categorias: Mãe da Semana

Neizi Magalhães – Entrevista Mãe da semana

E ai uma janelinha do messenger piscou, era da Renata me convidando pra ser a mãe da semana!

Em um primeiro momento pensei, será? Nem sou muito conhecida la, embora seja bastante ativa..ai depois pensei, “ahh quer saber, quem não conhecer, fica conhecendo” rsrssr

Então, aqui estamos! Pra quem ainda não me conhece, nasci em Minas Gerais, mas com 3 anos vim morar com os meus tios, que são meus pais de criação..minha primeira infancia foi um pouco atipica, minha mãe biológica não me quis desde a gravidez e ai sabe aquela historia de não quer, então tem quem queira, ou que Deus fecha uma porta,mas sempre abre uma janela? Isso serve pra tudo na vida, pode se pensar, que triste ser rejeitada pela própria mãe, ja eu vejo por outro angulo, fui adotada por duas pessoas maravilhosas que me deram tudo, desde material, educação, valores, principios, etc..eu cheguei em São Paulo, na casa deles, em 03 de outubro de 1988. Eu não tinha um dente de leite que não estivesse careado, minha pisada era toda torta por conta dos bichos de pé que eu tinha, meu cabelo era queimado do sol e duro por passar semanas sem banho e a cada xixi na cama eu chorava copiosamente encolhida em posição fetal e implorava para que eles não me batessem, de tamanho trauma que eu cheguei…mas isso são aguas passadas e muito bem resolvidas…se eu tenho raiva da minha mãe biológica? Não, simplesmente não tenho nenhum sentimento por ela, nenhuma ligação

Vocês querem saber como conheci meu marido?? marquem a alternativa correta

a) faculdade, afinal nesse ambiente você encontra pessoas com interesses em comum
b) Amigos em comum, claro, um apresenta ao outro, sorriso aqui, um olhar ali..
c) Lual na praia, aquela brisa, violão
d) Orkut, comunidade “disponiveis no mercado”, naqueles joguinhos toscos você beijaria a pessoa acima?

é, gente, quem marcou D acertou…e foi assim, quero ver eu contar pra minha filha isso…nem vou discorrer muito porque né, derrota total, mas o que importa é que o menino me conquistou de uma tal forma, meses apenas nos falando virtualmente e eu ja era louca por ele, sentia ciumes se a janelinha do msn não piscasse em um sabado a noite, esperava ansiosamente dar 10 horas da noite que era mais barata a internet discada e ali nos falavamos ate a madrugada, ele foi meu ombro amigo chorando pelo ex..e ao vivo foram mais alguns meses saindo praticamente todo fim de semana apenas como amigos..como doeu ve-lo beijar outra garota, como eu chorei por aquele “amigo” e nem fiz questão de disfarçar minha raiva e no dia 05 de março de 2005 ganhei uma declaração que ele não queria mais ser somente meu amigo, que estava apaixonado por mim..e assim nos mantemos apaixonados ha quase 10 anos…alguns periodos essa paixão é mais aparente, outras ela cochila um pouquinho..mas o amor, respeito e carinho um pelo outro estão sempre ali dando suporte na nossa relação…

Acho que falei demais já né? vamos ao questionário!

Eu era: feliz, porém incompleta.


Depois da maternidade, eu sou: completa..tenho a vida que sonhei desde criança, uma casa, marido carinhoso e presente, uma filha linda ( eu sempre me vi mãe de menina), cachorro, gato.


Como descobriu a gravidez: antes do atraso menstrual…na verdade, foi após o tico tico no fubá, fui dormir e umas duas horas depois levantei no maior susto no meio da madrugada acordando meu marido perguntando pra ele quando era meu dia fertil (ahaam que ele ia saber né kkk) corri pro google e bingo, era aquele dia, não tive dúvida sabia que tinha engravidado..corri pra contar pra umas amigas..e dias depois confirmei aquilo que ja estava certo pra mim..lembro quando vi aqueles dois risquinhos ali..não contei pro meu marido, queria fazer o de sangue ainda..mas sai na rua e tinha vontade de sair abraçando todo mundo e falar TO GRAVIDA!!!


Pretende ter outros: tem dias que quero muito e tem dias que nem cogito..mas sinto, que ainda terei mais um sim…


Trabalha: muito, em uma grande empresa mãe24horas LTDA rsrsr tenho cargo de chef de cozinha, estilista, medica, psicologa, pedagoga, etc rsrsr


Por que optou por isso: se trabalhasse fora, na idade que ela esta (3 anos) com certeza seria escola integral.


Melhor distração: vai perguntar logo pra uma gordinha? sair pra comer, claro..


Ícone: Vou tomar a liberdade pra colocar no plural..meus Tios (pais adotivos)..a doação deles a mim, o amor dedicado refletem muito no amor que tenho a minha filha.


Ser feliz é: não ser refem do extrato bancário..não colocar o dinheiro como combustivel da felicidade, pra mim ser feliz é ser grato por estar vivo, não que eu não goste de comprar, ou gastar em um momento de lazer com a minha familia..mas sei tb ser feliz se precisar passar um final de semana mais contido..bora pro parque, comer pipoca, colocar um pote de sorvete no meio de nós 3, fazer bolinha de sabão, etc


O maior sonho: poder envelhecer com saude ao lado meu marido e juntos acompanharmos todas as fases da nossa filha.


Horas de sono por noite: de 8 a 10 horas ininterruptas, graça a deus!


Uma dica para as futuras maes: curtam cada fase, não vivam aflitas esperando pela próxima, senão elas passam e depois fica so a sensação de que deveria ter curtido mais…


Uma receita infalível para os pequenos: disciplina..ela é a base de tudo..ela que te garante horas de sono, ela que garante uma boa refeição, ela te alivia de algumas crises de birra..a criança fica muito mais segura quando ela tem uma linha linear a seguir com o apoio de um adulto que pra ele é o modelo..


Um programa inesquecível: ahh essa é facil, a ida pra maternidade rsrsr inesquecivel a primeira vez que fomos apresentadas uma a outra, poder tocar o que antes era tão abstrato.


A viagem perfeita com os pequenos: não viajo muito..mas qualquer momento em novos ares ja é bom…mas ir pra Gramado com ela foi uma delicia..o encanto dela ver onde o papai noel morava valeu toda viagem.


Neizi X Neizi: eita, que essa é dificil..mas uma amiga leal, uma mãe dedicada e uma esposa apaixonada. Tento ser o mais justa possível e isso vem desde que me conheço por gente, por ser filha unica, eu jogava com vários amigos imaginários e não conseguia nem me “roubar” pra levar vantagem, queria me ver brava era jogar roubando um jogo da vida, ou banco imobiliário. Não consigo ficar com troco a mais e detesto a frase “achado não é roubado” prefiro adapta-la ” pra todo achado existe um dono que ira procurar pelo que perdeu”. Sou exigente ( as vezes ate demais) com a educação que dou a minha filha, ela tem Só 3 anos e não tem moleza pra furar fila nos brinquedos, jogar papel de bala no chão, pegar uma boneca perdida no parque..quero ter a certeza que a minha parte eu farei pra que ela seja uma boa cidadã, amiga, pessoa assim como tento ser. Depois que ela nasceu fico mais atenta ainda aos meus comportamentos.

neizi-magalaes-entrevista-4 neizi-magalhaes-entrevista neizi-magalhaes-entrevista-1 neizi-magalhaes-entrevista-3

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook