhos.

Nesse intervalo namorei um descendente de italianos. Daqueles bem românticos e pegajoso. Não estava acostumada com isso. Não deu certo.

Uma noite encontrei a irmã do Marcelo e ela disse que ele iria morar um tempo na Nova Zelândia. Para eu ligar pra ele. Liguei e ele quis me ver. Era véspera da viagem. Ficamos juntos quase o dia inteiro e naquele dia sentimos que ainda existia AMOR. Nos correspondemos  durante esse tempo. 4 meses, mas sem compromisso. Quando ele voltou retomamos nossa história isso já faz 19 anos. Se contar todo tempo juntos logo faremos bodas de prata.

Nossa relação sempre foi bacana. Sempre confiamos um no outro e sempre tivemos liberdade para sair com os amigos. Acredito que isso seja o sucesso do nosso relacionamento até hoje.

Com o tempo amadurecemos, meus pais começaram a gostar e conhecer outro “Ogata”, como ele é conhecido. E eu comecei a conviver melhor com a família dele tb. Ótimo, fui super bem recebida.  Dou Graças a Deus pelos sogros que ganhei. Quando finalmente compramos nosso apto e fizemos tudo como gostaríamos ele recebeu uma proposta que seria muito importante para seu crescimento profissional. Mas era em Brasília. Apoiei, bastante frustrada, e ele aceitou. O que seria 6 meses, durou 2 anos. Me mudei sozinha. Tudo tem um porque na vida. Se tiver que ser, vai ser.

Quando era mais nova  já tinha o sonho de ser Mãe um dia e ficava chateada que ele nem pensava nisso…sempre fui mais romântica. Meu desejo se tornou realidade . Falava que um dia seríamos uma família.

A Nina é prova disso. O nome cabe muito ao jeito dela de ser,  uma MENINA e que adora “gliter”. Rs Nossa Kokeshi de verdade, que nasceu a cara do pai e hoje em dia (4 anos) se parece bastante comigo. Tirando o lado lindo de ter nossa filha tão amada a arte de educar é mais complexa do que eu imaginava. Eu e o Marcelo temos nossas divergências. Apesar dele ser pisciano tb ele é mais racional e eu sou pura emoção. As vezes é difícil eu entender mas bom para ter um equilíbrio.

Concordo quando dizem que quando nasce um Filho, nasce uma Mãe. A Nina me ensinou até a cozinhar. Aprendi com ela que somos capazes de tudo. Ela se espelha muito em mim. Espero não decepcioná-la e que a admiração que ela tem por mim seja eterna.

Tento fazer o meu melhor. Devo errar mas sempre tentando acertar. E ainda prefiro pecar por excesso de cuidados e amor.

Meu mantra é : “ Não basta ser Mãe, tem que participar”. Amo Crianças, amo ser Mãe e @Mom. Agradeço a Deus todos os Dias por tudo. Me sinto uma Rainha por ter uma Princesa tão querida e parecida comigo em muitos aspectos. (tb ama limão)

Eu era: Emotiva e Mais organizada (tenho Tocs)

Depois da Maternidade, eu sou: Mais emotiva e Menos organizada. ( a correria, o cansaço e as prioridades me ajudaram a controlar meus Tocs)

Como descobriu a gravidez:  A primeira vez foi surpresa e muito bem vinda. O mundo vibrou com a notícia e já imaginavam minha “ filhinhA”. Infelizmente não vingou. Tive um sangramento na noite anterior do dia de um dos US. Poucas horas depois estava internada na Pro Matre.5/09/2008  A dor foi mais psicológica. Fiquei preocupada. Aborto no início é comum, mas não é normal. Me conformei que não era pra ser. A vida seguiu. Dois anos depois planejamos a Nina. Com um teste de farmácia confirmamos a melhor notícia de nossas vidas. Tive uma gestação ótima, com muito Amor e  Mimos. Esperei o 3º mês para comunicar as famílias juntas. Era dia das Mães e aniversário da minha mãe. Ganhei presente da minha irmã, para quem não consegui guardar segredo. Imagina o xororô.

Pretende ter outros: Gostaria que a Nina não fosse filha única. Infelizmente “Querer não é Poder”.

Trabalha: o gosto por Moda devia estar no gene. Desde criança fazia minhas produções e tudo combinava. Rs. Fiz estilismo na Esmod, no primeiro ano que veio p Brasil. Trabalho com meus pais na confecção. Atualmente produzimos para algumas grifes femininas. Bacana, mas tb convivo com o outro lado nada glamuroso.

Onde ficam as crianças, por que optou por isso (escola, babás, avós). – Amamentava, no 4º mês voltei a trabalhar meio período. Tenho o privilégio de morar próximo ao trabalho e a vantagem da flexibilidade de trabalhar em uma empresa familiar. Como meus sogros são aposentados e moram perto, na minha ausência eles ficavam com a Nina na minha casa. Deu super certo. A Nina não poderia ter tido uma Babá (como  ela chama a Bathian- avó em japonês) melhor. E o Didi (Dithian – avó em japonês) até hoje é super parceiro. Um fofo com ela, tem paciência realmente de oriental. Com 1a3m, decidi colocar a Nina em uma escolinha pequena. Queria um lugar que ela se sentisse como se fosse a extensão de casa. Não dormi nas noites anteriores. Será que eu fiz a escolha certa? Ela terá todo cuidado que tem em casa… No primeiro dia, eu chorei, claro. Mas de alívio e felicidade. Ela ficou super bem nem precisei fazer adaptação. Ano passado ela mudou para uma escola bem maior. Depois de um período estranhou a mudança, hoje adora e fez lindas amizades. Fica duas x na semana integral e nos outros 3 dias fica na casa dos meus sogros de manhã e a tarde levo p escola.

Melhor distração: Todos os momentos com a Nina, somos muito amigas e companheiras. Depois conversar com as amigas nas Redes Socias. É terapia. O 4 m@es é viciante#adoro. Amo ver fotos antigas tb, principalmente ver a Nina BB. Fotos  são  lembranças.

Ícone – Minha vovó materna (a última vez que a vi  foi na maternidade quando a Nina nasceu, 18 dias depois ela faleceu). Ela foi exemplo  de humildade,  garra,  generosidade e doçura.  Uma mulher muito crente a Deus e que me trazia muita paz.

Ser Feliz é: Ver as pessoas que eu amo felizes e com saúde. Se reunir com as minhas eternas amigas da escola.

O maior sonho- Tenho vários. Hoje é zerar com os problemas que afligem as pessoas que eu amo. Voltar no tempo e trazer minha bathian de volta que seja só para conhecer a Nina. Uma netinha mais parecida “Made in Japan”. Ela iria curtir muito cozinhar algo da culinária oriental pra ela.

Horas de sono por noite – Esse ano tenho mudado meus hábitos. Quando o celular e o I Pad estão sem bateria. Rs 6/7 horas.

Uma dica para as futuras mães – Aprendi com a maternidade que cada criança é única, assim como cada mãe tb conhece o seu filho. Respeite, cada um tem seu tempo. Na teoria tudo é mais fácil. Sigo sempre o meu instinto e tento usar muita psicologia para conseguir o desejado. Não tenha pressa, incentive mas não force a barra. Não dê bola para a opinião alheia, tem muita gente irritante e sem semancol no mundo. Tentem a amamentação.  Na minha opinião não é tão Romântico como dizem. Persisti e consegui. Não foi fácil, mas tb não foi tão sofrido. E esse contato de “pele” é delicioso. Coincidência ou não a Nina foi uma BB muito saudável. Conheci o que era PA exatamente 1 mês depois que entrou na escolinha. (1an4m), quando pegou a primeira virose. Quem não conhece minha rotina, pode achar que minha vida é mais tranquila. Se enganou muuuuuito. É uma correria danada, não tive sorte com ajudantes do lar. Hoje tenho uma diarista 2x na semana que já ajuda. Apesar da minha vida gerar em torno da Nina faço questão de fazer minhas unhas toda semana. É algo que me faz bem , já que sou vaidosa. Tenham um momento de vcs nem que seja uma hora semanal.

Uma receita infalível para os pequenos – Dê muito colo, amor e atenção. O tempo não volta e cada fase é única. Brinque muito. Tento mostrar para a Nina que a felicidade muitas vezes está na simplicidade. Fazemos todos os tipos de programas. Apesar de ganhar muitos presentes ela valoriza o simples como correr no parque.

Um programa inesquecível – Voltar a Cidade das Crianças com a nossa filha . O parque parecia nosso, o dia estava lindo e o parque vazio. Nos divertimos muito.

A viagem perfeita com os pequenos – Até hoje foi para a Bahia. No Tivolli Resort. A Nina tinha quase 2 anos. Um lugar que além de bonito tem uma energia boa.  Tudo perfeito.

Larissax Larissa – sempre que assistia no “de Frente com Gabi”, pensava o que falaria de mim mesma. Sou uma pessoa simples porém vaidosa. Sou a típica pisciana com ascendente em Virgem. Sensível, sonhadora, perfeccionista e organizada. Tento sempre ver o lado bom das pessoas. Tinha dois amigos da escola que falavam que eu era muito boazinha. Eles falavam  que fulana era um “tribufu” eu falava que pelo menos ela era simpática ou engraçada. Ajudar o próximo me faz bem. Acho que ser muito sensível ás vezes é um defeito. Creio muito em Deus e sou muito grata a vida e a família  que ele me deu. Ufa. Quanta emoção relembrar minha história.  Agora vou tomar um Gatorade.

larissa-yumi-nakano-1 larissa-yumi-nakano-2 larissa-yumi-nakano-3 larissa-yumi-nakano-4