Posts publicados

categorias: Vida de Mãe

Dor nas costas na Gravidez e na Amamentação

Vocês sabem das mudanças no corpo durante a gravidez. Imaginem tudo isso acontecendo quando já temos dois filhos e aquela rotina maluca. A terceira gestação pode até passar mais rápido mas as consequências físicas são percebidas antes e com maior intensidade.
Por isso hoje vou contar pra vocês como evitar dores nas costas na gestação e amamentação.

É super comum mulheres grávidas ou que estão amamentando apresentarem problemas ortopédicos e dores. Eu sofri bastante na gravidez da Maria Teresa e além das dicas que vamos dividir com vocês gostaríamos de deixar aqui esse vídeo do canal Tip Top Tube onde o Dr. Marcelo explica como podemos prevenir essas dores.

A postura que adotamos nesse período sobrecarrega a coluna e pode ocasionar esses desconfortos. Tanto nas gestantes como nas lactantes.

Fizemos um resuminho das dicas que me ajudaram muito e que podem ajudar vocês.

Para evitar a dor nas costas na gravidez:
– Controle do peso.
– Consciência postural
– Caminhadas
– Alongamento
– Exercícios de balanço pélvico

Para evitar a dor nas costas durante a amamentação:
– Amamentar num local adequado
– Usar um apoio para o bebe evitando sobrecarregar os braços e pescoço da mãe
– Encontrar uma posição em que a mãe fique mais relaxada.
– Descansar.

Não se esqueça: Caso as dores persistam você deve procurar um médico.

 

Este post conta com o apoio de uma empresa que confiamos

 

categorias: Compras, Vida de Mãe

Review – Absorventes descartáveis para seios da Lansinoh

capa-absorvente-seios

Algumas mães do grupo receberam os absorventes descartáveis para seios da Lansinoh para testar e compartilhar com vocês o que acharam.

O produto é fabricado na Tailândia, embalado individualmente, e promete total proteção sem volume extra, além de duas fitas adesivas que mantem o absorvente no lugar.

Agora veja aqui a opinião das Mães sobre as características do produto:

Material / Formato

“O material também é diferente, mais macio e adapta mais ao contorno do seio.”

“outro fator positivo é o formato que não marca quase nada na roupa”

“O absorvente da Lansinoh é o que tem contato mais suave de todos, não incomodando quando se usa.”

“Como meus seios estavam bem grandes por causa da grande quantidade de leite, o absorvente da Lansinoh, que é maior que os outros que já usei, se mostrava mais eficiente, cobria uma maior parte do seio. Entretanto, para usar agora que meu bebe já está com quase 1 ano, já come comida, não mama mais tanto e os seios já voltaram ao seu tamanho normal porque não enchem tanto de leite, ele acaba ficando muito grande e um pouco incômodo. Dependendo do sutiã que eu uso, ele fica com pontinhas pra fora, dificulta usar decote. Alem disso, por ser muito molinho, ele “enruga” fácil dentro do sutiã.”

Absorção

“Achei que aguenta mais que as outras marcas que já experimentei.”

“Em relação ao poder de absorção eu não notei muita diferença para o produto que eu utilizava.”

“Ele absorve muito bem o leite e nunca escapou uma gota!”

“Utilizei no período mais crítico (primeiros dias pós-parto), quando a produção de leite é realmente bem excessiva e ele pareceu absorver por mais tempo do que as outras marcas que já utilizei.”

“Quando absorve uma quantidade grande de leite, ele fica mais “pesado”, não senti isso com absorventes de outras marcas. Eles absorvem sem o gel inchar. Mas, novamente, o da Lansinoh dura mais tempo, então não sei se seria por isso.”

Os absorventes da Lansinoh possuem um polímero especial e um revestimento seco em forma de colmeia que faz com que o leite vá para o centro do absorvente, mantendo a pele e a roupa secas e seu formato regular até com o fluxo mais intenso.

Os absorventes da Lansinoh possuem um polímero especial e um revestimento seco em forma de colmeia que faz com que o leite vá para o centro do absorvente, mantendo a pele e a roupa secas e seu formato regular até com o fluxo mais intenso.

 

 

Embalados individualmente

“Aqui no Brasil todos os absorventes vem abertos e não são práticos nem discretos  para carregar na bolsa por exemplo.”

“Gostei muito do produto, a começar pelo fato de virem embalados individualmente, o que me parece muito mais higiênico.”

“Eu gosto do fato de vir os absorventes embalados individualmente, mas ao mesmo tempo, pensando na questão ecológica, toda vez me pergunto: ‘precisa?!? Mas para quê?!?’ É muito gasto de papel para embrulhar um a um (…) Imagino que para quem trabalha fora (eu trabalho em casa) seja bom para colocar na bolsa… Minha sugestão: poderia ter duas caixas diferenciadas: uma sem a embalagem individual e outra com (que poderia ser embalado duplo e não individual!!)”

“Principais diferenciais do produto – Serem embalados um a um, o que facilita o transporte deles dentro da bolsa-maternidade ou pra levar pro trabalho. Fica mais higiênico.”

Fitas Adesivas

“Tem também as fitas adesivas q gostei pois não preciso ficar arrumando lugar pra colocar o absorvente quando tiro pra amamentar”

“Adoro também que ele vem com adesivos, que não deixa o absorvente sair do lugar e escapar leite, principalmente quando se está dormindo!”

absorvente-seios-2

Visão geral do produto

“Adorei o produto, super se adaptou à minha rotina de amamentação, carrego na bolsa e na mochila da bebe. A embalagem acho que é o ponto mais positivo. Além disso o material é super macio e bastante absorvente.”

“Em comparação com outras marcas disponíveis no mercado, os absorventes Lansinoh se diferenciam especialmente pelas embalagens individuais, pelas duas fitas adesivas (só conhecia com uma fita adesiva central) e pela fina espessura.”

“No geral, o produto é bom, eu usaria de novo.”

“Os diferenciais em relação aos outros absorventes disponíveis no mercado são tão relevantes que justificam até um custo mais elevado deste produto (não sei o custo dos absorventes Lansinoh. Imagino que sejam mais caros).”

“As principais diferenças são: fita fixadora ao sutiã. Formato anatômico, espessura e mesmo assim segura muito bem o fluxo do leite.”

Visão geral da marca

“A Lansinoh é uma marca que vende produtos de qualidade e que são super úteis para todas as mamães.”

“Acho uma marca de qualidade, com ótimos produtos destinados a este período tão especial que é a amamentação.”

“A impressão geral da marca Lansinoh está associada a eficiência e alta qualidade.”

“Lansinoh pra mim é sinônimo de qualidade. Comprar sem medo de errar.”

 

Com essa pesquisa fica claro que o produto entrega realmente o que promete, com a qualidade indiscutível dos produtos Lansinoh.

O que acham?

Caso queira saber mais informações sobre o produto e onde comprá-lo, acesse o site da Lansinoh: www.lansinohbrasil.com.br

 

 
 

Este post é um publieditorial

 
 

categorias: Vida de Mãe

Mães brasileiras são as que mais se sentem culpadas se não amamentarem seus bebês.

Pesquisa com mais de 13 mil mães em nove países destaca as crenças universais e diferenças culturais da experiência de amamentação

 

 

A Lansinoh Laboratórios, líder mundial em acessórios para a amamentação, conduziu uma pesquisa com 13.169 mães e gestantes em nove países: Brasil, China, França, Alemanha, Hungria, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos. A Pesquisa Global Lansinoh Sobre Amamentação 2014 fornece um olhar particular sobre as atitudes em torno do aleitamento materno, assim como o comportamento de amamentação entre as mães atuais.

 

 

Principais Constatações:

  • Benefício de Saúde para o Bebê” é a principal razão que faze com que a maioria das mães dos nove países optem pelo aleitamento materno, variando de 91% no Brasil a 76% na França.

 

  • A maioria das mães em todos os países – incluindo 97% das brasleiras – acredita que a amamentação é a melhor forma de alimentar um bebê (independente dos motivos que levam cada uma).

 

  • Acordar a noite para amamentar está entre as três principais dificuldades relatadas pelas entrevistadas dos nove países. Este é um problema para 44% das brasileiras entrevistadas. A dor associada com a amamentação (47%) e aprender a amamentar no início (33%) também são grandes desafios para as mães brasileiras.

 

  • A “culpa materna” é universal. Quando perguntadas se elas sentiriam-se culpadas caso não amamentassem, a maioria das mães de 8 entre os 9 países disseram que SIM. 93% das mães brasileiras concordam com isso. A Alemanha é o único país onde a maioria das mães não se sentiria culpada (61%).

 

  • A China e a França possuem o maior percentual de mães que dizem que amamentar em público é constrangedor. Por outro lado, a amamentação em público é algo mais natural nos Estados Unidos, no Reino Unido e no Brasil. Por aqui, 55% das mães acham que a amamentação em público é algo perfeitamente natural, 22% acham que é inevitável, 21% acham constrangedor, e somente 2% acham errado.

 

  • Quando perguntadas por quanto tempo elas acham que um bebê deva ser amamentado, o maior percentual de mães de 7 entre os 9 países analisados (Brasil, China, Alemanha, Hungria, México, Reino Unido e Estados Unidos) respondeu que o período ideal de amamentação de um bebê é de 6 a 12 meses. As mães na França apontaram um período um pouco menor (3 a 6 meses), e as da Turquia um período maior (1 a 2 anos).

 

  • A maioria das mães em todos os países extrai ou planeja extrair seu próprio leite. No Brasil, essa afirmação foi dada por 71% das mães entrevistadas. O país com a menor taxa de lactantes que extraem ou planejam extrair leite é a França (65%), e o com a taxa mais alta é a China (85%).

 

 

PesquisaLansinohInfografico-Brasil-01PesquisaLansinohInfograficoGlobal-01

 

 

 

***Clique na foto pra ampliar

 

Para mais informações, acesse: www.lansinohbrasil.com.br/noticia/pesquisa-global-lansinoh-sobre-amamentacao-2014

 

Este post é um publieditorial

categorias: Vida de Mãe

Começa hoje a semana Mundial da Amamentação

É comum vermos mães se queixarem de não terem recebido orientações suficientes sobre amamentação, o que faz com que muitas interrompam o aleitamento materno precocemente. Infelizmente a falta de informações sobre o assunto não acontece somente por aqui. Segundo a Organização Mundial da Saúde, somente 38% dos bebês no mundo todo são alimentados exclusivamente com leite materno durante os 6 primeiros meses de vida.

Para elevar essa taxa, diversas organizações promovem campanhas incentivando e encorajando mães a amamentar seus bebês. A Semana Mundial de Aleitamento Materno, também conhecida como SMAM ou WBW (World Breastfeeding Week), é comemorada em 170 países do dia 1 ao dia 7 de Agosto com o objetivo de estimular grupos de todo o mundo a realizarem ações locais para aumentar a consciência pública sobre a amamentação. Ela é aprovada pela UNICEF, OMS, FAO e IPA.

A SMAM foi celebrada pela primeira vez em 1992 e idealizada um ano antes dentro do escritório da UNICEF por um integrante da WABA (World Alliance for Breastfeeding Action), uma rede mundial de pessoas e organizações preocupadas com a proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno.

 semana-mundial-da-amamentacao-2

O tema desde ano é “Uma vitória para toda a vida”, e afirma a importância de aumentar e manter o apoio a amamentação para alcançar os Objetivos do Milênio (ODM), que foram estabelecidos pela ONU para combater a pobreza e promover o desenvolvimento saudável e sustentável de uma forma abrangente até 2015.

Você também pode contribuir com a SMAM, apoiando, promovendo e protegendo a amamentação de formas simples, como: participando de eventos, encorajando amigas e parentes a persistirem na amamentação, pedindo ao seu médico que fale mais sobre o assunto, buscando ajuda quando estiver com dificuldades, etc. Qualquer forma de apoio ou promoção é válida!

Nós também apoiamos o aleitamento materno através do compartilhamento de dicas e informações no nosso blog, e da nossa parceria com a Lansinoh Brasil 

 semana-mundial-da-amamentacao-1

Evento Hora do Mamaço

Um evento muito legal vai acontecer amanhã, dia 02 de Agosto, simultaneamente em 25 cidades brasileiras. É a “Hora do Mamaço”, que está em sua terceira edição e tem como objetivo reunir mães e bebês em um grande movimento de amamentação pública para a conscientização da sociedade do Ato de Amamentar.

Veja a lista de locais onde os eventos acontecerão aqui:

http://horadomamaco.wordpress.com/2014/07/07/lista-de-cidades-participantes-hora-do-mamaco-2014-3/

 

Este post é um publieditorial

categorias: Vida de Mãe

Dicas sobre como armazenar o leite materno

Na Páscoa, a m@e Daniela Correa Simao fez um post no nosso grupo, mostrando o “ovo de Páscoa” do seu filho Thom.

Foi uma atitude tão simples e linda que chamou a atenção de muita gente, inclusive da marca número 1 em amamentação, a nossa parceira Lansinoh, que com autorização da mãe repostou a imagem em suas redes sociais.

lansinoh-formaes

Aproveitando o assunto, resolvemos dar algumas dicas de como armazenar o leite materno.

Por que armazenar o leite materno?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, os bebês devem ser alimentados exclusivamente com leite materno até os 6 meses de vida. Após esse período, outros alimentos devem ser introduzidos, porém a amamentação deve continuar até os 2 anos ou mais.

Durante esse período, haverá algumas situações em que você estará longe de seu filho, como por exemplo na volta ao trabalho, em alguma viagem sem o bebê ou em um passeio a sós com o maridão. A distância entre mãe e filho – seja por qualquer motivo – é a principal razão que fazem as mães interromperem a amamentação.

Portanto se você precisa retornar ao trabalho, ter mais flexibilidade para realizar outras tarefas, não gosta de amamentar em público, ou simplesmente quer dividir as responsabilidades de alimentar seu bebê com outra pessoa, você pode armazenar o leite para garantir que seu filho receba seu leite mesmo se você não estiver por perto.

O processo de ordenha e armazenamento do leite

Existem diversas formas de retirar o seu próprio leite. A ordenha pode ser feita manualmente ou com uma bombinha de tirar leite (manual ou elétrica). Você deve testar e sentir qual das opções é melhor e mais adequada para você. Independente de qual for o processo escolhido, você deve sempre higienizar as mãos, as mamas e as partes da bomba tira-leite, no caso de utilizá-las.

É importante estar em um local e em um momento tranquilos. Tenha paciência, pois é normal ter dificuldade nas primeiras vezes.

Após a retirada, você deve tomar bastante cuidado para escolher o recipiente ideal para armazenar o leite para que ele mantenha suas propriedades nutritivas. Algumas bombinhas já vem com um recipiente especial para o armazenamento de leite, e também é bastante indicado utilizar frascos de vidro com tampa de plástico rosqueável. Em ambos os casos, é de absoluta importância que o recipiente seja esterilizado, em esterilizadores apropriados ou através de fervura por 15 minutos.

Há também a possibilidade de armazenar o leite em Sacos de Armazenamento, como o que a m@e Daniela usou na foto desse post. A marca escolhida por ela foi a Lansinoh.

Sacos de Armazenamento de Leite Lansinoh

A marca Lansinoh, muito conhecida por aquela pomadinha de lanolina milagrosa para fissuras mamilares, chegou recentemente ao Brasil trazendo uma linha de produtos para auxílio durante a amamentação.

Os Sacos de Armazenamento de Leite Lansinoh são seguros e higiênicos, pois são pré-esterilizados e descartáveis, garantindo uma conservação adequada do leite materno. Eles são feitos de plástico 100% virgem, livres de BPA e podem ser reciclados.

Antivazamento, os saquinhos possuem fecho hermético duplo, e tem uma aba para anotações separada da área de armazenamento. Você pode anotar o nome do bebê (caso precise mandar para a escolinha), a data e o volume de leite armazenado.

 lansinoh-formaes

Tempo de Armazenamento

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que o leite materno cru (não pasteurizado) seja conservado em geladeira por até 12 horas e, no freezer, por até 15 dias.

As recomendações que estão nos saquinhos da Lansinoh seguem a tabela guia da La Leche League international (https://www.llli.org/faq/milkstorage.html) que é utilizada em diversos países:

  • Temperatura Ambiente (19-26°C): por 4 horas
  • Geladeira (<4°C): por 72 horas
  • Freezer (-18 a -20°C): por 6 meses

Caso tenha dúvidas, converse com seu médico sobre o tempo ideal de congelamento.

Descongelamento

Para utilizar o leite armazenado, o ideal é que ele seja descongelado na geladeira. Em caso de necessidade de uso imediato, o leite pode ser descongelado em banho-maria. Nunca descongele o leite no microondas.

Após descongelado, o leite deve ser aquecido em banho-maria fora do fogo. Não ferva ou utilize o microondas para aquecê-lo.

Uma dica para que usa os Sacos de Armazenamento, é armazená-los de forma plana, para que o degelo aconteça mais rapidamente.

Esperamos que, com essas dicas, você consiga suprir as necessidades do seu bebê quando não for possível dar o peito, garantindo que ele continue sendo alimentado com o leite materno. É legal continuar amamentar seu filho pelo menos uma vez por dia (por exemplo, a noite) para que a produção de leite não seja interrompida e que você possa continuar abastecendo seu estoque. E, claro, para não perder essa ligação tão especial entre mãe e filho que acontece durante a amamentação.

 

*publipost
contador gratuito

categorias: Vida de Mãe

Terapia 3 em 1 Lansinoh – Como aliviar problemas durante a amamentação

Hoje a dica é para as m@es que estão amamentando, ou as grávidas que estão se preparando para isso.

 

A Lansinoh lançou um produto muito legal, que foi desenvolvido por médicos: a Terapia 3 em 1 para Seios TheraPearl.

 

São compressas reutilizáveis que podem ser usadas quentes ou frias para aliviar alguns problemas que podem acontecer durante a amamentação, como dores, inchaços, ingurgitamentos, mastites e dutos obstruídos.

Além do produto ser lindo, ele se encaixa perfeitamente nos seios e é muito fácil de usar. Por exemplo, para aquecer a compressa é só colocá-la no microondas por 15 segundos!

 

TheraPearl Product 3D ALL in pack

Essas bolinhas são super macias e o formato da compressa faz com que ela “abrace” o peito inteiro. E ainda vem com essa capinha.

 

Seus 3 benefícios são:
– Compressa Fria – indicada para aliviar o ingurgitamento mamário
– Compressa Quente – indicada para aliviar mastites e dutos obstruídos
– Auxílio para a bomba de tirar leite – compressa morna para facilitar a descida do leite e reduzir o tempo de bombeamento

 

Ah, e é importante dizer que as compressas são atóxicas, sem látex e 100% livres de bisfenol A (BPA Free).

 

E já que estamos falando de problemas durante a amamentação, separamos algumas dicas para superar essas dificuldades.

 

c-category-breastfeeding

 

1. O que é ingurgitamento e o que posso fazer para melhorar?

 

O ingurgitamento, ou o “leite empedrado”, é o inchaço das mamas, que ocorre quando o leite desce deixando a mama pesada, quente e dura.

Algumas dicas para aliviar o ingurgitamento são:

– Amamentar frequentemente para aliviar o peso da mama
– Ordenhar o leite manualmente ou com uma bomba tira-leite para deixar a mama macia e facilitar a pega do bebê.
– Fazer compressas frias para ajudar a tratar o ingurgitamento

2. O que é mastite e o que posso fazer para melhorar?

 

Quando o duto bloqueado ou ingurgitado não é desobstruído, o tecido mamário é infectado, deixando parte da mama vermelha, quente, inchada e amolecida – a chamada Mastite.

 

Sintomas
Os sintomas da mastite normalmente incluem uma febre de 38,5°C ou mais, calafrios, dor semelhante à gripe, mal estar e doença sistêmica.

Causas
A mastite pode ser causada por:
– Ingurgitamento ou extração de leite insuficiente (devido a problemas de pega, sucção ineficaz, freio lingual curto ou outra variação anatômica, dor nos mamilos, bebê sonolento ou distraído, excesso de leite, amamentação apressada, tempo limitado do bebê no peito, gêmeos ou mais bebês, etc.)
– Mamadas infrequentes / ignoradas (devido a dor nos mamilos, dentição, uso excessivo de chupeta, mãe ocupada, retorno ao trabalho, desmame abrupto, etc.)
– Pressão nos dutos (de dedos, sutiãs ou roupas apertadas, dormir de bruços, etc.)
– Inflamação (de uma lesão, infecção bacteriana, ou alergia)
– Anemia, estresse, imunidade baixa

 

Tratamento
Algumas dicas para aliviar a mastite são:
– Observar a posição correta da mamada
– Manter o bebê mamando frequentemente do lado que estiver inchado
– Massagear delicadamente a parte inchada em direção ao mamilo
– Fazer compressas quentes/mornas diretamente na mama antes da amamentação, entre os intervalos de amamentação ou durante a ordenha de leite para aliviar a dor e a inflamação
– Podem ser utilizados antibióticos e outros tratamentos indicados pelo médico para tratar a mama inflamada
– Se mamãe não quiser amamentar o lado infectado, deve se ordenhar o leite

 

3. O que é a obstrução dos dutos e como a Terapia 3 em 1 para os Seios TheraPearl pode ajudar?

 

O duto obstruído (ou bloqueado) é quando a área da mama em que o leite desce fica obstruída. Os poros dos mamilos podem estar bloqueados (muitas vezes chamado de bolha de leite) ou ainda a obstrução pode ser mais para trás, no canal do leite. O duto obstruído normalmente vem de forma gradual e afeta apenas uma mama.
As mães geralmente notam um caroço, mas também pode acontecer de notar a sensibilidade ou a dor, sem uma protuberância óbvia ou área de ingurgitamento. A localização do caroço pode mudar.
O duto obstruído normalmente vai ficar mais dolorido antes da amamentação e menos sensível depois, e a área normalmente fica menos irregular ou menor após a amamentação. Amamentar no lado afetado pode ser dolorido, principalmente durante a descida do leite.

 

Sintomas
Geralmente não há sintomas sistêmicos para os dutos obstruídos, mas uma febre baixa (até 38,5°) pode aparecer.

 

Causas
Os dutos obstruídos podem ser causados por:
– Ingurgitamento ou extração de leite insuficiente (devido a problemas de pega, sucção ineficaz, freio lingual curto ou outra variação anatômica, dor nos mamilos, bebê sonolento ou distraído, excesso de leite, amamentação apressada, tempo limitado do bebê no peito, gêmeos ou mais bebês, etc.)
– Mamadas infrequentes / ignoradas (devido a dor nos mamilos, dentição, uso excessive de chupeta, mãe ocupada, retorno ao trabalho, desmame abrupto, etc.)
– Pressão nos dutos (de dedos, sutiãs ou roupas apertadas, dormir de bruços, etc.)
– Anemia, estresse, imunidade baixa

 

Tratamento
Recomendações comuns para o tratamento de dutos obstruídos são:
– O calor (com compressas quentes / mornas)
– Fazer massagem, descanso, e esvaziamento da mama (por amamentação ou bombeamento)
– Podem ser utilizados antibióticos e outros tratamentos indicados pelo médico

 

4. O que fazer para facilitar a descida do leite na hora da ordenha?

 

Você pode fazer compressa quente/morna diretamente na mama antes da ordenha, ou se você tiver a Bomba Tira leite pode colocar a compressa morna em volta da flange da bomba durante a ordenha para facilitar a descida do leite.
Estudos tem mostrado que o peito aquecido auxilia mais na descida e na liberação do leite materno do que o peito frio. Após aquecer a compressa e colocá-la sobre a flange da bomba tira-leite, o calor vai incentivar a descida do leite e é provável que ele comece a fluir mais rapidamente.

Esperamos que essas dicas te ajudem, e como puderam ver, fazer compressas quentes ou frias podem ajudar em todos esses casos. Ou seja, a Terapia 3 em 1 TheraPearl da Lansinoh é mais um produto que não pode faltar no seu enxoval.

 

Para mais informações, acesse o site da Lansinoh Brasil : www.lansinohbrasil.com.br
Para comprar, CLIQUE AQUI!

*Publipost

categorias: home

Lansinoh agora no Brasil

 

Meninas, estamos aqui para contar uma novidade super legal para todas as moms: A Lansinoh chegou ao Brasil. A marca está reforçando sua presença por aqui, e a partir de Maio seus produtos serão encontrados em todo o país.

 

Acho que vocês sabem que a pomada Lanolina HPA Lansinoh é a melhor que existe, ajudando e muito as tão dolorosas rachaduras nos mamilos. Isso porque ela é a única 100% natural (lanolina pura) criada a partir de um processo de purificação patenteado que a faz ser diferente das outras: sem odor, sem sabor, não tóxica e não alergênica. Ou seja, é a única que não precisa ser removida antes da amamentação.

 

 

 

O que muita gente não sabe é que, além da pomada, a marca tem vários outros produtos que ajudam na amamentação.

 

Tem os Absorventes Descartáveis que são ultra-finos e discretos, os Sacos de Armazenamento de Leite super higiênicos pré-esterilizados, e a Bomba Tira-Leite Manual.

 

 

 

Eles tem também algumas novidades que eu nunca tinha visto por aqui. O Corretor de Mamilos LatchAssist é um produto simples que tira o mamilo suavemente para fora para faciliar a pega do bebê. E pra completar, a Terapia 3 em 1 para Seios TheraPearl que são compressas reutilizáveis e atóxicas que podem ser utilizadas quentes, mornas ou frias (no microondas ou na geladeira) ajudando a aliviar mastites, dutos obstruídos e ingurgitamentos, além de poder ser usada com a bomba tira-leite para auxiliar na extração do leite.

 

 

 

E as novidades não param por aí! A marca também trouxe ao Brasil a mOmma by Lansinoh, uma linha de produtos especializada na introdução de alimentos sólidos.

 

Os Copos de Transição Antivazamento estão disponíveis com ou sem alças e tem capacidade de 250ml. Existe a opção com bico antivazamento e com canudo retrátil.

 

Alem do lindo design italiano, os produtos tem o movimento de “João-bobo” que entretêm e estimulam o desenvolvimento das crianças, e são totalmente higiênicos não deixando a ponta encostar nas superfícies.

 

 

 

Para completar a linha, tem o Prato Térmico antiderrapante, e o Garfo e a Colher que são super diferentes e possuem design arredondado que ajudam o bebê a segurar. Os talheres também são “João-bobo” e têm uma tampa protetora que também serve como cabo extensor.

 

 

 

E aí, gostaram das novidades?

Beijocas

                                                                                                                                                    * Publipost
categorias: home

Porquê a amamentação é importante na saúde bucal no bebê? – Por Dra. Eloisa P. Soares Ueno

 


 

A amamentação tem sido incentivada por ser o leite materno não só o alimento mais completo e digestivo para crianças de até um ano de idade, como também por ter ação imunizante, protegendo-as de diversas doenças. Crianças aleitadas ao peito têm melhor desenvolvimento mental e maior  equilíbrio emocional. A amamentação é gratificante para a mãe e interfere beneficamente na saúde da mulher, por exemplo, diminuindo a probabilidade de câncer de mama, ajudando na involução do útero e na depressão pós-parto. Hoje, diz-se que o leite materno é ecologicamente correto, pois não consome recursos naturais em sua produção e não gera lixo, como ocorre com os leites artificiais, além de ser gratuito!

 

Porém, poucos sabem que a amamentação tem reflexos futuros na fala, respiração e dentição da criança.

 

Um exercício muito importante

 

Quando a criança é amamentada, está não só sendo alimentada, como também fazendo um exercício físico dieta importante para desenvolver sua ossatura e musculatura bucal. Ao nascer, o bebê tem o maxilar inferior muito pequeno, que irá alcançar equilíbrio no tamanho em relação ao maxilar superior tendo seu crescimento estimulado pela sucção do peito.

 

Toda a musculatura bucal é desenvolvida, músculos externos e internos, que, solicitados, desenvolvem os ossos.

 

Mamar no peito não é fácil, daí o bebê ficar bastante transpirado. Esse exercício é o responsável inicial no crescimento harmonioso da face e dentição. Usando mamadeira, esse exercício é quase inexistente, e a preferência do nenê pela mamadeira vem da facilidade com a qual ele ganha o leite, principalmente quando este flui por um furo generoso no bico. Para exercitar-se com maior eficiência, a posição durante a mamada é importante: a criança deverá ficar o mais verticalizada, o que também facilita a deglutição do leite.

 

Uma atitude na tentativa de evitar apinhamento dental (dentes “encavalados’).

 

Maxilares melhor desenvolvidos propiciarão um melhor alinhamento da dentição, diminuindo a necessidade futura do uso de aparelhos ortodônticos. Músculos firmes ajudarão na fala. Durante a amamentação, aprende-se respirar corretamente pelo nariz, evitando amigdalites, pneumonias, entre outras doenças. Quando a criança respira pela boca, os dentes ressecados ficam mais expostos à cárie e as gengivas ficam inflamadas, os maxilares tendem a sofrer deformações e os dentes, a ficar “encavalados”, aumentando também o processo de cárie.

 

A amamentação prepara o bebê para a mastigação

 

A mamadeira costuma tomar-se uma companheira para a criança ao longo de anos, habituando-a a uma dieta mole e adocicada, que aumenta o risco  de cáries (cárie de mamadeira); a criança tende a recusar alimentos que requeiram mastigação. Depois da amamentação, a mastigação correta continuará a tarefa de exercitar ossos e músculos.

 

A amamentação prepara a criança para a mastigação. Muitas mães reclamam que seus filhos, já crescidos, não mastigam corretamente e recusam verduras e frutas, apreciando apenas doces e iogurtes.

 

Toda a literatura odontológica relacionada a amamentação relatam os fatos acima citados, porém se uma mãezinha por algum motivo de força maior não conseguiu amamentar ou simplesmente optou por isso, não deverá se sentir culpada por isso. Os problemas acima relatados pela não amamentação não são uma regra. E caso aconteça de um algum desses fatores acima, os recursos para a sua correção são enormes com os profissionais qualificados em cada área!!! Quem nunca usou aparelho ortodôntico ou visitou um otorrino???

 

Beijos à todas!

 

 

Eloisa P. Soares Ueno

Dentista especialista em Ortodontia

Ondontopediatria

E mãe da Betina

categorias: home

A importância da alimentação da mamãe no período da amamentação

Mom´s, mais uma colunista para nosso Blog, Nutricionista Dra Juliana Pedersoli, estreiando também como nova parceira 4 mom´s.

 

Todas nós já sabemos da importância da amamentação para o bebê. Mas e para a mulher? Além de ser um período prazeroso para a mãe e o bebê, o que mais podemos esperar nessa fase?

Os benefícios para a mulher que amamenta incluem retorno ao peso pré-gestacional mais rapidamente e o menor sangramento uterino pós-parto e, consequentemente, menor chance de anemia.

As necessidades nutricionais durante a lactação são maiores do que na gestação, e durante o período de amamentação, a mamãe tem suas necessidades energéticas aumentadas em cerca de 500 Kcal/dia para os primeiros 6 meses de lactação e de 400 kcal/dia nos meses subseqüentes.

Durante a lactação, indica-se que o consumo deve ser no mínimo de 1800 Kcal/dia, e nem sempre a mulher consome a quantidade necessária de calorias para produzir o leite materno, assim como o consumo adequado de água/dia. Se estiver amamentando, o organismo irá retirar a reserva acumulada durante a gestação e da alimentação atual da mulher para fabricar o leite materno.

São vários os fatores associados com a variação da perda de peso no pós-parto, como os hábitos alimentares, ganho de peso gestacional, estado nutricional pré-gestacional, atividade física, tempo de lactação, idade materna. Se a mulher pára de amamentar precocemente (menos de 3 meses), conserva as calorias que seriam usadas para fabricar leite materno e conserva o peso ganho na gestação, demorando mais tempo para voltar ao peso pré-gestacional.

Muitas mulheres, ao darem à luz, sentem-se pressionadas a eliminarem os quilos ganhos durante a gestação imediatamente após o parto.

Mas precisamos entender que nessa fase devemos buscar melhorar a qualidade da alimentação e não cair em dietas radicais com elevada restrição calórica. Buscar retornar a atividade física, fazer massagens e tratamentos estéticos, além é claro controlar a alimentação, são os primeiros passos!

Com acompanhamento nutricional adequado, a mamãe poderá seguir um plano alimentar saudável e benéfico para este momento da sua vida, que proporcionará eliminação gradativa do peso adquirido na gestação sem prejudicar a quantidade e qualidade nutricional do leite produzido, além de ajudá-la a retornar ao seu corpo de antes e recuperar a auto-estima novamente.

 

Dra. Juliana Pedersoli
Nextel (11)7760-6376
e-mail: julipedersoli@hotmail.com