categorias: Mãe da Semana

Melissa Mell – Entrevista Mãe da Semana

“Ai, grupo de mães? É fria, fuja! Um monte de mulheres competindo pelo “Troféu Mãe Perfeita” e julgando os erros das outras”.

Ainda bem que não acreditei em quem me dizia isso, pois o 4 M@es é TOTALMENTE DIFERENTE! Amo.

Sou Melissa, mãe de Miguel e Isadora, gêmeos que completaram 1 ano há menos de 10 dias e entrei no grupo quando ainda ainda estava grávida. De lá pra cá nem sei dizer o quanto já recebi de ajuda e apoio dessas m@es maravilhosas, 95% que nunca vi na vida. Quando tive dúvidas na gravidez, quando precisei encontrar uma nova pediatra em cima da hora…, quando o Miguel chorava e não pegava o peito, quando estava quase chorando de cansaço e stress, quando me senti sozinha, quando não sabia onde comprar tatame pra colocar na sala, quando tive dúvidas, quando tive medo, quando tive solidão enquanto amamentava de madrugada e sempre tinha alguém postando e algo pra ler.
Competição: Julgamentos? Imagine, muito pelo contrário! Quando a gente entra cheia de culpa e posta algo que fez morrendo de vergonha, sempre vem alguém te tranqüilizar, dizer que é normal e conta algo parecido ou pior, e você acaba relaxando, dando risada e percebendo que não é a única que passa por certas coisas, que a vida não é um comercial de margarina e que ser mãe não é ser serena e bem arrumada, com filhos zen que tocam Enya no pianinho e dormem 15 horas por dia. Meninas, vocês são incríveis, desejo um balde de amor por vocês!

Eu era: uma pessoa independente, que sempre fez tudo sozinha. Quando era adolescente e queria ir nas matinées mas ninguém podia ir comigo, eu ia sozinha- e assim começaram muitas amizades que duram até hoje. Até antes de engravidar, eu ia sozinha a shows, academia, cursos…Queria ir, pegava e ia.
Além disso, eu amava maquiagem (ainda amo), ia trabalhar toda maquiada, sombras coloridas, delineador. E tinha um blog de esmaltes.

Depois da maternidade, eu sou: uma pessoa que precisa de ajuda. Ajuda pra olhar um enquanto pego o outro, ajuda pra cuidar de um enquanto o outro mama, ajuda para dar colo pra um se os dois choram juntos, pra ninar um enquanto eu nino o outro, ajuda para tirar do carro sem ser algo que arrisque nossa segurança, ajuda pra carregar um no colo enquanto eu levo o outro quando eu saio e o carrinho duplo não passa na porta- e muitas vezes não passa. Adeus, independência!
Maquiagem? Só se vou a algum lugar mais “social”, o que é raríssimo depois que os bebês nasceram. E minhas unhas? Cortadas no talo e sem esmalte na maior parte do tempo.

Como descobriu a gravidez: já queríamos, estávamos tentando há um tempo. Foi atrasar alguns dias que comprei o teste de farmácia e, POSITIVO!

Qual a reação quando soube que eram gemelares: ficamos muito felizes! Nunca quisemos ter só um filho e, ao saber que viriam dois juntos, ficamos extasiados.

Pretende ter outros: toc, toc, toc na madeira, hahaha! Brinco que, caso eu engravidasse de novo, até chegar a data do ultrassom para saber se seria mais um ou dois filhos, eu iria ter um treco.

Trabalha: não, decidi parar para me dedicar totalmente a eles nesse começo de vida. Agora que comecei a pegar uns freelas bem de leve.

Melhor distração: com eles é sentar no chão para brincar, ficar observando o modo como crescem e descobrem as coisas e passear.
Sem eles é conseguir ter uma refeição demorada com o marido enquanto eles dormem ou se comportam bem, ver um filme, seriado, e ler algo antes de desmaiar na cama, mesmo que só algumas linhas.

Ícone: não tenho UM ícone, mas, em alguns momentos acho minha vida tão puxada, que só penso em algumas mães que têm a vida mais puxada que a minha: as mães de UTI. As que enfrentam problemas de saúde dos filhos com garra e Fé, como a mãe do Pedrinho. As mães de trigêmeos. As que cuidam da casa e dos filhos sem nenhuma ajuda (eu pelo menos tenho alguém que faz as tarefas domésticas e meu marido que é um super pai). As que voltam a trabalhar com o coração doendo. As mães solteiras ou cujos maridos não ajudam.

Ser feliz é: minha meta a cada dia.

O maior sonho: conhecer os filhos de meus filhos ao lado do meu amor, e que todos nós sempre tenhamos uma vida cheia de alegrias, união, saúde física, mental, emocional e espiritual.

Horas de sono por noite: chuto umas 4. Somando todos os sonos picadinhos.

Uma dica para as futuras mães: viva intensamente a maternidade, a vida lá fora espera. Não é para se esquecer de você ou se sacrificar além da conta, mas viva o momento. Amamente fazendo carinho em seu filho e olhando nos olhos, sente no chão e brinque com ele dando atenção e sem o celular nas mãos (mesmo que poucos minutos), dê muito colo, beije e abrace muito seu bebê, dê papinha sem apressá-lo, veja o mundo pelos olhos dele e entenda seu ritmo, seus medos, sua necessidade de carinho. Não crie um ser dependente, mas não apresse seu pequeno, não o force a andar, falar e crescer antes do tempo. Dê a ele um ambiente que o faça florescer e dê muito, muito, muuuito amor.

Uma receita infalível para os pequenos: colo, amor, carinho. Além disso, ter poucos brinquedos vai desenvolver a criatividade deles, que aprenderão a brincar de formas diferentes com a mesma coisa e não serão do tipo que sempre quer mais e enjoa logo.

Um programa inesquecível: passear de carrinho no Parque Trianon, aos domingos. Amo aquele lugar, a paz, o clima, as árvores…

A viagem perfeita com os pequenos: quando eles conhecerem o Mar.

Melissa X Melissa: sou alegre e bem humorada. Gosto de ser gentil e de ajudar quem eu puder. Se não tiver algo otimista para falar, prefiro não falar nada. Sou amorosa e não hesito em dizer que gosto de quem gosto e de elogiar a quem admiro. Também sou brava, esquentadinha e não tenho problema nenhum em aceitar meu “lado sombra”, apesar de sempre querer melhorar. Nasci pra ser feliz e para tornar o mundo um lugar melhor. Eu, você e todo mundo.

melissa-mell-1 melissa-mell-3 melissa-mell-2 melissa-mell-4

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

2 comentários

  1. Juliana Tiraboschi

    Melissa, adorei te conhecer melhor. Já me identificava com você pq também engravidei de gêmeos na mesma época, então muitas das suas dúvidas também foram as minhas e sempre acompanhei seus posts, você sabe.

    Agora, lendo sua entrevista, vejo que a gente pensa parecido em vários aspectos. Adorei o que disse sobre viver intensamente a maternidade. Concordo plenamente. Parabéns pelos pequenos!

  2. Flavia

    Lindo depoimento e emocionante. Meus olhos encheram d’ água já no “ante e depois” da maternidade; muito parecido comigo!

    Parabéns Mell, por ser a mãe da semana, do mês, do ano, e da vida dos seus filhos! Parabéns pelas escolhas e decisões tomadas – que não são fáceis – mas que farão diferença na vida desses pequenos. Eu também larguei tudo, estou em casa, acompanhando cada momento do Pietro e deixando nele a minha marca de carinho, amor e educação.
    bjs