categorias: home

Porquê a amamentação é importante na saúde bucal no bebê? – Por Dra. Eloisa P. Soares Ueno

 


 

A amamentação tem sido incentivada por ser o leite materno não só o alimento mais completo e digestivo para crianças de até um ano de idade, como também por ter ação imunizante, protegendo-as de diversas doenças. Crianças aleitadas ao peito têm melhor desenvolvimento mental e maior  equilíbrio emocional. A amamentação é gratificante para a mãe e interfere beneficamente na saúde da mulher, por exemplo, diminuindo a probabilidade de câncer de mama, ajudando na involução do útero e na depressão pós-parto. Hoje, diz-se que o leite materno é ecologicamente correto, pois não consome recursos naturais em sua produção e não gera lixo, como ocorre com os leites artificiais, além de ser gratuito!

 

Porém, poucos sabem que a amamentação tem reflexos futuros na fala, respiração e dentição da criança.

 

Um exercício muito importante

 

Quando a criança é amamentada, está não só sendo alimentada, como também fazendo um exercício físico dieta importante para desenvolver sua ossatura e musculatura bucal. Ao nascer, o bebê tem o maxilar inferior muito pequeno, que irá alcançar equilíbrio no tamanho em relação ao maxilar superior tendo seu crescimento estimulado pela sucção do peito.

 

Toda a musculatura bucal é desenvolvida, músculos externos e internos, que, solicitados, desenvolvem os ossos.

 

Mamar no peito não é fácil, daí o bebê ficar bastante transpirado. Esse exercício é o responsável inicial no crescimento harmonioso da face e dentição. Usando mamadeira, esse exercício é quase inexistente, e a preferência do nenê pela mamadeira vem da facilidade com a qual ele ganha o leite, principalmente quando este flui por um furo generoso no bico. Para exercitar-se com maior eficiência, a posição durante a mamada é importante: a criança deverá ficar o mais verticalizada, o que também facilita a deglutição do leite.

 

Uma atitude na tentativa de evitar apinhamento dental (dentes “encavalados’).

 

Maxilares melhor desenvolvidos propiciarão um melhor alinhamento da dentição, diminuindo a necessidade futura do uso de aparelhos ortodônticos. Músculos firmes ajudarão na fala. Durante a amamentação, aprende-se respirar corretamente pelo nariz, evitando amigdalites, pneumonias, entre outras doenças. Quando a criança respira pela boca, os dentes ressecados ficam mais expostos à cárie e as gengivas ficam inflamadas, os maxilares tendem a sofrer deformações e os dentes, a ficar “encavalados”, aumentando também o processo de cárie.

 

A amamentação prepara o bebê para a mastigação

 

A mamadeira costuma tomar-se uma companheira para a criança ao longo de anos, habituando-a a uma dieta mole e adocicada, que aumenta o risco  de cáries (cárie de mamadeira); a criança tende a recusar alimentos que requeiram mastigação. Depois da amamentação, a mastigação correta continuará a tarefa de exercitar ossos e músculos.

 

A amamentação prepara a criança para a mastigação. Muitas mães reclamam que seus filhos, já crescidos, não mastigam corretamente e recusam verduras e frutas, apreciando apenas doces e iogurtes.

 

Toda a literatura odontológica relacionada a amamentação relatam os fatos acima citados, porém se uma mãezinha por algum motivo de força maior não conseguiu amamentar ou simplesmente optou por isso, não deverá se sentir culpada por isso. Os problemas acima relatados pela não amamentação não são uma regra. E caso aconteça de um algum desses fatores acima, os recursos para a sua correção são enormes com os profissionais qualificados em cada área!!! Quem nunca usou aparelho ortodôntico ou visitou um otorrino???

 

Beijos à todas!

 

 

Eloisa P. Soares Ueno

Dentista especialista em Ortodontia

Ondontopediatria

E mãe da Betina

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook