categorias: Mãe da Semana

Aline Coelho

formaes

E aí, chegou o meu dia! Eba!! Fiquei muito feliz (e surpresa) com o convite! Adoro o grupo… Aprendi muito e procuro ajudar, sempre que posso!

Difícil resumir a vida assim, em poucas linhas, mas como o foco é a maternidade, vamos ao começo de tudo… rs

Sempre fui uma menina tranquila no quesito ‘namorados’. Tive alguns, mas o primeiro ‘pra valer’ foi o meu marido, Vinicius, que conheci aos 18 anos. Namoramos por 6 anos, até que eu terminasse minha faculdade (sou advogada) e ele, a residência médica. Casamos, quando eu tinha 25 anos e, fomos morar em Paris, para ele fazer uma especialização na área dele. FOI MARAVILHOSO! Imagina uma lua-de-mel em PARIS, que dura 14 meses?! Então, eu tive… rs.

Fiquei casada quase 5 anos sem filhos. Tentei engravidar por aproximadamente 1 ano… Foi um período difícil, mas valeu a pena. Em 2009, aos quase 30 anos, tive a MaFê, a bebê mais linda que já vi! Nasceu de cesárea de emergência, por conta de uma bradicardia severa durante o trabalho de parto – que não evoluiu nada em quase 24h! Relativamente frustrada, mas MUITO grata a Deus e à medicina por permitir ter minha filha saudável! Amamentação difícil, pouca informação… (Ah, se eu conhecesse o 4M@es nessa época!!)

Quando ela tinha 7 meses, fui fazer meu preventivo e minha cunhada (que era minha GO na época e tinha feito o parto da MaFê), disse que eu estava ovulando. Eu ri, dizendo que acompanhei por quase um ano a ovulação e nada… Cheguei em casa e contei pro marido, que também nem ligou. Resultado: fiquei grávida do segundo, quando a primeira tinha pouco mais de 7 meses completos!!!! Era meu segundo ciclo regular depois que parei de amamentar! Chorei horrores… Achava minha filha tão pequena, tão dependente ainda… e teria que dividir tudo com outro ‘ser’. Primeiro US morfológico e o resultado: meninAAAA! Fiquei mais aliviada, porque como todos disseram, eu aproveitaria tudo da MaFê, elas iam ser amigas, dividir tudo, brincar juntas…. Até que, com 16 semanas, minha MaBi (ia chamar Maria Beatriz), virou meninOOOOO…. Chorei tudo de novo! Fiquei arrasada… Gravidez cheia de azia e outra cesárea, desta vez, marcada (tanto pelo medo que tinham de ruptura uterina pela proximidade da cesárea anterior, quanto pela logística por conta da minha mais ‘velha’ – não tinha família em SP para ficar com ela!)

Desta vez, amamentação beeemmmm mais tranquila. Em compensação, bebê mais manhoso… rs… Mas é bem verdade quem diz que ser mãe de menino é tudo de bom! O Guilherme veio completar minha família e é o filho mais amoroso que eu poderia ter… (até hoje, com 3 anos, acorda de madrugada e vai na minha cama só pra dizer que me ama! Ownnnn)

Eu era: Dorminhoca… rs

Depois da maternidade, eu sou: Agitada, não paro um minuto…

Como descobriu a gravidez: Da primeira, fiz um beta, um dia antes do atraso. Do segundo, depois que enjoei pela manhã, ainda sem atraso, fiz um teste de farmácia, que deu positivo.

Pretende ter outros: Gostaria. Meu “3º elemento” está nos planos, mas o marido ainda precisa ser trabalhado nesse sentido… rs

Trabalha: Sim, tenho um escritório de advocacia, com duas amigas. Amo advogar!

Em caso positivo, onde ficam as crianças: Três vezes na semana, trabalho só meio período, enquanto estão na escola. Os outros dias, ficam com a minha ajudante e minha vó ou sogra.

Por que optou por isso: Desde que mudei de SP para Santos (há um ano), consegui uma estrutura legal, a ponto de achar que a escola em período integral ainda não é necessário (em SP eles iam período estendido). Além disso, acho a convivência com a Biza e a Vó uma experiência linda de viver. Eu, que fui criada com minhas Biza e Vó, tenho lembranças maravilhosas dessa época…

Melhor distração: Internet – todos os assuntos, mas o que mais domina meu tempo, com certeza, são coisas relacionadas ao Direito e a filhos.

Ícone: Minha vó. Uma mulher à frente do seu tempo. Muito batalhadora. Construiu tudo sozinha, divorciou-se quando mulher nem tinha CPF próprio! Criou minha mãe sozinha e quase tudo do que sou, devo a ela! Hoje, fico feliz em vê-la com saúde, aos 73 anos, curtindo os bisnetos.

Ser feliz é: Ter todos com saúde. O resto a gente dá um jeito…

O maior sonho: Viver por muitos e muitos anos, para ver meus filhos construindo suas vidas, felizes.

Horas de sono por noite: Vixe… Depende do humor do Guilherme. Mas se ele resolver dar uma trégua e eu for dormir cedo, consigo umas 8 horas.

Que horas curte o marido: A noite, quando pedimos para alguém ficar com as crianças (quesito a ser melhorado, confesso!)

Uma dica para as futuras mom´s: Não crie muitas expectativas sobre a maternidade ‘ideal’. Cada criança tem uma personalidade… Uns dormirão a noite toda. Outros demandarão atenção nas madrugadas. Se você achar que tudo vai ser lindo desde o início, vai se frustrar.

Uma receita infalível para os pequenos: Rotina. Eles se sentem seguros sabendo o que vai acontecer.

Um programa inesquecível: Pode ser relacionado a viagem e sem filhos? Roma e Berlim me marcaram demais.

A viagem perfeita com os pequenos: Até agora, Iberostar Praia do Forte. Próximo destino: Disney, no aniversário da minha filha de 5 anos!

Aline X Aline: Sou muito verdadeira em minhas opiniões. Isso nem sempre é bom. Não pactuo com injustiça e, às vezes, pago um preço alto por ser assim. Rejeito um cliente que não esteja de boa-fé (meu marido diz que sou a única advogada que faz isso! rs). Amo a maternidade, sem esquecer das dificuldades inerentes a fase inicial… Um pouco impaciente, mas estou tratando este assunto! Sou uma pessoa intensa, preocupada com aqueles que são meus verdadeiros amigos! Segundo meu marido, sou romântica, mas pouco carinhosa…rs. Acima de tudo, sou grata a Deus pela vida que tenho. Sem Ele, nada seria.