categorias: home, Mãe da Semana

Ana Luisa Beall

ana luisa

Olá meninas!! Bom dia!!

Fiquei super feliz com o convite da Renata para ser a mom da semana… o 4 mom’s é mesmo um grupo especial! O que eu já ri aqui, chorei aqui… já ajudei, já fui ajudada, já me emocionei incontáveis vezes, ri outras tantas. No fim, a gente se faz companhia!
Vou então contar um pedaço da minha vida pra vocês. Na verdade, acho que é a primeira vez que vou narrar a minha vida pra alguém, assim, sob esse ponto de vista, rs.

Vou tentar não me alongar demais, embora eu tenha que voltar aos meus 16 anos para poder contar a estória completa.

Lá vamos então. Com 16 anos tive meu primeiro namorado, o Zé. Era meu melhor amigo, e foi uma pessoa muito importante na minha vida. Foi de fato, o melhor primeiro namorado que uma garota pode ter. Escorpiano, me amou com uma intensidade que eu nem imaginava existir… era romântico, engraçado e lindo, e o melhor, me amava, me protegia e me valorizava. Penso que se eu sempre me dei valor, devo muito a ele também.
Foi durante essa fase da minha vida que tive o primeiro contato com quem viria a ser meu marido, o Erich. Ele era o primo mais novo do Zé, mais novo que eu 3 anos e meio. Naquela época, era tipo pirralho mesmo. Lembro-me de estarmos no sítio do Zé jogando porco… sabe aquele jogo de baralho? Aquele que a gente tem que virar uma dose de pinga quando perde? O tal primo pirralho, com 12 anos na época, era café com leite, e bebia água no lugar da pinga. Me lembro também de outra passagem… estava estudando biologia na casa do Zé, quando o Erich sentou do meu lado e quis saber o que eu estava estudando… fiquei lá explicando genética pro menino (rá, que ironia divina…), falando de Aa, AA. E foi esse meu primeiro contato com o Erich na vida.

Eu e o Zé namoramos por um ano e meio, e quando terminamos começou pra mim uma época negra. Embolou meu meio de campo. Eu estava triste, pois tinha que ver meu ex alegre todos os dias na escolas, vi meus amigos se dividindo entre nós dois, alguns mentindo. Pra completar, uma crise financeira séria em casa. Foi um período de um ano e meio bem complicado pra mim, fiquei em depressão, foi difícil mesmo. Mas amadureci muito. Hoje penso que algumas pessoas amadurecem naturalmente, porém outras, amadurecem na porrada. Mas nada é pra sempre, né mom’s? Nem as coisas boas, mas felizmente, nem as ruins. E eu fui melhorando aos pouquinhos…

Fiz cursinho, cursei 3 anos de Turismo na Anhembi, fui pra Austrália, voltei, fiz cursinho de novo e fui estudar Administração na PUC. A essa altura do campeonato, eu tinha 23 anos.

O período negro já tinha acabado há tempos, eu vivia na balada com as amigas, ia sempre pra praia, trabalhava e estudava, sempre com um gatinho aqui, outro ali. Eu procurava nem pensar muito no assunto, mas no fundo a verdade era que eu nunca mais tinha me apaixonado por ninguém. E por isso, nunca mais tinha namorado. Tá, eu vivia com uns rolinhos, porque sozinha ninguém fica, né, ainda mais com 20 e poucos anos. Mas eu não namorava. Nunca mais tinha levado alguém pros meus pais conhecerem, por exemplo. Eu estava achando até que nunca mais ia amar alguém, do tipo, quebrou alguma coisa em mim.

Mas Deus não dá ponto sem nó, né? Quem estava na minha sala regular da PUC? Quem? O Erich. Não o reconheci de imediato (na verdade demorei 2 anos, rs), afinal o pirralho que nem podia beber, tinha virado um homão, estava irreconhecível! Diz ele que me reconheceu no primeiro momento que me viu, mas como a recíproca não foi verdadeira, não falou nada. E o tempo foi passando… e fomos ficando amigos, bem amigos, cada vez mais amigos…. Até que um dia descobri quem ele era!
O Erich? Aquele Erich primo do Zé? Aquele moleque? Mentira!!! Mas ele já era meu amigo, e isso nada tinha ver com Zé ou com estórias do passado. Era meu amigo da faculdade. E de fora da faculdade.
E eu e o meu amigo nos apaixonamos. Perdidamente. Confesso que fiquei confusa, porque pela primeira vez em 10 anos eu me apaixonara novamente, e justo por quem??? Pelo primo do meu único ex namorado! Que ironia…

Mas eu me apaixonava pelo Erich cada dia mais, a gente amava viajar juntos, sair juntos, estar com ele era tudo que eu queria. O Zé estava casado, tinha um filho de 2 anos, estava seguindo a vida dele, feliz, como deveria ser. O Zé era um assunto ha muito superado. Mas fiquei intrigada com a coincidência, e por vezes tentei decifrar o segredo do destino, entender o que a vida estava reservando pra mim.

No auge da nossa paixão, Erich foi morar na Austrália, por um ano. Nunca senti tantas saudades de alguém como senti dele. Mas ele foi, viveu o que tinha que viver, e eu esperei. Ele voltou e nós ficamos juntos novamente. Eu tava 200% feliz!
Um belo dia, saindo do escritório, resolvo atender a ultima ligação. Era o Erich dizendo que o Zé tinha falecido, num acidente de caminhão, dirigindo o caminhão do sítio do pai. Gente, eu sequer havia encontrado o Zé desde estava com o Erich… era meu amigo, meu único ex namorado, uma pessoa muito querida! Foi bem triste meninas, o pequeno dele tinha só 5 anos!!

Sabe meninas, eu sou daquelas que acredita em tudo… em espírito, em ET, vida após a morte, destino, energias, brincadeira do copo, tudo, mas eu nunca tive uma experiência paranormal sequer. Nenhuma. Nunca. Nada. Zero.

Pois bem, uma bela manhã eu acordei esquisita. Eu tinha sonhado com o Zé. Eu sabia que ele estava morto, e fiquei muito, muito feliz em ve-lo. Ele não falou nada, só sorriu pra mim.
É provável que não faça nenhum sentido pra vocês, mas foi aí que eu desconfiei que estava grávida. Era como se eu tivesse em um estado de sensibilidade muito além do meu normal, que não vê nada, não sente nada e só sonha coisa sem nexo.
E foi por isso que mesmo antes de atrasar minha menstruação eu fui lá fazer um teste de farmácia. E deu positivo! Fiz mais 4, todos positivos!
E em 2010 nasceu nosso filho tão amado, o Emanuel.

Eu ainda sonhei algumas vezes com o Zé, durante a gravidez. Depois que o Manu nasceu, nunca mais. Mas hoje acho que enfim desvendei o mistério do destino. Eu precisava ter conhecido o Zé, pra conhecer o Erich. Eu precisava ter sofrido para ser a mulher que sou hoje. Eu precisava do Erich pra ser feliz. Eu precisava do Erich pra ter Manu. E se por muito tempo eu achei que Deus tivesse exagerado na minha dose de sofrimento, ele se redimiu mandando o triplo de amor! Pra mim, está tudo interligado.

Beijos meninas, uma ótima semana!

Eu era: baladeira, quase inconsequente.
Depois da maternidade, eu sou: uma nova mulher, eu diria… rs
Como descobriu a gravidez: o Zé que me contou.
Pretende ter outros: oh, dúvida cruel!!
Trabalha: sim, no período da manhã, na empresa do marido.
Em caso positivo, onde fica o filhote: na escola, e se preciso trabalhar mais, ele vai comigo ou fica com as avós.
Por que optou por isso: em primeiro lugar, porque tive essa opção. E pra mim é tudo, não deixo de produzir, mas posso me dedicar ao meu filho.
Melhor distração: livros tem sido meus companheiros, já que “não posso sair que o Manu tá dormindo”. E o 4 Mom’s!
Ícone: meu pai (o mais guerreiro), minha mãe (a mais linda flor) e meu marido (o meu presente)
Ser feliz é: fazer o bem, porque o bem vota sempre pra você.
O maior sonho: ver meu filho crescer e se tornar um homem bom.
Horas de sono por noite: 7 em média.
Que horas curte o marido: A noite.
Uma dica para as futuras mom´s: rotina. Pra vcs terem o mínimo de vida própria.
Uma receita infalível para os pequenos: muita paciência e muito beijo.
Um programa inesquecível: Uma queda de pressão simultânea que tivemos no teatro Mars depois de beber uma vodka batizada. (hahahahahah, vale perguntar pro marido? Porque essa resposta foi dele!!!)
A viagem perfeita com os pequenos: Quero leva-lo para conhecer o mundo!! Estamos só esperando ele ficar um pouco maior, pra aproveitar mais.
Ana Luisa X Ana Luisa: uma boa pessoa, mas que me irrita quando perde as coisas.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

10 comentários

  1. Fabiola

    Que coisa mais emocionante, amei !!!
    Linda sua estória, acredito em tudo tb, e acho que Deus sabe mesmo o que faz.
    Bjs

  2. Adriana Masili

    Ameiiii! Parabéns pela linda familiaaaa! Realmente os planos de Deus são bem maiores e bem mais surpreendentes do que imaginamos! Bjuss

  3. Lidiane Costa

    Quando está nos planos, não há como mudar nosso destino!! Bela família vc construiu! <3

  4. REnata melhen

    Parabéns pela linda história Ana. Tbm acredito mto, que os caminhos são emaranhados mas que Deus sempre nos reserva algo surpreendente. Eu, por exemplo casei pela 2º vez com quem eu conhecia desde os meus 15 anos e nunca tinha nem olhado…detalhe; ele foi no meu 1º casamento …coisas da vida…. Mta luz pra vc e sua família linda !

  5. Roberta

    Que história linda! Parabéns pela linda família!

  6. Thaísa Gaspar

    Muito emocionante seu relato. O mais bonito que eu já li aqui no 4moms. Parabéns pelo, filho, pelo marido e por uma história de vida tão encantadora.

  7. Ana Luisa Beall

    Obrigada meninas!! Adorei dividir um pouco da minha vida com vcs, que bom que gostaram! Amanhã vou postar um foto do nosso anjo, pra vcs verem que lindo que ele era! E só pra atualizar, a esposa dele na época, que ficou viúva com 20 e poucos anos, hj está casada novamente e feliz.
    E a vida vai se consertanto…. bjs!

  8. Raquel Sampietro

    Adorei essa frase: Ser feliz é: fazer o bem, porque o bem vota sempre pra você.
    Parece um tapa na cara de algumas pessoas né Ana ??? (piada interna)
    Nos conhecemos assim numa situação tão inusitada né….mas desde então vi a pessoa especial que vc é! Conte comigo sempre querida, parabéns pela familia linda! bjs

  9. Caia

    Nem sei como começar a descrever minha emoção lendo esse testemunho.. A autora é nada mais nada menos que minha melhor amiga, madrinha da minha filha, minha salvadora de tantas horas difíceis da vida. Acompanhei cada passo dessa história e posso dizer que ela conseguiu resumir muuuuito bem pois a cada linha me vinha à cabeça uma lista de acontecimentos relacionados, estou com os olhos cheios d´água. Ler tudo isso realmente me fez rebobinar a fita (ai, denunciei a idade) e concordar com a conclusão do texto. Tudo isso aconteceu para levá-la onde está. Feliz, centrada e rodeada de amor, inclusive do meu!

  10. Caia

    Nem sei como começar a descrever minha emoção lendo esse testemunho.. A autora é nada mais nada menos que minha melhor amiga, madrinha da minha filha, minha salvadora de tantas horas difíceis da vida. Acompanhei cada passo dessa história e posso dizer que ela conseguiu resumir muuuuito bem pois a cada linha me vinha à cabeça uma lista de acontecimentos relacionados, estou com os olhos cheios d´água. Ler tudo isso realmente me fez rebobinar a fita (ai, denunciei a idade) e concordar com a conclusão do texto. Tudo isso aconteceu para levá-la onde está. Feliz, centrada e rodeada de amor, inclusive do meu!!