Posts publicados

categorias: Vida de Mãe

Hemangioma – O que é e como tratar.

Olá M@es hoje vou falar de um tema bem comum  nos nossos bebês: Os hemangiomas, seus tipos e tratamentos.

Primeiro vou falar sobre as manchas salmão, que na verdade são malformações dos capilares sanguíneos (micro vasinhos), também chamadas de angel kiss.

São manchas geralmente na fronte (testa) e/ou região occiptal (nuca), 20 a 60% dos recém nascidos nascem com essa mancha, geralmente somem até o primeiro ano de vida ou aparecem quando choram ou ficam nervosos. Um terço das manchas salmão na nuca permanecem na vida adulta mas geralmente o cabelo esconde.

hemangioma

Os hemangiomas planos ou manchas vinho do porto são manchas vinhosas que aparecem na face e são unilaterais. As manchas vinho do porto são menos comuns , os bebês nascem com a região que irá ter a mancha bem rosada e ela vai escurecendo. Essas lesões precisam ser acompanhadas por neurologistas pois podem ter algum acometimento neurológico.

hemangioma1

Agora falarei dos hemangiomas tuberosos (são proliferações dos vasos sanguíneos), também conhecidos como strawberry nevus pela semelhança com o morango. Aparecem nos primeiros dias de vida 90% até o primeiro mês de vida, é mais comum em prematuros, 60% se localizam na cabeça e pescoço e 25% no tronco. Vai aumentando de tamanho até um ano de vida e depois começa a regredir até desaparecer, até os 7 anos quase todos desaparecerão.

A conduta mais comum é só observar, indica-se tratamento quando as lesões estão em alguns locais perigosos : próximos aos olhos, nariz e boca.

As complicações que podem ocorrer são; ulcerações (que aceleram a cura), sangramentos e infecções.

hemangioma2 hemangioma3

Hoje em dia temos tratamento bem eficazes com o propranolol (isso mesmo remédio pra pressão alta), laser e corticoides.

Qualquer dúvida consulte seu dermatologista.

 

Minha filha mais velha,como boa filha de dermatologista, tem a mancha salmão na testa (quando chora aparece) e teve um hemangioma no couro cabeludo que desapareceu por volta do primeiro ano de vida.

 

 dermato-formaesDRA. RENATA MARIA MOINO DINATO 
 Dermatologista formada pela Faculdade de Medicina da USP 
 Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia 
 Mãe da Duda, 5 anos e Fefe 3 anos.
 www.essere.med.br

 

 

categorias: Vida de Mãe

Zika Vírus

Olá queridas M@es!
Hoje vamos falar um pouquinho sobre um assunto mais que atual, e extremamente frequente no consultório nos últimos meses, o Zika Vírus.
O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015, mas foi descoberto em 1947 em macacos, na floresta Zika, em Uganda.
TRANSMISSÃO:
O principal modo de transmissão descrito do vírus é a picada pelo Aedes aegypti. Outras possíveis formas de transmissão do vírus Zika precisam ser avaliadas com mais profundidade, com base em estudos científicos. Não há evidências de transmissão do vírus Zika por meio do leite materno, assim como por urina, saliva e sêmen. Conforme estudos aplicados na Polinésia Francesa, não foi identificada a replicação do vírus em amostras do leite, assim como a doença não pode ser classificada como sexualmente transmissível. Também não há descrição de transmissão por saliva.
SINTOMAS:
Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. No geral, a evolução da doença é benigna e os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, evoluir para óbito, como identificado no mês de novembro de 2015, pela primeira vez na história.
Até o momento não há exame de sorologia disponível comercialmente para detecção de anticorpos para Zika Vírus no Brasil. Atualmente só há disponibilidade para realização de isolamento viral e PCR, restrito aos laboratórios de referência.
TRATAMENTO:
Não existe tratamento específico para a infecção pelo vírus Zika. Também não há vacina contra o vírus. O tratamento recomendado para os casos sintomáticos é baseado no uso de paracetamol ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. No caso de erupções pruriginosas, os anti-histamínicos (anti-alérgicos) podem ser considerados.

Não se recomenda o uso de ácido acetilsalicílico (AAS) e outros anti-inflamatórios, em função do risco aumentado de complicações hemorrágicas descritas nas infecções por outros flavivírus.

Apesar de ser uma doença benigna, como disse acima, houve o aumento de casos relatados com complicações neurológicas em locais onde ocorreu epidemia de Zika, como na Polinésia Francesa, em 2014. Essa complicação neurológica é a Sindrome de Guillain -Barré, uma neuropatia potencialmente grave.  Essa síndrome não é nova, e pode acontecer quando somos infectados por alguns vírus ou algumas bactérias. A ocorrência é bastante rara, mas não se pode negar a relação da Zika com a Síndrome de Guillain-Barré.

 

MITOS:

– CRIANÇAS / IDOSOS E O ZIKA

Ao contrário do que ultimamente circulou em áudios (sem embasamento científico nenhum) de whatsapp, mencionando a possibilidade e a existência de crianças menores de 7 anos e idosos com sintomas neurológicos decorrentes do Zika, a doença afeta da mesma forma bebês, crianças, adultos e idosos. Não é mais grave nos extremos de idade, e definitivamente não traz maior índice de complicações nestes.

A grande preocupação é com as gestantes. Existe SIM a relação entre grávidas infectadas pelo Zika no primeiro trimestre de gestação (principalmente nesse período) e fetos com microcefalia. Neste último sábado (dia 13 de fevereiro de 2016), uma grande revista que publica artigos médicos científicos (New England Journal of Medicine) publicou a análise da necrópsia de um dos casos confirmando a partícula viral no cérebro de um recém nascido com microcefalia.

 

– VACINAS E O ZIKA

NÃO HÁ ASSOCIAÇÃO ENTRE VACINAS (VENCIDAS OU NÃO) COM A MICROCEFALIA!!!

As vacinas contra a rubéola e contra o sarampo (dupla viral e tríplice viral) não são aplicadas durante a gestação. O Ministério da Saúde não recomenda a vacinação de gestantes com qualquer vacina que contenha vírus vivo atenuado, como é o caso das vacinas dupla e tríplice viral. Recomenda-se, como medida adicional de segurança, que a mulher não engravide até um mês após a vacinação, apesar de estudos mostrarem que as vacinas são seguras, mesmo se aplicadas durante a gravidez, não causando danos ao feto. Este procedimento visa a evitar dúvidas no diagnóstico, caso o feto apresente algum problema durante a gestação.

Também é importante destacar que todas as crianças com suspeita de microcefalia no país passaram por testes para as principais causas de malformação, que são rubéola, toxoplasmose e citomegalovírus. Para todas essas doenças, o resultado foi negativo.

Com relação a vacina dTpa, cabe ressaltar que esse imunobiológico é recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a estratégia mais custo-efetiva para a prevenção da mortalidade infantil por coqueluche. A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde às gestantes é a adsorvida de difteria, tétano e coqueluche-dTpa (pertussis acelular), utilizada apenas no final da gestação, a partir da 27ª semana.

 

 

PREVENÇÃO / PROTEÇÃO:

 A única forma de evitar a doença é evitar a picada pelo mosquito!

– Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas. Os repelentes à base de Icaridina (Exposis) e DEET (Autan, Off, Repelex) são eficazes e podem ser usados a partir dos seis meses de vida. As gestantes podem usar a Icaridina sem restrições (no entanto, sugiro sempre consultar seu obstetra).
– Fique, preferencialmente, em locais com telas de proteção, mosquiteiros, inseticidas de tomada, velas ou óleos de citronela, ou outras barreiras disponíveis.

Cuidados
– Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, busque atendimento médico.
– Não tome qualquer medicamento por conta própria.

Enfim queridas, espero ter ajudado! Não vou me alongar mais para o texto não ficar cansativo, mas ainda há muito a se falar (e principalmente a se pesquisar e confirmar) sobre o Zika.
Conforme isso for acontecendo posto novas atualizações para vocês.
Fico à disposição para eventuais dúvidas!
Um beijo,
flavia marianoDra. Flávia Mariano
Pediatra e Neonatologista
CRM: 127.047 
e Mãe da Gabi, de 5 anos.
https://www.instagram.com/draflaviamariano/



Fontes:
New England Journal of Medicine
FIOCRUZ
Ministério da Saúde
 
Foto capa: Shutterstock
categorias: Passeios

Mamãe eu quero; Carnaval!!!

“Sempre gostei de carnaval mas confesso que, depois que me tornei mãe, tenho preguiça e um pouco de receio em participar de eventos assim.


Afinal, Carnaval é sinônimo de multidão, música alta e confusão!


Tenho uma vizinha super animada que tem uma princesa de 6 meses e foi ela quem me convidou para o tal “Bloquinho”, que aconteceu no último sábado.


Aceitei o convite correndo, até para sair um pouco de casa; férias escolares mata qualquer um!


Apesar do tempo feio e da garoa, resolvemos arriscar.


Chegando lá me surpeendí com o que ví:
Duas tendas armadas no meio da praça, banheiros públicos e um espaço família onde haviam bancos e água gelada para quem quisesse, além de uma oficina artesanal para os pequenos.


Um público bonito e animado! Papais e mamães cantando as famosas marchinhas de carnaval; estas interpretadas por uma banda afinadíssima e com um ótimo repertório musical.


Até os ambulantes me surpreenderam com tamanha educação e simpatia ao tentarem vender confete e serpentina!


Do pipoqueiro aos bonecos de Olinda, todos interagiam no maior alto astral.


Sem confusão, nem multidão! Até o sol apareceu!


Todos foram embora com gostinho de quero mais, inclusive eu!
Então, se você perdeu o Bloquinho, não precisa chorar!


No próximo sábado, dia 07/02, estréia o bloco Mamãe Eu Quero, no bairro do Sumaré.


No mesmo clima familiar e gostoso, as crianças vão poder cair na folia ao som de marchinhas, hits, MPB e músicas infantis que serão tocadas por ritmistas da bateria fantasiados de super-heróis e outros personagens.


Durante o evento, além de uma oficina de customização de adereços, um varal será esticado para promover a troca entre as crianças. Fantasias que não servem mais poderão ser penduradas, dando oportunidade para outras crianças usá-las.


O evento é gratuito e só precisa da sua animação!


Vamos lá!”


Local: Rua Pedro da Costa (esquina da Praça Irmãos Karmam) - São Paulo - SP
Data: 07/02 à partir das 9hs.

bloquinho carnaval



julia - colaboradora 
 Julia Andreotti
Designer por formação, Analista de mercado financeiro por vocação e mãe do Filippo, 2 anos, por paixão!
Hoje está em busca de outros projetos, além de se dedicar a maternidade e escrever!
categorias: Decoração

Como montar sua lista de convidados para festas – Toque de Formiga

Hoje a dica é como organizar e compor sua lista de convidados. Claro que não há regra específica para determinar quem vai e quem não vai, mas é uma ajudinha…

O que manda e o que deve mandar é o coração e a vontade do papai e da mamãe de quem deve participar desse momento. Mas também deve-se levar em conta o espaço e o orçamento (nunca, jamais, em hipótese alguma convide muito mais gente do que o espaço físico comporte ou que o buffet possa servir. Essa sim é uma regra!).

Eu adaptei um fluxograma americano ao nicho infantil. Ele auxilia no inicio  de toda essa confusão que é ajustar quem chamar.

como-montar-sua-lista-de-convidados

Isso é super teórico e, de novo, o que manda é a vontade da família de estar com pessoas queridas e presentes na vida do aniversariante.

O que importa é o clima de alegria e amor. E pessoas que dêem importância de estarem presentes nesse momento tão especial para vocês.

Depois disso, aproveitem!

#toquedeformiga

 colaboradores-toque-de-formigaSabrina Alves Martinho Espinós
 Formada em Arquitetura e Urbanismo, 
 mas escolheu seguir o coração festeiro, 
 criou e se dedica exclusivamente ao Atelier Maria Formiga. 
 Mãe do Matheus, Rodrigo e Maria Luisa.
 www.mariaformiga.com.br
 Face: www.facebook.com/Atelier.Maria.Formiga
 Instagram: @maria_formiga
categorias: Vida de Mãe

Grávidas e Viagens – Por Dra. Mariana Terra

Cada vez é mais comum vermos grávidas fazendo viagens, seja a trabalho, férias ou para fazer o famoso enxoval do bebê!

As viagens longas de avião devem acender o sinal de alerta para todos os viajantes, principalmente para as gestantes. Devido o espaço reduzido, diminuição da mobilidade, dificuldade de movimentação e alteração de pressão, aumentam os riscos de edema e eventos tromboembólicos. Isso mesmo! Trombose! Para evitar que ocorra uma trombose é importante tomar algumas medidas:

–  levantar-se e caminhar algumas vezes durante o vôo;

–  enquanto estiver acordada, movimentar os pés como se tivesse acelerando um automóvel, em movimentos de extensão e flexão repetitivos dos pés, forçando a contração da panturrilha;

–  mudar de posição sempre que possível, evitando ficar muito tempo imóvel;

–  manter as pernas elevadas (quando possível!!!);

–  usar meias elásticas (sempre com prescrição e orientação médica) – ítem obrigatório para gestantes em viagens de avião;

–  usar medicamentos preventivos de trombose em casos especiais (história prévia de trombose por exemplo) sempre com prescrição e avaliação do especialista.

E não se esqueçam de usar meias elásticas durante os passeios/compras, principalmente nos dias que for ficar longos períodos de pé e nos dias de calor. Imaginem não conseguir cumprir toda programação porque está com os pés e pernas inchados e sentindo aquele desconforto típico do inchaço! Nem pensar!!!! Então previna-se!!!

Com essas medidas a chance da gestante ter inchaço ou complicações vasculares durante a viagem diminuem muito, evitando preocupações num momento de diversão ou trabalho, principalmente em viagens internacionais!

Gravidez não é doença! É um momento maravilhoso em que se deve aproveitar cada segundo e para isso devemos prevenir situações que podem atrapalha-lo!

 

Boa viagem!!!

IMG_1016 Dra. Mariana Terra
 CRM 132.072
 Cirurgiã Vascular e Ecografista Vascular
 Mãe do Gabriel (Gabu) de 7 meses. 
 www.dramarianaterra.com.br

 

 

Imagem: Shutterstock

categorias: Receitas

Mude seu suco verde.

Cansada da receita do suco verde de todo dia?

Veja algumas dicas para variar suas receitas e esbanjar saúde!

 

Base da Receita de suco verde

O ideal para a base do suco verde é a água-de-coco, pois eh rica em nutrientes como sódio e potássio que hidratam as células . Mas você também usar sucos ou chás para potencializar os efeitos do suco.

Frutas
Varie as frutas, todas são muito bem indicadas.

Folhas
Vale todas: Espinafre, alface, agrião e até rúcula, um toque de hortelã deixa a receita mais refrescante e a salsinha enche o suco com os benefícios da vitamina c e ainda ajuda a diminuir a retenção hídrica.

Adicionais
Vegetais como cenoura, beterraba e batata yacon são um plus.

Um pouco de leite vegetal (amêndoas) pode dar aquela cremosidade deliciosa.

E vale lembrar que também são essenciais: chia, linhaça ou gergelim, e gengibre. Sem esses ingredientes, o suco corre o risco de ficar pobre em fibras e com alta carga glicêmica.

 

 

DESINTOXICANTE 

INGREDIENTES:

– 1 MAÇÃ FUJI OU VERDE

– SUCO DE MEIO LIMÃO

– 1 FOLHA DE COUVE

– 1 FATIA DE GENGIBRE

– 1 COL DE SOBREMESA DE FARINHA DE BERINJELA

– 1 COLHER (SOPA) DE SEMENTE DE CHIA HIDRATADA

– 200 ml DE CHÁ DE BOLDO COM HORTELÃ

 

REVITALIZANTE 

INGREDIENTES:

– 200 ml DE SUCO DE LARANJA

– 1 PUNHADO DE AGRIÃO

– 1 FATIA DE GENGIBRE

– 1/2 BATATA YACON OU

– 1 COL DE SOPA RASA DE YACON EM PÓ

– 1 COL DE CAFÉ RASA DE PIMENTA ROSA

– 1 COL DE SOPA RASA DE LINHAÇA DOURADA HIDRATADA

– 1 COL DE SOBREMESA DE MACA PERUANA

 

DIGESTIVO 

INGREDIENTES:

– 1 FATIA GROSSA DE ABACAXI

– 1 FOLHA DE COUVE

– 1 FATIA DE GENGIBRE

– 1/2 CENOURA

– 1 COLHER (SOPA) DE HORTELÃ

– 1 COLHER (SOPA) DE SEMENTE DE CHIA HIDRATADA

– 200 ml DE CHÁ DE VERDE COM HORTELÃ

 

DIURÉTICO 

INGREDIENTES:

– 2 FATIAS DE MELÃO (CANTALOUPE)

– 1 TALO DE AIPO SALSÃO

– 1 TALO DE ERVA DOCE

– 1 PEDAÇO DE GENGIBRE

– 1 COLHER (SOPA) DE SALSINHA

– 1 COL DE SOPA RASA DE LINHAÇA DOURADA HIDRATADA

– 200 ml CHÁ DE ÁGUA DE COCO

 

ANTIENVELHECIMENTO 

INGREDIENTES:

– 1/2 XÍCARA DE CHÁ DE FRUTAS VERMELHAS (ROMÃ, GROSELHA, AMORA, FRAMBOESA, MORANGO, MIRTILLO)

– 1/2 XÍCARA DE CHÁ DE ESPINAFRE

– 1 COL DE SOBREMESA DE ALECRIM

– 1 COL DE SOBREMESA DE PÓ DE AÇAÍ

– 1 COL DE SOPA RASA DE LINHAÇA DOURADA HIDRATADA

– 200 ml DE CHÁ VERDE

 

OBSERVAÇÃO: TODOS OS SUCOS DEVEM SER BEM LIQUIDIFICADOS E TOMADOS EM JEJUM SEM COAR

 
  colaboradores- karyna-puglieseKaryna Pugliese,
  Nutricionista Clínica e Esportiva - CRN 11651,
  Mãe do Ghad de 2 anos.
  www.clinicaolimpiadas.com.br

 

 

 

categorias: Vida de Mãe

Fechando 2014 – Empreendedorismo Feminino

2014 foi muito especial. Para quem acompanhou meus textos ao longo desse ano, sabe o quanto para mim foi um ano de quebras. De paradigmas, de conceitos e preconceitos, de ideais. Sair do mundo corporativo e aceitar o empreendedorismo foi sem dúvidas uma decisão de digestão difícil, mas que hoje se mostra acertada.

Não é fácil empreender, mas há suas compensações e elas têm um enorme valor, como poder ter o horário flexibilizado, que pode ser administrado para que sobre um tempo maior para os filhos (que terá que ser compensado depois que eles dormirem, mas tudo bem).

Nessa minha caminhada, tive a grata companhia do 4 M@es. E conforme o tempo foi passando minha coluna ganhou mais leitoras e as leitoras começaram a se aproximar e contar suas estórias.

As que pararam de trabalhar para se dedicar à maternidade e agora, com os filhos um pouco maiores, querem voltar a ganhar seu próprio dinheiro e decidem empreender. As que nunca pararam, estão no mundo corporativo, mas sentem que precisam dar a si mesmas mais independência e o empreendedorismo mostra essa possibilidade. As que já tinham negócio e depois da maternidade fizeram uma adaptação para que os filhos coubessem no meio da loucura de se ter uma empresa ou que a empresa coubesse no meio da maravilha de ter filhos. As que ainda estão se organizando e planejando o futuro para, assim que possível, começarem a se movimentar para empreender.

Então esse texto, já em clima de final de ano, tem que cumprir dois papéis. O primeiro de agradecer. Ao grupo que me deu espaço para falar de um assunto que amo e, de uma certa forma, trabalhar minhas próprias dúvidas e avaliar oportunidades. Às mães que me permitiram conhecer seus planos e seus medos, dividindo comigo angústias, me ensinando com suas experiências e escutando ou lendo minhas sugestões.

O segundo, é de propor uma reflexão. Chegamos ao final de 2014 e logo virá a hora de pensar no plano para 2015. Então aqui entra a minha provocação. Você é feliz na sua vida profissional? Ela te completa? Ela te desafia como gostaria de ser desafiada? Ela lhe traz os benefícios que espera? Você se sente realizada?

Responder sim ou não para qualquer uma dessas questões não significa estar certa ou errada. Nem feliz ou infeliz na vida pessoal. Mas representa olhar para si mesma e avaliar se seus sonhos podem ser maiores, se pode valer a pena se arriscar por uma aventura profissional que lhe compense mais. Ou então avaliar como pode mudar o rumo da sua carreira ou mesmo trocar de profissão. Sair da corporação para o empreendedorismo ou mesmo o contrário, por que não? Até pode descobrir que essa coisa “profissional” não é a sua praia, que você gostaria mesmo de ficar em casa e criar de perto os seus pequenos.

O importante é você se cutucar, se questionar, se incomodar para entender o que pode ser melhorado. Porque passar 8 horas por dia, 5 dias por semana sonhando com o momento de ser mais feliz tem que te levar alguma hora à ação. Se há uma oportunidade aqui, será que tem que agir agora?

Faça seus planos, escreva num papel, desenhe um cronograma, dê o primeiro passo. Tenho certeza que o ano novo reserva muitas realizações para nós. E, se precisar de qualquer ajuda, ainda estaremos por aqui. Que venha 2015.

colaboradores-fernanda Fernanda Nascimento
 - Mãe do Bernardo e do Vicente
 - Mais de 21 anos de experiência em marketing 
 estratégico. 
 - É especialista em marketing digital e branding, 
 com passagem por grandes multinacionais como 
 o grupo americano Danaher e a alemã Volkswagen.
 - Diretora de Desenvolvimento de Negócios 
 da Rede Mulher Empreendedora. 
- sócia da Stratlab, consultoria para PMEs na área 
de Desenvolvimento de Negócios e Planejamento Estratégico, 
incentiva a inovação para resultados mais rápidos e 
a digitalização do marketing para a certeza da conversão em vendas.
www.stratlab.com.br
categorias: Vida de Mãe

6 dicas para envolver as crianças na rotina de organização

Olá M@es, tudo bem?

Nós que temos filhos, sabemos que esses pequenos são os responsáveis por boa parte da desorganização da casa, não é mesmo? As crianças geralmente não se importam em guardar seus brinquedos após o uso, colocar as roupas sujas no cesto, levar seus pratos e copos à pia, enfim, tarefas simples do dia a dia que quando não executadas, instalam o caos em nossas casas. As dicas a seguir são para incentivar as crianças a terem responsabilidade com as tarefas do dia a dia, a cuidarem bem de seus pertences e serem participativas no dia a dia da família. Esses hábitos, uma vez desenvolvidos, os acompanharão para toda a vida. O segredo do sucesso aqui, como na maior parte da educação e formação das crianças, é o estabelecimento de ROTINAS, com regras claras e possíveis. Lembre-se: a introdução de um novo hábito deve ser prazeroso, caso contrário dificilmente será aceito e incorporado por elas. Vamos às dicas:

1) GUARDAR SEUS BRINQUEDOS

Desde cedo, as crianças podem aprender a guardar os brinquedos em seus lugares após o uso. Para isso, deve haver incentivo dos pais: evite deixar as coisas para guardar depois, reforce a regra dizendo: “Vamos guardar esse brinquedo antes de sair (ou de dormir, etc).” No começo elas podem se mostrar resistentes, mas em muito pouco tempo, a atitude se tornará automática.

rotina-de-organizacao

2) APRENDER A DOAR:

Explique a necessidade de doações de roupas e brinquedos que não tem mais utilidade. Alguns tem mais dificuldade em separar-se dos seus pertences, mas é importante entenderem a necessidade de liberação de espaço para a chegada de novos objetos. Uma boa época para fazer esse tipo de “faxina” é antes do aniversário ou Natal, épocas em que eles se desapegarão com mais facilidade, em função da ansiedade pelos presentes que ganharão. Aqui também é uma boa oportunidade de explicar a importância social das doações, para que eles entendam que existem pessoas menos favorecidas que farão ótimo proveito do que receberem.

rotina-de-organizacao-2

3) RESPONSABILIDADE BRINCANDO:

Torne as tarefas lúdicas: use caixas coloridas e estampadas com seus personagens preferidos, sinalize-as com fotos e etiquetas ilustrativas, instale um cesto de basquete para roupas sujas, deixe uma bala ou bombom (ou qualquer outro “agrado”) em suas gavetas de vez quando, enfim, use a criatividade para tornar o processo prazeroso.

 

4) COLOQUE REGRAS:

Seja clara em relação ao que espera deles: delimite as regras e incentive, com elogios e pequenas recompensas. Envolva-os em pequenas tarefas dia a dia, como ajudar no preparo das refeições, colocar e/ou retirar a mesa. Estimule-os a escolherem o que desejam fazer, para que seja naturalmente agradável, e não uma obrigação.

rotina-de-organização

5) NÃO FAÇA CRITICAS

Evite criticar caso eles não sejam tão bem sucedidos como você gostaria: explique o que pode ser melhorado e agradeça e elogie a boa vontade; ficar supervisionando os mais velhos durante a execução de uma tarefa também pode incomodar e constranger. Sempre enfatize a importância de ser organizado, e dê exemplos práticos, ressaltando o ganho de espaço e tempo para fazer as coisas que mais gostam.

 

6) INCLUA ORGANIZAÇÃO NA ESCOLA:

Para os que já tem compromissos escolares: incentive a fazerem suas tarefas sempre no mesmo horário, organizarem seu material escolar em pastas e fichários, separarem o uniforme do dia seguinte e arrumarem a mochila com antecedência, evitando atrasos e correrias pela manhã.

rotina-de-organizacao-1

Desejo a todas sucesso nesse processo, lembrando que devemos sempre adaptar as dicas ao nosso modo de vida. Espero que o texto seja útil e proveitoso a todas!

 colaboradores-formaesLuciana Collin, 35 anos, Personal Organizer  
 Graduada e Pós Graduada em Fisioterapia,  
 Graduada e Mestre em Moda, Arte e Cultura 
 Mãe do Thiago, 4 anos.                      
 www.organizecomestilo.com
 Instagram: @organizecomestilo
 Facebook: Organize com Estilo
categorias: Vida de Mãe

Proteção solar na infância

Oi M@es esse assunto é bem importante!

Foi realizada uma pesquisa pela SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) com 800 pais e 150 educadores e o resultado é preocupante:

Um terço dos pais acha desnecessário utilizar o filtro solar quando não estão na praia.[dropcap style=’round’]*[/dropcap]

38% dos entrevistados acham que a proteção solar é desnecessária em dias nublados.

O estudo ainda mostrou que mais da metade dos pais (58%) de crianças sabe que a falta de proteção solar na infância aumenta o risco de câncer de pele. Mesmo assim, 11% não passam protetor solar nos filhos – principalmente porque se esquecem (42%), acham o produto caro (32%) ou então não consideram que isso seja importante (15%). Além disso, a maioria dos pais que passam o produto nas crianças não o reaplica quando necessário.

Apesar de 58% dos pais e 57% dos educadores afirmarem que a exposição excessiva ao sol na infância pode levar ao câncer de pele, por exemplo, o comportamento de risco das crianças e adolescentes brasileiros em casa ou na escola revela que teoria e prática não andam juntas quando o assunto é prevenção. Ainda assim, há um número relevante, 23% dos pais e 19% dos educadores, que ignoram também o risco da exposição solar excessiva.

A grande dificuldade está em estabelecer uma rotina de proteção. Embora 89% dos pais afirmem que usam protetor solar em seus filhos; a grande maioria nunca reaplica o produto, o que os deixa vulneráveis a radiação solar da mesma forma. Entre os 11% que declaram nunca usar o protetor solar, 42% alegam que esquecem; 32% não compram por ser muito caro e 15% não consideram o produto importante.

Agora vamos lá : Por quê é importante a proteção solar na infância?

A pele nunca vai esquecer o sol que tomou durante a vida. A ação solar,que acelera o envelhecimento e pode causar câncer, é cumulativa.

O pior tipo de câncer de pele (melanoma) é proveniente da radiação solar recebida na infância, uma queimadura solar com bolhas em uma criança dobra o risco de ela ter melanoma na vida adulta.

Como aplicar o filtro solar?

– O filtro deve ser aplicado 30min antes da exposição solar, reaplicado quando se inicia a exposição e passado novamente a cada duas horas ou quando entrar na água.

–  Quantidade de filtro: palma da mão cheia de um adulto para uma criança , ex. Uma pessoa de 60kg deveria usar 30ml. O ideal é o filtro físico, que é feito à base de zinco e dióxido de titânio (aqueles que ficam brancos).

–  FPS (fator de proteção solar) maior ou igual a 30. Quanto maior o FPS maior tempo de exposição sem queimaduras, Se você não aplica a quantidade certa de filtro 30(por ex.) ele vai funcionar como um FPS menor.

– Até 6 meses de vida evitar exposição solar e o uso de filtro pois a pele do bebê absorve muito o produto e pode causar lesões.

Em relação a vitamina D: 10 a 15min duas vezes por semana já é suficiente para o organismo produzir os níveis adequados da vitamina.

Deve-se evitar exposição ao sol das 10 as 15h (horário de verão das 11 as 16h), aplicar o filtro mesmo em dias nublados e utilizar chapéus,óculos escuros e roupas com proteção U.V.

Espero que tenham gostado!!!

 

dermato-formaes DRA. RENATA MARIA MOINO DINATO 
 Dermatologista formada pela Faculdade de Medicina da USP 
 Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia 
 Mãe da Duda,3a e meio e Fefe 1a e 9m
 www.essere.med.br
categorias: Vida de Mãe

Marcos no desenvolvimento do seu bebê

Queridas M@es,
Hoje vamos falar um pouquinho sobre a avaliação dos marcos do desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM), parte obrigatória da consulta pediátrica de rotina, mas que mesmo assim costuma ser um assunto que gera muita ansiedade e dúvidas entre as mamães.
O desenvolvimento motor e de linguagem segue marcos de normalidade esperados para cada fase, porém podem variar de criança para criança, mas sempre existindo um tempo máximo para cada situação ocorrer.
É importante que o pediatra conheça o desenvolvimento normal para que identifique as crianças com desvios da normalidade ou atraso no desenvolvimento, e oriente os pais a melhor forma de estimular seus filhos.
Algumas anormalidades encontradas no exame físico são muitas vezes transitórias, por isso é fundamental reavaliar esses itens na próxima consulta, e então, se necessário, encaminhar para um especialista (como, por exemplo, o neuropediatra). A intervenção precoce é fundamental para o bom prognóstico de algumas patologias.
Vou colocar aqui para vocês uma das tabelas que nós pediatras costumamos usar para avaliar cada item do desenvolvimento durante a consulta. Ela mostra, através dos quadradinhos pintados de cinza, a idade na qual as crianças normalmente possuem maturidade suficiente para apresentar determinado comportamento.
Vejam que, a legenda explica que essa idade assinalada com os quadradinhos cinzas, é o período em que 90% das crianças adquirem o marco do desenvolvimento.
tabela marcos do desenvolvimento
A cada consulta, além de testar isso durante o exame físico, o pediatra deve fazer perguntas para os pais e anotar se tal marco está presente, ausente ou não verificado, para conduzir a avaliação do próximo encontro. Claro que essa é uma das formas de se avaliar, como disse acima, existem outras tabelas e outros métodos empregados igualmente corretos.
Como sempre digo aqui, o mais importante é consultar o seu pediatra sempre que surgirem dúvidas, principalmente nesse assunto, onde não faltam “palpiteiros de plantão” comparando as crianças e dizendo que o seu filho com certeza já fazia isso nessa idade…  Não tem coisa que irrite mais uma mãe do que isso, não é? Rsrs
Meninas, estou à disposição para eventuais dúvidas e angústias
Um grande beijo,
flavia-mariano-120x120 Dra. Flávia Mariano
 Pediatra e Neonatologista
 CRM: 127.047 
 e Mãe da Gabi, de 3 anos.