categorias: Mãe da Semana

Caroline Wood – Entrevista Mãe da Semana

Nem sei por onde começar, mas vamos lá

Primeiro é um prazer contar um pouco da minha história aqui, ainda mais na data de hoje que foi quando casei com o homem da minha vida.

Meu nome é Caroline, tenho 37 anos sou formada em jornalismo, mas nunca exerci minha profissão, estou no meu segundo casamento e tenho uma filha de 1 ano e 11 meses

Minha vida nunca foi fácil, vou começar pela minha infância, sofri abuso durante 10 anos calada, de um marido da minha tia e só resolvi contar quando ele tentou me matar afogada, pois ele falava que se contasse para alguém ninguém ia acreditar e ele ia pegar as menores, que eram minha irmã e minhas primas. Foi o momento mais difícil da minha vida, pois minha mãe não quis levar adiante por pena da minha tia Ela, quando soube, separou dele e eu depois de 8 anos de terapia consegui superar e perdoar minha mãe por não ter levado adiante.

Eu sempre quis ser mãe, mas sempre tive muito medo de ter uma menina e passar por tudo que passei, mas como nada é por acaso hoje tenho uma linda princesa chamada Rafaela.

Eu quando me separei em 2007 entrei em depressão e resolvi que só ia fazer o que gostasse e fui ser assistente em uma escola de dança de salão, que é minha paixão e foi onde conheci meu amor, meu marido Adriano em 2008, ficamos muito amigos e depois veio o amor, então resolvemos morar juntos com 9 meses de relação, pois meu divorcio não tinha saído e ia demorar e queria ter filho logo, por causa da idade.

E como nada na minha vida veio fácil não podia ser diferente a minha gravidez, comecei tentando em 2010 e depois de alguns meses descobri que tinha as duas trompas obstruídas e que teria que operar e fazer tratamento para engravidar, e lá fui eu para faca em maio de 2011 e sabendo que tudo ia dar certo, e depois de 3 meses da cirurgia podia começar a tentar, e foi o que fizemos, mais em outubro de 2011 a empresa que meu marido trabalhava avisou que ele ia ter que tirar férias, nem que fosse para ficar em casa, então decidimos viajar para Eua, e fui feliz da vida, quando cheguei depois de alguns dias, lembrei que minha menstruação estava atrasada e fiz exame de farmácia e deu positivo, então decidimos já fazer o enxoval, mesmo sem saber o que era, e depois de 15 dias começou meu pesadelo, comecei a sentir uma dor muito forte em baixo da barriga e quando fui ao banheiro estava sangrando, entrei em desespero pois não tinha o telefone do médico, era um sábado antes de feriado prolongado na terça, liguei para o Brasil não conseguia falar com ninguém, até que decidi ligar para minha tia para passar o telefone da minha prima que é medica, e ela que atende e me falou repouso absoluto, se você tiver seguro vai no hospital e foi o que fiz, mais cheguei no hospital não falo uma palavra em inglês e não queriam que meu marido ficasse junto, comecei a chorar daí deixaram, fizeram beta, exame de sangue e ultrassom, meu beta deu baixo, mais não tinha exame para comparar, mais eu sabia que estava perdendo meu bebe desde a hora que começou o sangramento, me liberaram do hospital mais pediram 2 dias de repouso absoluto, só levantava para ir no banheiro, não saia nem para comer, depois desses 2 dias fiz os exames novamente e veio a confirmação que avia perdido o meu bebe, no outro dia viemos embora para o Brasil, e chegando ia ter que ir direto para hospital para saber se teria que fazer curetagem, e foi o que fiz e não precisou fazer curetagem, mais recebi a notícia que só ia poder tentar depois de 3 meses se não corria o risco de outro aborto, e foi o que fiz e em julho de 2012 engravidei novamente, mais dessa vez foi tudo maravilhoso, tive enjoo nos primeiro meses, mais minha alegria era tão grande que ficava feliz até com os enjoos, consegui casar no papel com meu marido com 8 meses de gravidez, que foi quando saiu meu divorcio depois de 6 anos e trabalhei até 2 dias antes da Rafa nascer.

E finalmente dia 08/04/2013 minha princesa estava nos meus braços, linda e brava, foi a melhor sensação da minha vida, mais depois de 2 dias achei minha filha estranha, chamei a enfermeira e ela disse que era frescura de mãe de primeira viagem, eu liguei para meu marido que tinha saído para comer com minha mãe e pedi para voltarem logo que a Rafa não estava bem, estava saindo um liquido branco da boca dela e não era leite, ele voltou correndo e minha irmã chegou junto e de repente  a Rafa ficou mole e roxa não conseguia respirar e minha irmã enfiou a boca no nariz dela e chupou e meu marido pegou ele no colo e correu no corredor pedindo socorro e eu pulei da cama atrás, tinha uma enfermeira no corredor pegou ela e levou para o berçário, onde conseguiram fazer ela voltar a respirar e ligaram para a pediatra, e quando a pediatra chegou ela parou de novo de respirar, daí sugaram e ela voltou, achei que ia perder minha princesa, queriam me tirar de lá de qualquer jeito, e não sai de lá nem um minuto só quando levaram minha princesa para uti, onde ela ficou 10 dias, onde aprendi a dar um valor absurdo nas pequenas coisas e encontrar força onde achava que não tinha, mais depois de muitos exames descobriram que minha filha não tinha nada, que ela teve as 2 paradas respiratórias porque tinha engolido liquido amniótico no parto e não sugam mais e o problema foi solucionado quando sugaram.

Finalmente fomos embora do hospital e graças a deus a Rafa nunca mais teve parada respiratória, e fui ficar na casa da minha mãe para ela me ajudar e quando a Rafa estava com 1 mês a irmã do meu pai começou a passar mal e em 36 horas faleceu de meningite meningocócica e ela tinha ficado com a Rafa por 2 horas no colo 2 dias antes de falecer, daí precisou tomar uma injeção e foram 30 dias sem dormir com medo de acontecer alguma coisa, mas passou graças a Deus.

Daí veio a decisão de parar de trabalhar porque a Rafa não pegou mamadeira e não largava o Tetê e não tinha como deixar ela, e a minha mãe não tem mais saúde para ficar com ela todos os dias.

Mas foi melhor decisão que tomei na minha vida, não tem preço você ver os primeiros passos, ouvir ela falar mamãe pela primeira vez, ver a cara quando come a fruta pela primeira vez e quando deu seu primeiro passo.

Eu era: Muito brava, nervosa e perfeccionista

Depois da maternidade, eu sou: Mais centrada, mais paciente e menos ansiosa e descobri que nem tudo tem que ser perfeito.

Como descobri a gravidez: Estava em um restaurante japonês e na hora que coloquei o camarão na boca, sai correndo para o banheiro com enjoo e quando voltei meu marido disse você está gravida, eu disse ainda não estava atrasada vamos esperar até amanhã e faço exame de farmácia, no outro dia fiz e deu positivo, liguei para o meu médico ele pediu para passar e pegar a guia para fazer exame de sangue e foi confirmado estava gravida

Pretende ter outros: Ainda estamos decidindo, eu queria muito pelo menos 2 filhos

Trabalha: Parei de trabalhar depois que a Rafaela nasceu

Melhor distração: Ir no restaurante japonês com marido e filha

Ícone: Chico Xavier

Ser feliz é: Estar junto com as pessoas que amo

O maior sonho: Ter saúde para ver minha filha crescer

Horas de sono por noite: Mais de 8 horas de sono

Uma dica para futuras mães: Siga sempre seu coração e sua intuição, que tudo vai dar certo

Uma receita infalível para os pequenos: paciência, dedicação, atenção e muito amor

Um programa inesquecível: Viajar com as pessoas que amo

A viagem perfeita com os pequenos: A viagem para a Disney, quando a Rafa tinha 1 ano e ver o olho dela brilhando com tudo que descobria, nunca vou esquecer

Caroline x Caroline:  Tenho uma personalidade forte, sou muito boa mais não mexa comigo, adoro ajudar as pessoas, falo o que penso e tomei uma decisão o que passou, passou e não tem como mudar, então levanta cabeça, siga em frente e seja feliz.

caroline-wood caroline-wood-1 OLYMPUS DIGITAL CAMERA caroline-wood-4

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook